Mais Lidas

  1. TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

    Brasil

    TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

  2. Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

    Brasil

    Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

  3. Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína Paschoal

    Brasil

    Não há elementos para impeachment de Michel Temer, diz Janaína...

  4. Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de agredir esposa

    Brasil

    Janaína Paschoal se exalta ao defender procurador acusado de...

  5. MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

    Brasil

    MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

  6. Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de denúncia na Câmara

    Brasil

    Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de...

  7. Homem vestido de panda ameaça explodir emissora de TV nos EUA

    Mundo

    Homem vestido de panda ameaça explodir emissora de TV nos EUA

  8. Temer diz que não será candidato em 2018

    Brasil

    Temer diz que não será candidato em 2018

Violência psicológica mais comum é cometida por familiares

É o caso de 1.276 histórias classificadas como exemplos de violação de direitos

- Atualizado em

Violência psicológica mais comum é cometida por familiares
(Digital Vision/VEJA)

Quando o assunto é violação de direitos de crianças e adolescentes, a violência psicológica cometida por familiares lidera o ranking. De acordo com um estudo - que analisou 2.421 relatos coletados no Brasil sobre a aplicação do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) -, 36% das 1.276 histórias classificadas como exemplos de violação de direitos são ações realizadas por parentes ou responsáveis legais das vítimas.

Segundo o levantamento, os outros quatro tipos de violação de direitos mais frequentes são a privação do direito de alimentação, o abandono, a violência física cometida por familiares ou responsáveis e a violação ao direito de higiene.

A pesquisa mostra ainda que o abuso sexual cometido por familiares ou responsáveis e por não familiares é maior no caso de crianças e adolescentes do sexo feminino. Os meninos, por sua vez, são mais frequentemente violados no que se refere aos direitos de alimentação, educação e abandono.

Realizado pela equipe técnica do Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor), com apoio da Secretaria de Direitos Humanos, o estudo contou com a cessão do acervo do concurso "Causos do ECA", do portal Pró-Menino. Ele abarca narrativas reais inscritas em concursos realizados entre 2005 a 2009.

Os resultados completos constam no livro Retratos dos Direitos da Criança e do Adolescente no Brasil: Pesquisa de Narrativas Sobre a Aplicação do ECA.

TAGs:
Criança