Copete e mais 7: Relembre colombianos que brilharam no Brasil

Goleador do Santos é a atual sensação colombiana no país. Seus compatriotas, porém, brilham por aqui desde o início da década de 90

Com três gols diante do São Paulo em vitória do Santos por 3 a 2 neste domingo, o atacante colombiano Jonathan Copete vem ganhando espaço no coração do torcedor santista. No clube desde 2016, o atacante já é seu maior artilheiro estrangeiro, com 20 gols, empatado com o argentino Juan Echevarrieta, que defendeu a equipe em 1943.

Copete é, portanto, mais um colombiano a fazer sucesso no futebol brasileiro, um fenômeno iniciado, em peso, nos anos 90. Em reportagem da Revista PLACAR de 1996 (na página 18), os colombianos só estavam em menor número que os paraguaios no Campeonato Brasileiro daquele ano, que batia o recorde de estrangeiros: 17 ao todo.

Veja também

Nos últimos anos, a invasão colombiana diminuiu, mas alguns dos atletas deixaram boas lembranças por aqui. Relembre:

Freddy Rincón

Já com sucesso mundial, Rincón era um dos colombianos no Brasileiro de 1996. Era sua segunda passagem pelo Palmeiras, clube que havia defendido em 1994. Após uma segunda passagem pelo clube, jogou três anos no Corinthians, clube pelo qual teve mais sucesso no país, conquistando dois Brasileiros, um Paulista e um Mundial. Jogou ainda por Santos e Cruzeiro.

Rincón, jogador do Corinthians

Foto: (Ricardo Correa/Dedoc)

Victor Aristizábal

Outro colombiano que jogou o Brasileiro de 1996 foi Aristizábal, que chegava para defender o São Paulo. Atuou ainda por Santos, Vitória e Coritiba, sempre conquistando títulos, mas teve maior sucesso em 2003, pelo Cruzeiro, ano em que conquistou o Brasileiro, Copa do Brasil e Mineiro. Ele é o quinto maior artilheiro estrangeiro do clube mineiro, com 28 gols.

Aristizábal, jogador do Cruzeiro

Foto: (Eugenio Savio/Dedoc)

Faustino Asprilla

Outro atacante de sucesso internacional, Asprilla chegou para defender o Palmeiras em 1999. Jogou o Mundial de Clubes e uma final de Libertadores pelo clube, mas suas únicas conquistas foram o Rio-São Paulo e a Copa dos Campeões de 2000. Jogou também pelo Fluminense.

Asprilla, do Palmeiras

Foto: (Alexandre Battibugli/Dedoc)

Wason Rentería

Atacante rápido e oportunista, conquistou o torcedor do Internacional em sua passagem pelo clube, entre os anos de 2005 e 2006. Além do vice-campeonato brasileiro de 2005, foi campeão da Libertadores em 2006. Jogou ainda por Atlético-MG, Caxias, Santos e defendeu o Atlético Tubarão em 2017.

Rentería, do Internacional, comemora gol durante jogo entre Internacional e Coritiba, válida pelo Campeonato Brasileiro 2005, no estádio Beira Rio

Foto: (Edison Vara/Dedoc)

Fabián Vargas

Volante de muita pegada, chegou do Boca Juniors em 2006 para ser campeão e do mundo com o Internacional. Entrou no intervalo do jogo contra o Barcelona e ajudou o clube a segurar o resultado.

Fabián Vargas, jogando pela seleção da Colômbia em 2009

Fabián Vargas, jogando pela seleção da Colômbia em 2009 (Chris McGrath/Getty Images)

Mauricio Molina

Meia de muita técnica, foi importante para o time do Santos em 2008 e 2009, como o jogador mais habilidoso da equipe. Apesar de não ter conquistado títulos, deixou boas lembranças e as portas abertas para o surgimento de Copete.

Jogador Molina, do Santos, comemora gol da vitória sobre o São Paulo, no estádio da Vila Belmiro, em Santos

Foto: (Fernando Donasci/Folhapress)

Yerry Mina

Zagueiro alto e de muita técnica, Mina conquistou o torcedor do Palmeiras logo em sua chegada, em 2016, com partidas de alto nível e danças impecáveis na comemoração de gols. Venceu o título brasileiro de 2016 e já está na mira do Barcelona para o futuro.

Mina, do Palmeiras, comemorando seu gol contra o Coritiba, durante partida válida pelo Campeonato Brasileiro de 2016, no Allianz Parque

Foto: (Alexandre Battibugli/Folhapress)