Câncer

Prevenção

Exame de sangue pode detectar risco de câncer oral causado pelo HPV

Anticorpos específicos que agem contra o vírus podem ser detectados no sangue mais de dez anos antes do aparecimento de sintomas do câncer oral

HPV16: a cepa do vírus, quando transmitida pelo sexo oral, é a principal causadora do câncer de boca

HPV16: a cepa do vírus, quando transmitida pelo sexo oral, é a principal causadora do câncer de boca (Latinstock)

Pesquisadores acreditam que um simples exame de sangue será capaz de, no futuro, detectar quais pessoas apresentam um risco alto de câncer de boca causado pelo papilomavírus humano, o HPV, quando transmitido por meio do sexo oral. Isso porque um novo estudo da Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer (Iarc, sigla em inglês) descobriu que a presença de determinados anticorpos no sangue de uma pessoa pode acusar o câncer anos antes de a doença se instalar.

CONHEÇA A PESQUISA

Título original: Evaluation of Human Papillomavirus Antibodies and Risk of Subsequent Head and Neck Cancer

Onde foi divulgada: periódico Journal of Clinical Oncology

Quem fez: KAimée R. Kreimer, Mattias Johansson, Tim Waterboer, Rudolf Kaaks, Jenny Chang-Claude, Dagmar Drogen, Anne Tjønneland, Kim Overvad, J. Ramón Quirós, Paul Brennan e outros

Instituição: Agência Internacional para a Pesquisa do Câncer e outros

Dados de amostragem: 50.000 pessoas monitoradas desde a década de 1990

Resultado: As pessoas podem apresentar anticorpos E6, que lutam contra o HPV16, a principal cepa do vírus relacionada ao câncer de boca, até 12 anos antes de virem a apresentar sintomas desse câncer. Um exame de sangue que detecta a presença de tais anticorpos pode ser, no futuro, usado para prevenir o avanço da doença.

A pesquisa da Iarc, que é um órgão ligado à Organização Mundial da Saúde (OMS), será publicada no periódico Journal of Clinical Oncology. “Até agora, não se sabia se esses anticorpos estavam presentes no sangue antes que o câncer se tornasse clinicamente detectável. Se esses resultados se confirmarem, futuras ferramentas de triagem poderão ser desenvolvidas para a detecção precoce da doença”, diz Paul Brennan, coordenador do estudo. “Quanto mais precoce for a detecção, melhor o tratamento e maior a sobrevivência.”

Um vírus, muitas doenças — O HPV é mais conhecido por causar cânceres genitais e de colo do útero, mas ele é também responsável por um número crescente de casos de boca e garganta, especialmente entre homens. Segundo a AIPC, cerca de 30% de todos os cânceres orais estão relacionados ao HPV. Neste mês, o ator norte-americano Michael Douglas revelou que o câncer de garganta que o acometeu foi causado pelo HPV transmitido via sexo oral.

A nova pesquisa da Iarc, que teve participação de especialistas de institutos da Alemanha e dos Estados Unidos, usou dados de 50.000 pessoas de dez países europeus que foram monitoradas desde a década de 1990. Os pesquisadores observaram que, de 135 pessoas do estudo que desenvolveram câncer, 47 (cerca de um terço) apresentavam anticorpos E6 contra o HPV16, a principal cepa do vírus relacionada ao câncer de boca, até 12 anos antes do surgimento de sintomas da doença.

De acordo com Brennan, o exame usado no estudo é relativamente simples e barato, e pode ser desenvolvido como uma ferramenta para uso mais generalizado dentro de cinco anos, caso os resultados se confirmem em novos estudos. O pesquisador alertou, no entanto, que é preciso melhorar a precisão dos testes, já que houve na pesquisa cerca de 1% de “falsos positivos” para o anticorpo do HPV16.

(Com agência Reuters)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados