Mais Lidas

  1. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  2. Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

    Brasil

    Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

  3. 'Game of Thrones' pode mostrar cena decisiva no próximo episódio

    Entretenimento

    'Game of Thrones' pode mostrar cena decisiva no próximo episódio

  4. Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

    Entretenimento

    Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

  5. Justiça nega recurso do WhatsApp e mantém bloqueio por 72 horas

    Vida Digital

    Justiça nega recurso do WhatsApp e mantém bloqueio por 72 horas

  6. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  7. Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a Dilma

    Brasil

    Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a...

  8. Criador do WhatsApp critica novo bloqueio do aplicativo no Brasil

    Vida Digital

    Criador do WhatsApp critica novo bloqueio do aplicativo no Brasil

Saiba por que a hepatite C é tão perigosa

A doença atinge principalmente dependentes químicos que compartilham seringas e pessoas que fazem tatuagens e piercings. Mas existe outro grupo de risco insuspeito

- Atualizado em

A hepatite C é considerada a mais perigosa das hepatites. A razão é que ela se torna crônica em pelo menos 75% dos casos, um índice altíssimo. Para se ter uma ideia, somente 10% dos infectados pela hepatite B, a segunda mais perigosa, se tornam doentes crônicos. Não existe vacina disponível para a hepatite C e os remédios para tratá-la geralmente têm fortes efeitos colaterais. Além disso, muitas vezes ela não se manifesta de forma grave, e não apresenta sintomas nas pessoas infectadas durante anos. Mesmo assim ela continua trazendo prejuízos e cerca de 20% dos pacientes acabam desenvolvendo cirrose ou até um câncer no fígado. Apesar da doença atingir principalmente dependentes químicos que compartilham seringas e pessoas que fazem tatuagens e piercings, existe outro grupo de risco que muitas vezes nem desconfia ter o vírus: o de pessoas acima dos 50 anos. Como até o final da década de 80 nem se sabia da existência da hepatite C, não havia testes para detectar o vírus no sangue, e os padrões de segurança das transfusões não eram tão rigorosos quanto hoje. "Por isso, todo mundo que recebeu sangue antes de meados da década de 90 deve fazer um exame", afirma o médico Evaldo Stanislau A. de Araújo, infectologista do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.

(Com reportagem de Natalia Cuminale)

*O conteúdo destes vídeos é um serviço de informação e não pode substituir uma consulta médica. Em caso de problemas de saúde, procure um médico.

TAGs:
Fígado
Hepatite
Vírus
Pergunte ao Médico