Mais Lidas

  1. Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

    Entretenimento

    Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

  2. Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se revoltam

    Mundo

    Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se...

  3. Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução de ministérios

    Brasil

    Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução...

  4. Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

    Entretenimento

    Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

  5. Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

    Brasil

    Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

  6. STF arquiva acusação de Delcídio contra Dilma por caso Pasadena

    Brasil

    STF arquiva acusação de Delcídio contra Dilma por caso Pasadena

  7. Falta uma semana para descermos a rampa com Dilma, diz ex-ministro

    Brasil

    Falta uma semana para descermos a rampa com Dilma, diz ex-ministro

  8. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

Como parar de fumar sem engordar?

Por: Cecília Araújo - Atualizado em

Quando uma pessoa fuma, seu coração passa a bater mais rapidamente e sua frequência respiratória aumenta. Substâncias presentes no cigarro, principalmente a nicotina, são responsáveis por acelerar o metabolismo, provocando essas alterações. O calor produzido no processo leva a um discreto incremento na queima de calorias pelo organismo. A nicotina também diminui as sensações de paladar e olfato temporariamente, reduzindo assim a vontade de comer. Vem daí um efeito conhecido - e reconhecido pelos especialistas: ao livrar-se do cigarro, o ex-fumante tende a ganhar peso.

Apenas 72 horas após o último cigarro, há uma renovação das glândulas salivares e olfativas, que passam a "reconhecer" melhor o sabor e o aroma dos alimentos. "Como a comida fica mais saborosa, os ex-fumantes, principalmente os mais ansiosos, acabam atacando a geladeira", explica a pneumologista Camille Rodrigues da Silva, autora do livro Apague o Cigarro de Sua Vida. "O hábito de ocupar a boca com o cigarro é substituído pela vontade de mastigar constantemente um alimento, ou seja, ingerir calorias".

De acordo com a médica, a cada dez mulheres que tentam largar o cigarro, sete se preocupam com os quilinhos que podem ganhar. "Devido a esse medo, acabam adiando a data de parar de fumar. As jovens são ainda mais sensíveis: várias engordam depois de deixar o cigarro e, por esse motivo, voltam a fumar", conta.

Balança - Mas é possível controlar esse processo com tratamentos que incluem acompanhamento nutricional e psicológico e prática esportiva. "Cerca de 80% dos fumantes de que trato não engordam mais do que quatro quilos, média aceitável nesse caso", diz a psicóloga Silvia Cury Ismael, coordenadora do Programa de Assistência Integral ao Fumante do Hospital do Coração de São Paulo.

O trabalho da psicóloga é controlar a ansiedade dos ex-fumantes, responsável pela substituição do cigarro pela comida. "A ideia é fazer com que a pessoa compreenda como funciona sua dependência e, a partir daí, aprenda a lidar com a falta do cigarro. Assim, ela consegue adquirir um controle maior de suas vontades", diz.

Apesar da ênfase no acompanhamento psicológico, o procedimento não abre mão do uso de medicamentos, que ajudam a controlar a abstinência do cigarro e o desejo intenso de comer doce nos primeiros meses longe do cigarro. "Só depois de três meses a pessoa está fortalecida o suficiente para encarar a ausência do cigarro sozinha", afirma.

A atividade física também pode ser uma aliada importante. "A prática melhora a disposição e a sensação de bem-estar e, consequentemente, a vontade de parar de fumar, renovando a qualidade de vida do indivíduo", diz o endocrinologista Alfredo Halpern, chefe do Grupo de Obesidade e Síndrome Metabólica do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP).

O curioso é que, nesses casos, o esporte funciona como um verdadeiro substituto do cigarro: diminui a ansiedade, faz perder peso, melhora a circulação do corpo, o metabolismo, a digestão, a expansão pulmonar, além de liberar endorfina, que dá prazer à pessoa. "Além disso, o exercício físico colabora para uma noção maior de como se alimentar de maneira mais saudável e menos calórica", completa Silvia.

TAGs:
Atividade Física
Dietas
Psicologia
Tabagismo
Cigarro