Estudo

Violência psicológica mais comum é cometida por familiares

É o caso de 1.276 histórias classificadas como exemplos de violação de direitos

Violência psicológica mais comum é cometida por familiares

(Digital Vision/VEJA)

Quando o assunto é violação de direitos de crianças e adolescentes, a violência psicológica cometida por familiares lidera o ranking. De acordo com um estudo - que analisou 2.421 relatos coletados no Brasil sobre a aplicação do ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente) -, 36% das 1.276 histórias classificadas como exemplos de violação de direitos são ações realizadas por parentes ou responsáveis legais das vítimas.

Segundo o levantamento, os outros quatro tipos de violação de direitos mais frequentes são a privação do direito de alimentação, o abandono, a violência física cometida por familiares ou responsáveis e a violação ao direito de higiene.

A pesquisa mostra ainda que o abuso sexual cometido por familiares ou responsáveis e por não familiares é maior no caso de crianças e adolescentes do sexo feminino. Os meninos, por sua vez, são mais frequentemente violados no que se refere aos direitos de alimentação, educação e abandono.

Realizado pela equipe técnica do Ceats (Centro de Empreendedorismo Social e Administração em Terceiro Setor), com apoio da Secretaria de Direitos Humanos, o estudo contou com a cessão do acervo do concurso "Causos do ECA", do portal Pró-Menino. Ele abarca narrativas reais inscritas em concursos realizados entre 2005 a 2009.

Os resultados completos constam no livro Retratos dos Direitos da Criança e do Adolescente no Brasil: Pesquisa de Narrativas Sobre a Aplicação do ECA.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados