Câncer

Oncologia

Ômega-3 não ajuda a prevenir câncer, diz estudo

Levantamento com mais de 2.500 pessoas não demonstrou eficácia do uso de suplementos de vitaminas B e de ômega na ocorrência de câncer

Prevenção: pesquisa aponta que ingestão de ácidos graxos com ômega-3 não ajudam a evitar o câncer

Prevenção: pesquisa aponta que ingestão de ácidos graxos com ômega-3 não ajudam a evitar o câncer (Thinkstock/VEJA)

Tratamentos à base de vitaminas B ou de suplementos de ácidos graxos com ômega-3 não reduzem o risco de câncer. De acordo com um estudo feito com mais de 2.500 pessoas na França e publicado no periódico médico Archives of Internal Medicine, as duas substâncias não se mostraram benéficas no tratamento da doença.

"Esperávamos descobrir uma ação benéfica dos suplementos contra o risco de câncer", disse Valentina Andreeva, autora do estudo e pesquisadora da Universidade de Paris. "Ao contrário, não constatamos nenhum efeito desses suplementos." Pesquisas anteriores sugeriam que as vitaminas B poderiam proteger as pessoas do câncer, principalmente o câncer colorretal, embora nem todos os estudos concordassem.

Pesquisa - O objetivo original do estudo de Valentina era testar o efeito da ingestão de ácidos graxos com ômega-3, vitaminas B ou ambos contra doenças cardiovasculares em pessoas com um histórico de enfarte ou derrame. Para compreender melhor se os suplementos poderiam ter efeitos adicionais, o grupo reuniu também informações sobre o número de pacientes submetidos ao teste que desenvolveram câncer.

Os voluntários foram, então, divididos em quatro grupos: um tomou duas pílulas de vitamina B por dia; outro grupo, duas pílulas de ácidos graxos com ômega-3; um terceiro tomou ambos os suplementos; e um quarto tomou placebos semelhantes aos suplementos. As vitaminas B eram uma mistura de 3 mg de B6, 0,02 mg de B12 e 0,5 mg de ácido fólico.

Aos participantes que deviam tomar os ácidos graxos com ômega-3 foram ministrados 600 mg por dia. Por cerca de cinco anos, Valentina e seus colegas do Instituto Nacional de Pesquisas Médicas da França acompanharam os diagnósticos de câncer entre os sujeitos do teste.

Das mais de 2.000 pessoas que concluíram o estudo, 175 desenvolveram câncer e 58 morreram por causa dessa doença. Os voluntários de ambos os grupos que tomaram os suplementos de vitamina B apresentaram o mesmo risco de câncer que aquelas que tomaram placebo. Os resultados confirmam um estudo maior, realizado entre sobreviventes de ataques cardíacos, que também demonstrava que as vitaminas B foram ineficientes na redução do risco de câncer.

Confira o cardápio ideal contra o câncer:

Leia também: 'O Brasil precisa se antecipar à epidemia do câncer'

(Com Agência Estado)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados