Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

Alemanha bate Chile e vence Copa das Confederações pela 1ª vez

Com gol marcado em falha de marcação da seleção chilena, os alemães garantiram o título do evento-teste para o Mundial da Rússia, no ano que vem

A Alemanha é campeã das Copa das Confederações pela primeira vez. Neste domingo, os atuais campeões do mundo venceram o Chile por 1 a 0 com um gol de Stindl, em falha feia do volante chileno Marcelo Díaz, e garantiram o primeiro título do torneio em sua história (a seleção alemã havia disputado a competição apenas uma vez, em 2005).

O título alemão mostra a força de uma seleção que tenta estabelecer a hegemonia no futebol mundial. utilizando uma equipe alternativa, apenas com revelações e jogadores sem espaço no time principal, os campeões bateram de frente com Portugal, Chile e México tendo sua força máxima. Assim, mirando a Copa da Rússia em 2018, revelações como Werner, Goretzka e o já experiente Draxler certamente ganharão espaço na sequência do time de Joachin Low.

O Chile entrou em campo mostrando a confiança que aparentou nas entrevistas coletivas antes da partida, quando Vidal afirmou que a Roja seria a melhor do mundo caso fosse campeã neste domingo. Pressionando o adversário, o time chileno criou boas oportunidades no início e sufocou os alemães, que foram obrigados a dar chutões na defesa.

Logo após uma oportunidade perdida pelo Chile, porém, Marcelo Díaz cometeu erro grosseiro e a Alemanha abriu o placar. O volante tentou girar na meia-lua defensiva, perdeu a bola para Werner, que ficou de frente para Bravo e só rolou para Stindl mandar para as redes.

Mesmo atrás no placar, o Chile teve dificuldade para implementar uma pressão no segundo tempo. Os sul-americanos só conseguiram começar a blitz pelo empate a partir da metade da etapa final, quando Ter Stegen mostrou segurança e parou os chutes de Vargas, Vidal e Sánchez.

O Chile ainda teve a vantagem de terminar os 90 minutos com 11 homens em campo. Na marca dos 20 minutos, Jara acertou uma cotovelada em Werner e a arbitragem não viu. Avisado pelo vídeo, o juiz reviu o lance, mas só puniu o zagueiro com o cartão amarelo.

Na reta final, o Chile até tentou pressionar pelo empate, mas não obteve sucesso. A Alemanha se fechou com a saída de Werner e a entrada de Enre Can, e chegou até mesmo a mostrar uma característica inédita de seu time: a catimba para parar o jogo. Com algumas confusões durante os 90 minutos, que renderam seis cartões amarelos, os jovens alemães mostraram uma maturidade acima do esperado e a fome para buscar ainda mais.

O jogo – O Chile começou a partida pressionando os alemães e teve sua primeira oportunidade logo aos quatro minutos. Vidal dominou pela esquerda e levantou para Aránguiz no meio da área. O meio-campista dominou bem e tentou a finalização, mas foi travado e rolou para Rei Arturo, que bateu firme e obrigou grande defesa de Ter Stegen

Com as duas equipes se estudando muito, a segunda grande oportunidade veio apenas aos 19 minutos. Vidal dominou na entrada da área, limpou a marcação com facilidade e bateu firme. Ter Stegen deu rebote e Sánchez chegou na bola, mas dividiu com o goleiro e não conseguiu finalizar.

No minuto seguinte, a punição chegou para os chilenos. Marcelo Díaz errou feio na saída de bola na meia-lua defensiva e perdeu para Werner. O centroavante ficou de frente para Cláudio Bravo, não foi fominha e só rolou para Stindl mandar para o gol vazio.

Após abrir o placar, a Alemanha passou a dominar as ações da partida. Antes do final do primeiro tempo, os europeus criara mais duas oportunidades com Goretzka e Draxler, em dois passes de Werner, o melhor em campo.

Já nos acréscimos, o Chile quase entregou mais um gol para os adversários. Jara tentou cruzar a área com um passe rasteiro e mandou nos pés de Draxler, que dominou e rolou para Goretzka. O meio-campista bateu rasteiro na saída de Bravo, mas o chileno fez a defesa.

FICHA TÉCNICA: CHILE 0 X 1 ALEMANHA

Local: Estádio de São Petersburgo, em São Petersburgo (Rússia)
Data: 2 de julho de 2017 (Domingo)
Horário: 15 horas (de Brasília)
Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia)
Assistentes: Milovan Ristic (Sérvia) e Dalibor Djurdjevic (Sérvia)
Público: 57.258 torcedores
Cartões amarelos: Vidal, Bravo e Jara (Chile); Kimmich, Rudy e Can (Alemanha)
Gol: Stindl, aos 20 minutos do primeiro tempo (Alemanha)

CHILE: Bravo, Isla, Medel, Jara e Beausejour; Marcelo Díaz (Leonardo Valencia), Aránguiz (Sagal), Arturo Vidal e Pablo Hernández; Eduardo Vargas (Puch) e Alexis Sánchez. Técnico: Juan Antonio Pizzi

ALEMANHA: Ter Stegen; Ginter, Mustafi e Rudiger; Kimmich, Rudy, Leon Goretzka (Sule), Jonas Hector e Draxler; Werner (Enre Can) e Stindl. Técnico: Joachim Low

(com Gazeta Press)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Inácio Nóbrega

    A Alemanha colocou um time de garotos, que nem reservas da seleção principal eram, para faturar essa Copa.Isso prova a superioridade do futebol europeu sobre as outras regiões.

    Curtir

  2. Isso comprova, mais uma vez, que não deu um apagão na seleção brasileira. Foi laço mesmo dos alemães pela incrível superioridade que estão apresentando.

    Curtir