Mais Lidas

  1. Emerson Fittipaldi se afunda em dívidas e tem carros de corrida apreendidos

    Esporte

    Emerson Fittipaldi se afunda em dívidas e tem carros de corrida...

  2. Teori nega liminar em processos que pediam suspensão da nomeação de Lula

    Brasil

    Teori nega liminar em processos que pediam suspensão da nomeação de...

  3. Empresário ligado ao caso Celso Daniel nega chantagem a Lula, Dirceu e Carvalho

    Brasil

    Empresário ligado ao caso Celso Daniel nega chantagem a Lula,...

  4. Impeachment: Cunha diz que defesa de Dilma mente

    Brasil

    Impeachment: Cunha diz que defesa de Dilma mente

  5. Senador aliado de Temer sugere novas eleições

    Brasil

    Senador aliado de Temer sugere novas eleições

  6. Em defesa de Dilma, Cardozo fala em golpe e questiona legitimidade de Temer

    Brasil

    Em defesa de Dilma, Cardozo fala em golpe e questiona legitimidade...

  7. A volta da Esquina do Medo

    Brasil

    A volta da Esquina do Medo

  8. Ashton Kutcher dubla Sérgio Reis em vídeo da Netflix

    Entretenimento

    Ashton Kutcher dubla Sérgio Reis em vídeo da Netflix

Oito regras para ganhar massa muscular

Algumas medidas ajudam a aumentar os músculos, entre elas seguir uma alimentação adequada e exercitar-se no mínimo três vezes por semana

Por: Vivian Carrer Elias - Atualizado em

Massa muscular: manter a frequência da atividade física é um dos segredos para aumentar os músculos
Massa muscular: manter a frequência da atividade física é um dos segredos para aumentar os músculos(Thinkstock/VEJA)

Os benefícios do ganho de massa muscular vão muito além da estética. O tecido da chamada massa magra apresenta uma atividade metabólica mais acelerada do que a do tecido gorduroso. Portanto, quanto maior o aumento da massa muscular, mais acelerado será o seu metabolismo, o que impacta positivamente todas as funções fisiológicas do organismo: do sono à eliminação de gordura corporal e controle do colesterol.

Porém, engana-se quem pensa que a gordura é capaz de se transformar em músculo e vice-versa. Ou seja: emagrecer não implica necessariamente ganho de músculos. "São dois processos diferentes, e os estímulos que levam a cada resultado são distintos", explica o fisiologista da Unifesp Turíbio Leite de Barros. "Queimar calorias exige um aumento do metabolismo de todo o corpo, que usa o seu combustível para remover a gordura estocada. E isso acontece com os exercícios aeróbicos."

O processo do corpo que leva ao aumento da massa muscular, por outro lado, acontece dentro das células do músculo. Quando uma pessoa realiza um exercício de força em um determinado grupo muscular, ela ativa enzimas presentes dentro dessas células que são responsáveis pela síntese de proteína. "Com as enzimas trabalhando em ritmo mais acelerado, aumenta-se a velocidade da síntese de proteínas. E essas proteínas são o que chamamos depois de massa muscular", diz Barros.

Bom para todos - Segundo o médico, todas as pessoas têm condições de aumentar a massa muscular, mas não na mesma intensidade. "Existem diferenças genéticas que aumentam ou diminuem a propensão a ganhar músculos. A genética de cada um leva a resultados diferentes, mesmo que dois indivíduos sigam o mesmo programa de atividades", diz. Uma maior ou menor propensão a engordar, no entanto, não interfere na capacidade de uma pessoa aumentar sua massa muscular. "Há pessoas com facilidade para emagrecer que, no entanto, têm dificuldades em aumentar os músculos, por exemplo", explica Barros.

Para especialistas, uma pessoa que segue as recomendações para ganho de massa muscular apresenta resultados visíveis após, em média, oito a dez semanas. No entanto, alcançar os objetivos não significa que uma pessoa possa deixar de praticar exercícios físicos sem perder o que foi conquistado. "É difícil determinar quando uma pessoa começa a perder massa muscular depois de deixar de se exercitar, mas é muito rápido. Os músculos não se mantêm como estão espontaneamente."

Oito regras para conquistar músculos

Fontes: Turíbio Leite de Barros, fisiologista do Instituto Vita e da Unifesp, e Vladimir Bonilha Modolo, educador físico e mestre em fisiologia pela Unifesp

TAGs:
Atividade Física
Musculação