Best-seller chileno mistura futebol e literatura em crônicas

Roberto Meléndez fala do futebol chileno, de craques internacionais, futebol feminino e uma ideia social e universal do esporte

O advogado chileno Roberto Meléndez se recorda até hoje do dia em que sua página no Facebook, a Barrio Bravo, começou a despontar: era 24 de junho de 2015 e o Chile vencia por 1 a 0 o Uruguai pela Copa América em um jogo duríssimo. Com a vitória, os chilenos avançaram à semifinal e venceram o torneio pela primeira. Do sucesso da página surgiu a idéia do livro “Por que amamos a bola?”, que em um mês se tornou best-seller no país, como o livro de não-ficção mais vendido em junho.

“Por que amamos a bola” tem 34 crônicas divididas em três partes. A primeira trata do futebol internacional, com textos sobre Pelé, Ronaldo, Totti, Zidane, Messi entre outros. Um dos textos favoritos de Meléndez é sobre Garrincha, em que trata da decadência e dos últimos dias do jogador, com muitos detalhes de sua vida pessoal, dos amores e dos desencantos do maior ídolo do Botafogo.

A segunda parte trata do futebol chileno, com nomes históricos como Elias Figueroa, Marcelo Salas e Iván Zamorano, além de dar destaque para os triunfos da geração atual, que muitos veem como a melhor da história do país de 18 milhões de habitantes. Na terceira e última parte, traz uma ideia social e universal do esporte. O livro também tem trata do futebol feminino.

(com Estadão Conteúdo)