Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Campeonato Brasileiro de 2017 já tem nove técnicos demitidos

Em 12 rodadas disputadas no torneio nacional, equipes mudaram comando por maus resultados ou propostas de outros times. Veja a lista

A demissão de Eduardo Baptista pelo Atlético-PR, na manhã desta segunda-feira, é a segunda mudança de técnicos no clube paranaense em 2017, e a nona entre os times do Campeonato Brasileiro.  Na segunda rodada do torneio, Paulo Autuori deixou o cargo de treinador da equipe para assumir a posição de manager. Após a dispensa de Baptista, o dirigente também pediu para se desligar do clube.

Além do Atlético-PR, também fizeram mudanças em sua comissão técnica o Santos, Sport, Atlético-GO, Vitória, Bahia, São Paulo e Chapecoense. Os motivos vão desde os maus resultados a propostas para trocar de clube. Veja abaixo as alterações já realizadas neste Campeonato Brasileiro.

Santos – Dorival Júnior

O Santos demitiu Dorival Júnior no dia 4 de junho, após a derrota para o Corinthians por 2 a 0, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. O revés foi gota d’água para a diretoria. O motivo real que circulou nos bastidores foi um desgaste no relacionamento de Dorival com alguns jogadores do time. Elano treinou o time interinamente em duas partidas (com duas vitórias) e deu lugar a Levir Culpi.

Sport – Ney Franco

Ney Franco foi demitido no dia 24 de maio, após o Sport perder a final da Copa do Nordeste para o Bahia e o time conquistar apenas um ponto em duas rodadas do Campeonato Brasileiro. Em seu lugar entrou Vanderlei Luxemburgo, que em apenas uma partida sagrou-se campeão pernambucano, em vitória de 1 a 0 sobre o Salgueiro.

Atlético-GO – Marcelo Cabo

Com um desempenho de quatro derrotas em quatro jogos no Campeonato Brasileiro, o Atlético-GO demitiu o técnico Marcelo Cabo no dia 5 de junho. O clube goiano contratou Doriva, que segue no cargo apesar do time ainda estar em último lugar no torneio.

Vitória – Petkovic

O Vitória trocou seu comando na quarta rodada do Campeonato Brasileiro, no dia 4 de junho, com uma campanha de um empate e três derrotas. No entanto, o clube baiano não demitiu o sérvio Petkovic, então treinador, mas o alçou a diretor de futebol. Para o seu lugar chegou Alexandre Gallo.

Atlético-PR – Paulo Autuori

O Atlético-PR fez manobra semelhante à do Vitória. Paulo Autuori foi o treinador do clube paranaense até a segunda rodada do Campeonato Brasileiro (com duas derrotas) e passou ao cargo de manager. Eduardo Baptista, ex-Palmeiras, foi contratado para a posição de técnico.

Bahia – Guto Ferreira

Guto Ferreira deixou o Bahia após receber convite para treinar o Internacional na Série B do Campeonato Brasileiro. Até então, ele havia comandado o time baiano na primeira divisão em três rodadas, com uma vitória e duas derrotas. O tetracampeão mundial Jorginho foi escolhido como seu substituto.

São Paulo – Rogério Ceni

A aventura de Rogério como treinador terminou nesta segunda-feira, 3 de julho, um dia após a derrota por 2 a 0 para o Flamengo, na Ilha do Urubu. O ex-goleiro deixou o time paulista com 50,4% de aproveitamento: 14 vitórias, 13 empates e dez derrotas. Com Rogério, o time foi eliminado das primeiras competições do ano (Paulistão, Copa do Brasil e Sul-Americana) e ocupa a zona de rebaixamento do Brasileirão. 

Chapecoense – Vagner Mancini

O treinador escolhido para reestruturar a equipe depois da tragédia que matou 71 pessoas na Colômbia foi demitido após empate em 3 a 3 com o Fluminense. Com Mancini, o time rapidamente conseguiu bons resultados: foi campeão do Campeonato Catarinense e chegou a se classificar à segunda fase da Copa Libertadores matematicamente, mas foi eliminado por causa da escalação irregular do zagueiro Luiz Otávio. A Chape também começou bem o Brasileiro e chegou a liderar o campeonato nas primeiras rodadas, mas caiu nas últimas semanas. Sem vencer desde a sétima rodada (2 a 1 sobre o Vasco, em 14 de junho), a Chapecoense ocupa a 15ª colocação do Brasileirão, com 14 pontos. Mancini deixou a Chapecoense com 21 vitórias, 10 empates e 15 derrotas em 46 partidas.

Atlético-PR – Eduardo Baptista

Logo após a saída de Paulo Autuori do comando do clube paranaense, Eduardo Baptista assumiu o cargo. Entretanto, o novo treinador não acumulou bons resultados: em 13 jogos, foram cinco vitórias, três empates e cinco derrotas, e a demissão foi oficializada um dia após o empate em 1 a 1 com Chapecoense, pela 12ª rodada do Brasileiro.