Carille sobre o título do Corinthians: ‘Não é normal’

Treinador não esperava conquistar a taça logo em seu primeiro campeonato como comandante do time

Quando o auxiliar técnico do Corinthians Fábio Carille foi anunciado, em dezembro de 2016, como novo comandante do clube para esta temporada, o cenário era de desconfiança por parte da torcida. Assistente da equipe desde 2009, essa seria a primeira experiência como treinador e nem ele acreditava que levantaria uma taça logo no torneio de estreia, o Campeonato Paulista.

“Não é normal. Eu não esperava”, revelou o sincero Carille. “Esperava mais tempo para equilibrar a parte ofensiva, mas a parte defensiva foi bem demais e acabou fazendo a diferença”, completou. O treinador considera que o tempo de maturação de uma equipe chegar ao alto nível de desempenho demora cerca de dois anos. “Foi o que aconteceu com o Corinthians que ganhou o Mundial em 2012. A equipe começou a ser formada em 2010 e se trocou algumas peças”.

Na nova função há pouco mais de 4 meses, o comandante corintiano quase não conseguiu se manter no clube logo após de chegar. Quando ainda se firmava como auxiliar, em 2010, resistiu a quatro trocas de técnico até integrar a comissão técnica de Tite e participar de um dos períodos mais vitoriosos da história do Corinthians.

“Eu sou abençoado”, comemorou. Carille relembrou os títulos conquistados ao lado do técnico da seleção brasileira e disse que a ficha ainda não caiu agora que venceu seu primeiro torneio como treinador. “Estou meio perdido ainda por tudo que está acontecendo na minha vida. É um sonho”.

Mesmo consagrado pela conquista do título paulista, Carille não acha que está com o emprego garantido. O técnico criticou o hábito dos clubes brasileiros de sempre se demitir o técnico quando a fase não é boa. “Sei que se tiver uma série de resultados ruins, vai acontecer o que acontece. Eu não concordo”, bradou.