Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Há 60 anos, a estreia de um tal Pelé na seleção brasileira

Maior jogador de todos os tempos debutou com a camisa amarela aos 16 anos, marcando um gol contra a Argentina, no Maracanã

A trajetória do maior jogador da história da seleção brasileira teve início há exatos 60 anos. No dia 7 de julho de 1957, Pelé, então uma promessa do Santos de 16 anos, jogava pela primeira vez com a camisa amarela. E, logo em sua estreia, marcou o único gol brasileiro na derrota de 2 a 1 para a Argentina, no Maracanã, pela Copa Roca, atual Superclássico das Américas.

Naquele jogo, Pelé entrou no segundo tempo da partida, no lugar de outro santista, Del Vecchio, e usando a camisa 13 do Brasil. Apesar da derrota, o Brasil seria campeão do torneio, com triunfo de 2 a 0 no jogo seguinte, três dias depois, com gols de Pelé e Mazzola no Pacaembu. Neste segundo jogo, Pelé foi titular da seleção e usou a camisa 8. Ele só assumiria a 10, por acaso, no título mundial do ano seguinte.

Amadeo Carrizo, titular do River Plate na época, foi o goleiro argentino que sofreu o primeiro gol de Pelé. Labruna e Miguel Juarez marcaram os gols argentinos na partida de estreia do Atleta do Século. Em 17 anos vestindo a camisa da seleção, Pelé marcou 95 gols e conquistou, entre outros títulos, as Copas de 1958, na Suécia; 1962, no Chile; e 1970, no México. Abaixo, os dados da estreia do Rei:

BRASIL 1 x 2 ARGENTINA

Data: 07/07/1957

Competição: Copa Rocca

Local: Estádio do Maracanã

Público: 80.000 espectadores

Árbitro: Erwin Hieger (Áustria)

Assistentes: Guálter Gama de Castro (Brasil) e José Monteiro (Brasil)

Gols: Labruna aos 30 do primeiro tempo; Pelé aos 31 e Juárez aos 32 do segundo tempo

BRASIL: Castilho, Paulinho de Almeida, Bellini, Jadir e Oreco; Zito (Urubatão 25 do 2°) e Luisinho; Maurinho, Mazzola (Moacir, no intervalo), Del Vecchio (Pelé 20 do 2°) e Tite. Téc: Sylvio Pirillo

ARGENTINA: Carrizo, Pizarro e Vairo; Gianserra, Rossi (Guidi 32 do 2°) e Urriolabeitia; Oreste Corbatta, Herrera (Antonio 25 do 2°), Juárez (Blanco 41 do 1°), Labruna e Moyano. Téc: Guillermo Stábile