Corinthians vence e abre vantagem de sete pontos no Brasileirão

Em jogo de poucas chances, o líder teve um pênalti irregular marcado a seu favor que foi desperdiçado; Jô se redimiu do erro e marcou o gol da vitória

O Corinthians esbarrou na retranca do Botafogo na tarde desse domingo. Encontrou dificuldades, terminou o primeiro tempo sem acertar o gol, mas contou com a estrela de seu técnico para vencer o Botafogo diante de 40.658 pessoas em Itaquera para abrir sete pontos de vantagem na liderança do Campeonato Brasileiro depois de 11 rodadas disputadas. Jô, que perdera um pênalti no início da segunda etapa, mais uma vez foi o autor gol salvador, mas as entradas de Marquinhos Gabriel e, principalmente, de Pedrinho, apostas de Carille, foram cruciais para que o Timão alcançasse o 25º jogo invicto no ano um novo 1 a 0.

Apesar do início promissor do Corinthians, com Clayson já atormentando a defesa botafoguense com menos de um minuto de jogo, aos poucos o time carioca foi minando a empolgação dos mandantes com seu sistema defensivo muito bem montado com todos os homens atrás da própria intermediária.

Apesar de contar com a paciência da Fiel, o excesso de erros de passes fez com que os comandados de Carille não conseguissem ficar em condições de finalizar as jogadas. O Botafogo chegou a dar pelo menos três presentes ao Timão com saídas mal feitas. Nenhuma , porém, acabou bem aproveitada pelo Corinthians.

Na única vez que os visitantes conseguiram encaixar um contra-ataque, João Paulo assustou Cássio, mas concluiu direto pela linha de fundo, de dentro da área do arqueiro corintiano.

E se o termómetro marcava 15ºC, dentro de campo o clima também não era quente. O apito do fim do primeiro tempo veio antes da primeira finalização certeira tanto de Corinthians quanto de Botafogo.

Veja também

Carille, então, resolveu ousar. Sacou Gabriel e mandou Marquinhos Gabriel para o jogo. Por outro lado, apesar das mesmas peças, o Botafogo se encolheu ainda mais. Em cinco minutos, o Timão fez mais do que havia feito em toda a primeira etapa. Foram cinco finalizações, com destaque para Rodriguinho, que exigiu uma espetacular defesa de Gatito.

A melhor chance, no entanto, veio em seguida. Arana tabelou com Clayson e sofreu falta fora da área. O árbitro, confuso durante todo o tempo, assinalou pênalti. Jô pediu a bola, Jadson autorizou, mas o camisa 7 parou nas mãos de Gatito, que ainda defendeu o rebote da penalidade.

Apesar da frustração, o panorama do jogo não mudou. Carille conseguiu o que queria com dois pontas abertos. A marcação alta matou qualquer chance do Botafogo de contra-atacar. Mesmo assim, sem a bola na rede, com o passar do tempo, o técnico do Corinthians resolveu agir de novo. Mandou Pedrinho a campo.

E a estrela de Carille brilhou de novo. O jovem revelado no “terrão”, logo em sua primeira jogada, foi para dentro da marcação, abusou da habilidade e cruzou para Jô, que teve a primeira chance de estufar as redes, mas parou em Gatito. A queima roupa o goleiro botafoguense ainda defendeu a sobra de Rodriguinho. Tudo quase dentro da pequena área. Mas, na sequência do lance, Gatito nada pôde fazer. Jô dessa vez não perdoou e o grito entalado de mais de 40 mil torcedores saiu da garganta.

Com vantagem e a sensação de alívio, Carille percebeu o momento de reposicionar seu time e sacou Rodriguinho para colocar Camacho. O Corinthians sobrou no fim e, mesmo sem apertar, não sofreu riscos e apenas administrou mais um 1 a 0 que lhe garantiu o 25º jogo de invencibilidade e a liderança folgada no Campeonato Brasileiro.

Na próxima rodada, o Corinthians reedita a decisão do Paulistão contra a Ponte Preta, de novo em Itaquera, sábado, às 19h. O Botafogo entra em campo no domingo, às 16 horas, para buscar a reabilitação frente ao Atlético-MG no estádio Nilton Santos.

FICHA TÉCNICA: CORINTHIANS 1 X 0 BOTAFOGO

Local: estádio de Itaquera, em São Paulo (SP)
Data: 2 de julho de 2017, domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Rodolpho Toski Marques (Fifa-PR)
Assistentes: Bruno Boschilia e Victor Hugo dos Santos (ambos do PR)
Cartões amarelos: Fagner, Jô e Jadson (Corinthians); Arnaldo e Victor Luis (Botafogo)
Público: 40 658 pessoas
Renda: R$ 2.235.726,90
Gols: Jô, aos 34 minutos do segundo tempo

CORINTHIANS: Cássio; Fagner, Balbuena, Pablo e Guilherme Arana; Gabriel (Marquinhos Gabriel), Maycon, Jadson, Rodriguinho (Camacho) e Clayson (Pedrinho); Jô. Técnico: Fábio Carille

BOTAFOGO: Gatito Fernández, Arnaldo, Marcelo, Igor Rabello e Victor Luís; Dudu Cearense, Bruno Silva, João Paulo, Camilo (Marcos Vinicius) e Gilson; Guilherme (Pimpão). Técnico: Jair Ventura

(com Gazeta Press)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Ataíde Jorge de Oliveira

    O TRIPLEX e o seu
    verdadeiro DONO
    : P E D R I N H O :
    É o TeRRãO–TIMãO, mano

    Curtir

  2. Djalma Wilson Janini Franco

    A Globo tem um comentarista chamado Juninho Pernambucano que tem um dos piores vícios possíveis num profissional desta classe: ele é tendencioso. Em quase a totalidade do tempo de jogo o Corinthians manteve pouco mais de 75% de posse de bola submetendo o Botafogo no seu campo de defesa, enquanto isto o boçal tecia elogios descabidos ao Botafogo. É um rematado idiota.

    Curtir