Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Borja desencanta: ‘Não posso sair do Palmeiras como um perdedor’

Atacante colombiano disse que estilo de jogo do técnico Cuca, com excesso de cruzamentos, o prejudicava. "Foi muito difícil me adaptar"

Miguel Borja respirou aliviado após marcar um belo gol e encerrar jejum de quatro meses sem balançar as redes na vitória por 2 a 0 do Palmeiras sobre a Ponte Preta, nesta quinta-feira, no Pacaembu, pela 29ª rodada do Brasileirão. O atacante colombiano, que costumava evitar entrevistas, falou sobre as dificuldades de adaptação que vem enfrentando em sua primeira temporada no país.

“Tirei um peso, sem dúvidas, não é fácil. Tudo que vivi aqui no Brasil tem sido difícil”, admitiu o atacante de 24 anos, que chegou ao Palmeiras como contratação mais badalada, mas jamais conseguiu se firmar como titular. Borja considera o futebol brasileiro mais rápido e competitivo e reclamou da forma com que a equipe jogava, com cruzamentos excessivos.

“Na Colômbia, o time era totalmente diferente, a competição aqui é maior. Lá se jogava muito por dentro e aqui se joga mais pelos lados e isso me dificultou muito. Meu jogo é mais centralizado, por isso fui contratado, todos os gols que fiz na Colômbia, como contra o São Paulo na Libertadores, foram pelo meio. Mas tenho de me adaptar ao estilo de jogo do Palmeiras e estar atento aos cruzamentos”, afirmou.

Apesar das críticas ao estilo de jogo do demitido Cuca, Borja disse ter respeitado a opção do treinador de deixá-lo a maior parte da temporada no banco. “Acho que o Cuca tentou fazer de tudo para o Palmeiras ganhar. Respeito sua decisão, é um técnico campeão do Brasil, campeão de muitos torneios. Respeito muito isso.”

Borja se disse animado para a sequência do trabalho com o técnico Alberto Valentim (ainda tratado pela diretoria como “interino”) e acredita que pode deslanchar na reta final do Brasileirão. “Foi muito difícil me adaptar ao jogo brasileiro, que é mais rápido, mas agora com esse novo treinador estamos trabalhando para estar atentos a todos os movimentos dos meus companheiros e espero que venham muito mais gols. ”

Por fim, Borja negou a possibilidade de deixar o clube em 2018. “Tenho mais quatro anos de contrato e tenho a confiança da diretoria (…) Não posso sair do Palmeiras como um perdedor.” O Palmeiras pulou para o terceiro lugar do Brasileirão, com 50 pontos, nove a menos que o líder Corinthians, a nove rodadas do fim.