Group 21 Copy 4 Created with Sketch.

A seleção de decepções da temporada europeia

PLACAR elege o time de atletas que prometeram muito e contribuíram pouco

A temporada europeia 2016/2017 praticamente terminou e muitos jogadores que chegaram ao velho continente sob grande expectativa terminaram o ano como enormes decepções. PLACAR montou uma seleção no esquema 4-4-2, com dois brasileiros que pouco jogaram e em nada contribuíram para as campanhas de suas equipes. Confira abaixo o time da desilusão:

CLAUDIO BRAVO (MANCHESTER CITY)

O treinador Pep Guardiola barrou o ídolo do time Joe Hart e exigiu a contratação do chileno que estava no Barcelona por sua qualidade com os pés. Bravo, no entanto, decepcionou justamente nessa função diversas vezes na temporada e jamais caiu nas graças da torcida do City.

ALVARO ARBELOA (WEST HAM)

Experiente lateral-direito com passagens por Liverpool e Real Madrid, Arbeloa chegou com certa badalação ao West Ham nesta temporada, mas, sofrendo com lesões, realizou apenas quatro partidas pelo clube, 12° colocado no Campeonato Inglês.

New way and new challenge! 💪⚒

A post shared by Álvaro Arbeloa (@17arbeloa) on

JOHN STONES (MANCHESTER CITY)

Stones foi contratado pelo Manchester City junto ao Everton por 55,6 milhões de euros, a quinta maior transferência desta temporada e a maior de um zagueiro na história. No entanto, só foi titular em 36 das 56 partidas do clube na temporada e não passou segurança.

John Stones, do Manchester City, durante partida contra o Liverpool, válida pela Premier League 2017

Foto: (Laurence Griffiths/Getty Images)

SHKODRAN MUSTAFI (ARSENAL)

Campeão do mundo com a seleção alemã em 2014, o jogador foi contratado pelo Arsenal por 41 milhões de euros para ajudar a defesa do clube, que decepcionou na temporada, ficando de fora da Liga dos Campeões pela primeira vez desde 1997/1998

Shkodran Mustaf, do Arsenal, durante partida contra o Bayern de Munique, válida pela UEFA Champions League 2017

Foto:. (Shaun Boterill/Getty Images)

LUCAS DIGNE (BARCELONA)

Contratado por 16,5 milhões de euros junto ao Paris Saint-Germain, o lateral francês não conseguiu tomar conta da posição na lateral esquerda do Barcelona. Foram só 26 jogos, 20 como titular, sem ameaçar efetivamente a vaga de Jordi Alba.

Lucas Digne, do Barcelona, durante partida contra o Villareal, válida pela Liga Espanhola 2017

Foto: (Alex Caparros/Getty Images)

RENATO SANCHES (BAYERN DE MUNIQUE)

Contratado pelo Bayern de Munique como grande revelação do futebol português, por 35 milhões de euros (podendo chegar a 45 milhões), o jogador revelado pelo Benfica fez 25 jogos na temporada, mas apenas nove como titular, e não marcou nenhum gol.

Renato Sanches, do Bayern de Munique, durante partida contra o Leipzig, válida pela Bundesliga 2017

Foto: (Hannibal Hanschke/Reuters)

ANDRÉ GOMES (BARCELONA)

Após boas temporadas no Valencia, Gomes chegou com moral ao clube catalão e recebeu chance em jogos importantes, mas jamais conseguiu convencer a torcida de que poderia substituir Ivan Rakitic ou Andrés Iniesta a altura. Fez 46 jogos, 27 como titular e marcou três gols.

André Gomes, do Barcelona, durante partida contra o Granada, válida pela Liga Espanhola 2017

Foto: (Aitor Alcade/Getty Images)

JOÃO MÁRIO (INTER DE MILÃO)

O meia português chegou a peso de ouro na Inter de Milão, mas o time realizou uma péssima temporada com ele. Contratado por 40 milhões de euros, João Mário fez 33 jogos e apenas três gols pelo clube na temporada. A Inter de Milão ficará em sétimo ou oitavo no Campeonato Italiano (resta uma rodada) e foi eliminado nas quartas de final da Copa Itália.

João Mário, do Internazionale, durante partida contra o ACF Fiorentina, válida pelo campeonato italiano 2017

Foto: (Gabriele Maltini/Getty Images)

PAULO HENRIQUE GANSO (SEVILLA)

Após um bom Campeonato Brasileiro de 2015 pelo São Paulo, o jogador teve sua primeira experiência na Europa nesta temporada, pelo Sevilla. Começou bem, mas depois irritou o treinador Jorge Sampaoli e perdeu espaço em 2017. Fez apenas 16 jogos, 10 como titular, com três gols marcados.

O jogador Paulo Henrique Ganso, do Sevilla, durante treino para partida contra o Deportivo Leganes, válida pela La Liga, realizada em Madri, na Espanha - 15/10/2016

Foto: (Power Sport Images/Getty Images)

GABIGOL (INTER DE MILÃO)

Gabigol chegou à Itália com grande expectativa, como atacante da seleção brasileira, campeão dos Jogos Olímpicos e artilheiro no Santos. Ele, porém, fecha a temporada como a grande decepção da Europa. Jogou apenas 184 minutos em dez jogos pelo clube e marcou só um gol. Para piorar, em seu último jogo, saiu revoltado com seu treinador, que cobrou uma punição ao brasileiro.

Inter de Milão confirmou a negociação nesta terça-feira, dia em que o atacante completa 20 anos

Foto: (inter.it/Reprodução)

THOMAS MÜLLER (BAYERN DE MUNIQUE)

O ídolo do Bayern de Munique e da seleção alemã viveu uma temporada fraca neste ano. Jogou 42 partidas, mas foi titular em 33 delas e marcou apenas nove gols. Na passada, marcou 32, e na retrasada fez 21.

Thomas Müller, do Bayern de Munique, durante partida contra o Mainz, válida pela Bundesliga 2017

Foto: (Christoff Stache/AFP)

ARSÈNE WENGER (ARSENAL)

Treinador do Arsenal desde a temporada 1996/1997, Wenger teve sua pior participação no Campeonato Inglês, com o quinto lugar, e, pela segunda vez, não classificou o clube para a Liga dos Campeões. A única vez em que isso acontecera foi na primeira temporada nele pelo clube, em que ficou em terceiro no Inglês e não classificou o time para o torneio europeu. Existe forte pressão da torcida para que ele deixe o cargo após 21 anos.

O técnico do Arsenal, Arsene Wenger - 03/09/2016

Foto: (Catherine Ivill - AMA/Getty Images)

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. José Carlos Lopes de Oliveira

    Uma correção. Esse tal de Gabigol, feito pela imprensa esportiva paulista, que não serve para nada, tem que ser chamado de GABIBANCO.

    Curtir