- Atualizado em

Whey protein: De 25 marcas testadas pela Anvisa, 20 foram punidas
Em fevereiro, a Anvisa havia determinado a proibição do mesmo lote de whey protein(Thinkstock/VEJA)

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) proibiu a distribuição e comercialização do lote 003522 2 do suplemento proteico para atletas, sabor baunilha, da marca Super Whey 3W, da empresa Integralmédica. A decisão foi publicada em resolução no Diário Oficial da União desta sexta-feira.

A Anvisa explica que o produto foi proibido após análise laboratorial detectar quantidade de carboidratos superior, em mais de 20%, ao valor declarado no rótulo do produto. O suplemento tem data de validade até abril de 2015. Em 27 de fevereiro de 2014, a agência já havia determinado a proibição deste lote, mas a empresa comprovou ter solicitado perícia de contraprova dentro do prazo previsto em lei. Após essa contraprova, o produto passou por uma terceira análise, a de testemunho.

O laudo, emitido pelo Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo, comprovou o resultado insatisfatório para a concentração de carboidrato, de acordo com a agência. O suplemento apresentou 3,65 gramas de carboidratos na porção - mais que o valor de 2,2 gramas declarado na rotulagem.

Leia também:

Anvisa proíbe venda de mais uma marca de whey protein

Anvisa proíbe venda de quatro suplementos alimentares para atletas

Com a proibição, o lote não deve ser comercializado. Os produtos que ainda estão no mercado serão recolhidos pela Vigilância Sanitária. Os consumidores que adquiriram o produto devem entrar em contato com o fabricante, ressalta a Anvisa.

Liberação - Em outra decisão, a Anvisa liberou a importação, distribuição e comercialização do produto Carnivor Bioengineered Beef Protein Isolate produzidos a partir do lote 0297G3, de julho de 2013. O suplemento proteico é fabricado por MuscleMeds e distribuído por Nutrition Import Comércio Atacadista de Suplemento Ltda.

A liberação ocorre após o fabricante comprovar a adequação da composição da fórmula e da rotulagem à legislação brasileira. Os lotes do produto anteriores a julho de 2013 permanecem proibidos.

(Com Estadão Conteúdo)

TAGs:
Proteína
Nutrição
Anvisa