Cuca defende Borja: ‘Se custou R$ 35 milhões foi porque mereceu’

Técnico do Palmeiras afirmou que cobranças em cima do colombiano são exageradas: 'Se tivesse custado 5 milhões ninguém falaria nada'

Desde que chegou ao Palmeiras, Miguel Borja convive com a pressão e está longe de mostrar o futebol que fez com que o clube brasileiro o tirasse do Atlético Nacional. Porém, na avaliação do técnico Cuca, as cobranças em cima do jogador são exageradas, e são feitas, em sua maioria, em decorrência do valor que foi pago em sua contratação.

“Tudo em torno do Borja são os 35 milhões (de reais). Se pagassem 5 milhões (de reais), ninguém falava nada, mas ele apanha, coitado, todo dia. Até quando não joga. A gente tem que ter paciência e eu deixo de lado o quanto ele custou. Se custou, foi porque mereceu, pelo que fez na Libertadores passada e nos campeonatos passados”, defendeu o treinador, que, entretanto, deixou o colombiano no banco de reservas em várias oportunidades.

O jogador colombiano se defendeu, e culpou a dificuldade para se adaptar ao Brasil como responsável por ainda não ter sido destaque como esperado. De acordo com Borja, o esquema tático também tem sido um problema para sua evolução.

“Fico agradecido por Cuca, que está me dando confiança e aos poucos eu vou pegando o nível do futebol brasileiro, que é totalmente diferente da Colômbia. Não está sendo fácil. Lá, eu joguei em dois times (Atlético Nacional e Cortoluá) que atuavam muito por dentro, com camisas 10, e aqui jogamos mais pelos lados”, explicou.

O atacante espera que a fase mude o quanto antes e, de preferência, que seja em um jogo pela Libertadores. “Sei que tenho grande qualidade e que tenho que responder em campo. Espero que com a ajuda de Deus o gol importante venha agora na Libertadores”, projetou.

(Com Estadão Conteúdo)