Por: James Della Valle - Atualizado em

Aramazenamento em nuvem: empresas oferecem opções gratuitas param quem quer ter acesso constante aos seus arquivos
Aramazenamento em nuvem: empresas oferecem opções gratuitas param quem quer ter acesso constante aos seus arquivos(Arte/VEJA)

O armazenamento de dados na nuvem nunca esteve tão em alta (deve-se escusar o trocadilho). E vai subir ainda mais. De acordo com a Forrester Research, empresa especializada em análise de mercado, em 2020, o setor deve movimentar mais de 240 bilhões de dólares no mundo. No ano passado, já foram 41 bilhões de dólares. Bom para o consumidor. Melhor ainda quando companhias de grande porte, como Apple e Google, decidiram oferecer suas nuvens (na verdade, seus servidores espalhados pelo mundo) para que consumidores depositem ali arquivos eletrônicos como textos, fotos, músicas, vídeos etc. - acessando-os ali a partir de qualquer dispositivo com acesso à web. Adeus, HD portátil.

Leia também:

Quadro: compare preço e capacidade dos serviços de armazenamento em nuvem

Lista: confira as características de cada serviço de armazenamento em nuvem

Nascidos com os primeiros serviços de e-mail pela internet, os serviços vêm sendo incrementados constantemente. Hoje, além do armazenamento remoto de arquivos propriamente, oferecem funcionalidades como compra de músicas e vídeos, compartilhamento de arquivos e ferramentas sofisticadas como editor de textos, imagens e planilhas on-line. Cinco grandes serviços disponíveis no mercado se destacam: Amazon Cloud Drive, Google Drive, Apple iCloud, Skydrive (Microsoft) e DropBox.

A estratégia dessas empresas consiste em atrair usuários oferecendo serviços gratuitos com capacidades limitadas. Quem quiser mais espaço na nuvem, é claro, precisa pagar. Os gigabytes extras são cobrados em planos mensais ou anuais, com base no perfil do consumidor. "Esses produtos nascem gratuitos para criar no usuário o hábito de armazenar todos os seus arquivos na nuvem. Quando ele se sentir seguro e confortável nesse modelo, provavelmente precisará de mais espaço: então, entram as assinaturas", diz Anderson Figueiredo, gerente de pesquisa e consultoria da IDC Brasil, empresa especializada em análise de mercados. "Antes de assinar qualquer plano, é conveniente testar todos para encontrar o melhor." Continue a ler a reportagem

Preços e capacidade dos serviços de armazenamento em nuvem
Serviço Capacidade de

armazenamento gratuito

Plano adicional

(por ano)*

Sistemas compatíveis
Dropbox 18 GB 99 dólares por 50 GB Windows, Mac OS, iOS, Android
Apple iCloud 5 GB 100 dólares por 50 GB Windows, Mac OS, iOS
Microsoft Skydrive 25 GB 25 dólares por 50 GB Windows, Mac OS, iOS
Google Drive 5 GB 60 dólares por 100 GB Windows, Mac OS, Android
Amazon Cloud Drive 5 GB 50 dólares por 50 GB Windows, Mac OS, Android
* A capacidade adicional adquirida é adicionada ao plano gratuito

Por trabalharem com a comercialização de conteúdos, Apple e Amazon aproveitam a "visita" do consumidor à nuvem para oferecer a venda de músicas e filmes digitalizados. Isso, é claro, dá maior rentabilidade aos serviços dessas empresas. As ofertas são feitas por meio de links e sugestões de produtos apresentados na interface dos programas.

Em meio a tantos recursos e atrações, o consumidor deve mesmo atentar é para a segurança dos serviços. Isso porque, de fato, a tendência é que a prática de armazenar arquivos pessoais e corporativos em nuvem cresça. É preciso, então, buscar os bons produtos. "Google, Microsoft, Apple e Amazon são reconhecidos por oferecer soluções seguras para grandes empresas", diz Figueiredo. Mesmo sem atender grandes empresas do mercado, o Dropbox também é reconhecido por oferecer sistemas de segurança avançados.

Em todos os casos, sem exceção, as companhias fazem cópias de segurança dos arquivos enviados, além de disponibilizar máquinas redundantes com conteúdo espelhado. Caso o servidor principal apresente problemas, os dados dos usuários podem ser recuperados a partir de outras máquinas - sem que o cliente perceba a mudança. Além disso, as contas e senhas dos sites são encriptados (alteração que deixa os dados inacessíveis para criminosos digitais).

Leia também:

Amazon anuncia serviço de busca em nuvem no Brasil

Google Docs X Office Web Apps: trabalhando na nuvem

Com iCloud, Apple inicia guerra na nuvem com Amazon

Google lançará serviço de armazenamento em nuvem

Microsoft lança versão empresarial do Office na nuvem

TAGs:
Amazon
Apple
Computação