Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Goleador do Equador deixa seleção em apoio a técnico demitido

Vice-artilheiro das Eliminatórias, Felipe Caicedo se revoltou com a saída de Gustavo Quinteros. Em oitavo, Equador corre sério risco de não ir à Rússia

A seleção do Equador vive um momento de tensão a duas rodadas do fim das Eliminatórias para a Copa do Mundo de 2018. A equipe que liderou boa parte da competição se complicou nos últimos jogos e caiu para a oitava colocação, fato que causou a demissão do técnico argentino Gustavo Quinteros nesta semana. Para piorar, o principal atacante do time, Felipe Caicedo anunciou nesta quinta-feira, pelo Twitter, que não atuará mais pelo Equador em solidariedade ao treinador.

“Quero comunicar que dou por encerrada minha etapa na seleção. Quero agradecer a todos que sempre estiveram a meu lado. E quem quiser pode me insultar à vontade, sempre direi o que penso”, escreveu o jogador de 29 anos. “Estou totalmente em desacordo com a decisão de demitir o técnico Quinteros. É certo que os resultados não têm sido bons, mas ele não tem toda culpa por isso. Somos uma equipe, e isso inclui jogadores e todos os que estão em volta.”

Caicedo é o quinto maior goleador da história da seleção equatoriana, com 22 gols. Ele se transferiu nesta temporada para a Lazio após três temporadas no Espanyol, de Barcelona. O forte atacante é também o vice-artilheiro das Eliminatórias, com sete gols, atrás apenas do uruguaio Edinson Cavani, que fez nove – fato que ele mesmo fez questão de lembrar a seus críticos no Twitter:

O Equador tem 20 pontos e precisará vencer Chile, como visitante, e Argentina, em casa, para seguir sonhando com sua quinta participação consecutiva em Mundiais. A seleção brasileira, líder com 37 pontos é a única sul-americana já garantida na Rússia. Uruguai, Colômbia e Peru completam a zona de classificação até o momento. O quinto colocado, atualmente a Argentina, disputará a repescagem mundial contra a Nova Zelândia.