Mais Lidas

  1. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  2. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  3. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  4. Marcola quer fazer botox

    Brasil

    Marcola quer fazer botox

  5. Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

    Esporte

    Felipe Melo entra de sola e detona comentarista Neto

  6. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  7. Irmãs tramam pelo WhatsApp assalto ao próprio pai no interior de São Paulo

    Brasil

    Irmãs tramam pelo WhatsApp assalto ao próprio pai no interior de...

  8. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

ONU adverte sobre perigo de resíduos eletrônicos

- Atualizado em

toxicewaste-afp-300.jpg
(AFP/VEJA)

O drástico crescimento da quantidade de lixos eletrônicos (como computadores e telefones celulares antigos) provocará graves problemas sanitários e ambientais se não forem tomadas medidas urgentes de reciclagem, advertiu nesta segunda-feira a Organização das Nações Unidas (ONU).

"As vendas de produtos eletrônicos em países como China e Índia e nos continentes africano e sul-americano devem aumentar fortemente nos próximos dez anos", prevê um informe do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

"Se não for iniciada uma política para coletar e reciclar estes equipamentos, muitos países vão ter montanhas de dejetos eletrônicos perigosos, com graves repercussões para o meio ambiente e a saúde pública", alerta o relatório.

A quantidade de resíduos resultantes de computadores deve crescer cerca de 500% na Índia e entre 200 e 400% na África do Sul e na China, na comparação com 2007. A progressão será também considerável para os telefones celulares, televisões e geladeiras.

A China já produz cerca de 2,3 milhões de toneladas de resíduos eletrônicos anuais, atrás apenas dos Estados Unidos (3 milhões). Uma grande quantidade desse lixo "não é tratado devidamente", aponta a ONU.

Para Achim Steiner, diretor do PNUMA, a "China já não está sozinha para enfrentar esse imenso desafio", que também inclui "Brasil, Índia, México e outros países".

Ele afirma que é muito importante que métodos de reciclagem que "ofereçam o potencial de gerar empregos, reduzir as emissões de gases de efeito estufa e recuperar importantes quantidades de metais, como a prata, o ouro e o cobre" sejam adotados imediatamente.

Os equipamentos eletrônicos atuais são integrados por até 60 componentes diferentes. Os telefones e os computadores portáteis consomem 3% do ouro e da prata extraídos durante o ano.

(Com agência France-Presse)