Mais Lidas

  1. Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

    Entretenimento

    Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

  2. Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se revoltam

    Mundo

    Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se...

  3. Falta uma semana para descermos a rampa com Dilma, diz ex-ministro

    Brasil

    Falta uma semana para descermos a rampa com Dilma, diz ex-ministro

  4. Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução de ministérios

    Brasil

    Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução...

  5. STF arquiva acusação de Delcídio contra Dilma por caso Pasadena

    Brasil

    STF arquiva acusação de Delcídio contra Dilma por caso Pasadena

  6. Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

    Entretenimento

    Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

  7. Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

    Brasil

    Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

  8. Corinthians decepciona em casa e cai na Libertadores

    Esporte

    Corinthians decepciona em casa e cai na Libertadores

China censura microblogs por ‘rumores sobre golpe'

Em meio a crise política, Pequim aumenta rigidez contra troca de informações

- Atualizado em

Chinês acessa a internet em um computador
Regime chinês ordenou o bloqueio dos comentários nas redes sociais mais populares do país(Reuters/VEJA)

Os dois principais serviços de microblog na China, Sina Weibo e QQ Tencent, suspenderam no sábado a possibilidade de que seus usuários subam comentários, oficialmente para combater "boatos" que estariam se alastrando na rede.

Tanto o Weibo quanto o QQ são versões chinesas de redes sociais ocidentais, como Twitter, Facebook e MSN - todas bloqueadas pela censura no país asiático. Juntos, os dois serviços têm mais de 300 milhões de usuários.

Rumores - Weibo e QQ afirmam em seus sites que a medida permanecerá em vigor até 3 de abril, terça-feira. A agência de notícias oficial do governo, Xinhua, informou que a decisão de abolir temporariamente o espaço para comentários nos sites serve para "limpar rumores inventados e outras informações ilegais espalhadas pela rede".

De acordo com a Xinhua, as autoridades derrubaram outros dezesseis sites e prenderam seis pessoas por espalharem boatos sobre um possível golpe em Pequim, com direito a relatos de "veículos militares entrando na capital".

Crise - O recrudescimento das medidas de censura do governo acontecem em meio a uma crise política escancarada pela surpreendente queda de Bo Xilai, chefe do Partido Comunista do município autônomo de Chongqing e um dos mais influentes políticos da China.

O afastamento de Xilai incendiou a internet chinesa com rumores sobre as divisões internas e o futuro do Partido Comunista Chinês e obrigou o regime de Pequim a bloquear todas as buscas ao nome do político na web.

(Com agência France-Press)

TAGs:
China
Censura