Tarja para tema de chuvas

Chuvas no Rio

Parentes usam redes sociais para ter notícias da família

Orkut, Twitter e Facebook viram ferramentas de comunicação em meio ao caos que assola a região serrana do Rio de Janeiro

Renata Honorato
Foto aérea mostra deslizamento de terra em Nova Friburgo, Rio de Janeiro

Foto aérea mostra deslizamento de terra em Nova Friburgo, Rio de Janeiro (Shana Reis/Reuters)

Orkut, Facebook e Twitter se transformaram em importantes aliados aos parentes que sofrem com a falta de comunicação em Nova Friburgo, Teresópolis e Petrópolis, municípios da região serrana do Rio de Janeiro arrasados pela chuva. A falta de energia elétrica e telefone impede que parentes tenham informações sobre pessoas da família que moram nos locais atingidos. No intuito de conseguir qualquer notícia, muitas pessoas usam as redes sociais para pedir ajuda na localização da família ou mesmo para divulgar locais onde estão sendo coletados donativos. Confira, a seguir, a movimentação de cada rede:     

- Facebook 

O Facebook está sendo usado para a troca de mensagens entre conhecidos. Na madrugada desta quinta-feira, por exemplo, a usuária carioca Maria Fernanda Macedo entrou em contato com um amigo para pedir ajuda. "Sabe onde me informo sobre nomes das vítimas?", perguntou. Horas antes, Macedo usou a rede para tranquilizar outros membros da família: "Consegui notícias do meu pai!", escreveu. 

Samantha Salomão, que mora em São Paulo e cuja família vive na região atingida, precisou alugar um helicóptero nesta quinta-feira para resgatar parentes. Como muitas estradas permaneceram fechadas por longos períodos por conta de alagamentos e desmoronamentos, o acesso ao local é muito precário. "Nada chega lá, nem do Rio nem de Terê (Teresópolis). Vamos resgatar minha família de helicóptero, que parece ser o único jeito seguro de acessar a cidade", disse no Facebook.     

Já Aline Onofre, que mora na região oceânica de Niterói, aproveitou a repercussão da rede social para dar uma boa notícia. "Soninha está bem e toda família também", informou, no perfil de um amigo. 

- Orkut 

No Orkut, a busca de informações se concentrou nas comunidades de Nova Friburgo e Teresópolis. Foi através dos tópicos "Enchente 11/01/2011" e "Que chuva é essa?" que muitos internautas pediram ajuda na maior rede social do país. O usuário Marcos, por exemplo, publicou: "Favor informar notícias da família de João do Canto". Já a internauta Letícia usou a comunidade para solicitar informações sobre Campo do Coelho, no município de Sumidouro. 

Telefones fixos e celulares ainda permanecem instáveis da região. Para tentar tranquilizar os parentes, o usuário M. pediu para que membros da comunidade ligassem para sua irmã, uma das moradoras de Teresópolis. Solícitos, muitos internautas tentaram entrar em contato com a jovem, mas por conta dos problemas de comunicação foi impossível conseguir qualquer notícia. 

Cristiano, um integrante do Orkut, usou as comunidades para pedir doações. "Muitas pessoas estão precisando de água potável e material de limpeza. Voluntários também são bem-vindos. Há muitas bolsas de doações que precisam ser abertas e separadas", afirmou na rede.         

- Twitter 

É através do microblog que pessoas de todo o país prestam solidariedade às vítimas do desastre. Às 15h00, pelo menos 14.000 mensagens com a hashtag #chuvasrj circulavam pelo Twitter. Já às 17h00, cerca de 70.000 tweets com a hashtag #friburgo eram publicados. 

A repercussão acerca do desastre, que já deixou mais de 400 mortos, levou os termos para os trending topics nacionais (assuntos populares) na tarde desta quinta-feira.  

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados