Carille foi sondado por clubes da Série A, mas nem quis conversa

Em alta, treinador do Corinthians foi procurado por Atlético-MG e Flamengo, mas reafirmou seu compromisso com o líder do Brasileirão

Os bons resultados no comando do Corinthians no Campeonato Brasileiro fizeram com que Fábio Carille subisse de patamar. Se no fim do ano passado ele era apontado como um novato e “ex-aluno” de Tite, hoje é encarado como um exemplo de profissional moderno e se tornou alvo de cobiça de concorrentes do clube paulista.

Recentemente, pelo menos dois clubes brasileiros e um da China sondaram o treinador. O Atlético Mineiro, no fim do mês passado, antes de contratar Rogério Micale, chegou a entrar em contato com pessoas ligadas ao corintiano para saber a sua situação. O mesmo aconteceu recentemente com o Flamengo, mas em ambos os casos Fábio Carille sequer aceitou abrir negociação e reafirmou o seu compromisso com o Corinthians.

Uma pessoa ligada ao treinador confirmou que houve uma sondagem e explica que os interessados nem conseguiram fazer uma oferta financeira. “Quiseram saber a disponibilidade dele sair do Corinthians, mas a conversa foi cortada logo de cara. Ele já disse, várias vezes, que só deixa o Corinthians se for demitido e que está totalmente focado apenas no trabalho”, explicou a pessoa, que pediu anonimato.

Situação parecida ocorreu em junho, pouco antes da partida do Corinthians contra o Grêmio, quando representantes de um time da China sondaram o treinador e também não conseguiram ir adiante nas conversas. A proposta seria de um salário pelo menos cinco vezes maior do que ele recebe atualmente.

Apesar de todo assédio e da excelente campanha no comando do Corinthians, Fábio Carille tem contrato só até dezembro e ainda não foi chamado para tratar da renovação. Pouco antes da decisão do Campeonato Paulista, ele recebeu aumento salarial, mas continuou com o vínculo só até dezembro.

A diretoria do clube paulista e o treinador parecem demonstrar tranquilidade sobre o assunto, já que a tendência é que a renovação de contrato ocorra sem grandes dificuldades, pois há interesse de ambas partes. Embora a eleição para presidência do clube ocorra em fevereiro do ano que vem, a maior parte da oposição também entende que Carille é o nome ideal para a próxima temporada.

(com Estadão Conteúdo)