Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Esquecido por Tite, brasileiro é aposta da Itália para ir à Copa

Com catarinense Jorginho, do Napoli, como titular pela primeira vez, seleção italiana precisa vencer Suécia em Milão para evitar vexame de não ir à Rússia

A tradicionalíssima seleção italiana, que foi eliminada nas últimas duas Copas do Mundo na primeira fase, quer evitar um vexame ainda maior nesta segunda-feira: ficar fora de um Mundial pela primeira vez em 60 anos. A Itália perdeu a partida de ida da repescagem contra a Suécia por 1 a 0 e precisa vencer o jogo de volta, em Milão, a partir das 17h45 (de Brasília), para ir à Rússia em 2018. Para isso, apostará em um jogador nascido em Imbituba, Santa Catarina: o volante Jorginho, do Napoli, “esquecido” por Tite na seleção brasileira.

Quatro vezes campeã, a Itália só não disputou as Copas de 1930 e 1958. Com a derrota sem gols na casa do adversário, a Itália precisa vencer qualquer placar com, no mínimo, dois gols de diferença para conquistar a vaga no tempo regulamentar. Caso vença por 1 a 0, a partida irá para a prorrogação e, se necessário, terá disputa de pênaltis. Vitória, empate ou derrotas mínimas com gols classificam a Suécia, que não disputa o Mundial desde 2006 e não tem mais seu principal jogador, Zlatan Ibrahimovic.

O estreante Jorginho

O jogo desta tarde marcará a estreia oficial do meio-campista Jorginho, do Napoli, pela ‘Azzurra’. O jogador de 25 anos é um dos destaques da liga italiana há algumas temporadas e nutria esperanças de ser chamado por Tite para a seleção brasileira. No entanto, diante da perspectiva negativa, decidiu aceitar o convite de última hora do técnico Giampiero Ventura. E já é tratado pelo jornal La Gazzetta dello Sport, o principal esportivo do país, como o “salvador” da Itália.

A reportagem destaca que, além de Tite, a Itália deve agradecer à mãe de Jorginho, Maria Teresa Freitas, que era empregada doméstica e jogadora de futebol nas horas vagas e de quem o jogador herdou o dom e a paixão pelo futebol no litoral catarinense. Jorginho chegou ainda adolescente à Verona, na Itália, e fez toda a sua carreira no país europeu. Jorginho já havia sido chamado pelo técnico anterior, Antonio Conte, para amistosos contra Escócia e Espanha, mas ainda poderia defender a seleção brasileira.

Capitão Buffon pede união

O goleiro Gianluigi Buffon da seleção italiana

Gianluigi Buffon quer se aposentar na Copa (Ognen Teofilovski/Reuters)

Diante de tanta pressão, a Itália escalou o veterano goleiro Gianluigi Buffon para a entrevista coletiva na véspera. O jogador de 39 anos, que planeja se aposentar em 2018 na Rússia, pediu apoio da torcida em San Siro. “Não se deve chegar ao estádio com espírito crítico. Eu gostaria e me emocionaria se cada torcedor tirasse a camisa do seu clube e usasse só a cor azul.”

Buffon reconheceu que a seleção vive um momento de “alta tensão” e que esta segunda-feira será um dia de enorme importância para a história do futebol italiano. “É inevitável, dada a importância da partida e a responsabilidade que cada um de nós tem. Podemos nos recuperar, trabalhamos para esse sonho e esse objetivo. Sabemos que é importante para a história da nossa seleção”, declarou.

Perguntado se anunciará a aposentadoria da seleção italiana em caso de eliminação, o goleiro desconversou. “Isto não mudará nada para o meu futuro e a minha relação com a seleção. Uma vitória, além do meu futuro pessoal, significaria muito para todos nós. Neste momento, a minha situação é secundária, não conta nada.”

“Precisamos ser ferozes. Nós e toda Itália. Estamos obrigados a fazer uma pequena proeza e precisamos do apoio das pessoas”, completou o goleiro da Juventus. A resposta do estádio San Siro, onde a Itália nunca perdeu, já foi dada: mais de 70.000 torcedores empurrarão o time para que 2018 não se pareça com 1958.

Prováveis escalações:

Itália: Buffon – Barzagli, Bonucci, Chiellini – Candreva, Florenzi, Jorginho, Parolo, Darmian – Immobile, Gabbiadini. Treinador: Giampiero Ventura

Suécia: Olsen – Lustig, Lindelof, Granqvist, Augustinsson – Claesson, Larsson, Johansson, Forsberg – Toivonen, Berg; Treinador: Janne Andersson

(com agência EFE)