Meio Ambiente

ONU adverte sobre perigo de resíduos eletrônicos

toxicewaste-afp-300.jpg

(AFP/VEJA)

O drástico crescimento da quantidade de lixos eletrônicos (como computadores e telefones celulares antigos) provocará graves problemas sanitários e ambientais se não forem tomadas medidas urgentes de reciclagem, advertiu nesta segunda-feira a Organização das Nações Unidas (ONU).

"As vendas de produtos eletrônicos em países como China e Índia e nos continentes africano e sul-americano devem aumentar fortemente nos próximos dez anos", prevê um informe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

"Se não for iniciada uma política para coletar e reciclar estes equipamentos, muitos países vão ter montanhas de dejetos eletrônicos perigosos, com graves repercussões para o meio ambiente e a saúde pública", alerta o relatório.

A quantidade de resíduos resultantes de computadores deve crescer cerca de 500% na Índia e entre 200 e 400% na África do Sul e na China, na comparação com 2007. A progressão será também considerável para os telefones celulares, televisões e geladeiras.

A China já produz cerca de 2,3 milhões de toneladas de resíduos eletrônicos anuais, atrás apenas dos Estados Unidos (3 milhões). Uma grande quantidade desse lixo "não é tratado devidamente", aponta a ONU.

Para Achim Steiner, diretor do PNUMA, a "China já não está sozinha para enfrentar esse imenso desafio", que também inclui "Brasil, Índia, México e outros países".

Ele afirma que é muito importante que métodos de reciclagem que "ofereçam o potencial de gerar empregos, reduzir as emissões de gases de efeito estufa e recuperar importantes quantidades de metais, como a prata, o ouro e o cobre" sejam adotados imediatamente.

Os equipamentos eletrônicos atuais são integrados por até 60 componentes diferentes. Os telefones e os computadores portáteis consomem 3% do ouro e da prata extraídos durante o ano.

(Com agência France-Presse)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados