Mais Lidas

  1. PF deflagra 30ª fase da Lava Jato e descobre mais de R$ 40 mi em propina

    Brasil

    PF deflagra 30ª fase da Lava Jato e descobre mais de R$ 40 mi em...

  2. Moro, aplausos e um pedido: 'Prenda o Lula'

    Brasil

    Moro, aplausos e um pedido: 'Prenda o Lula'

  3. Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

    Entretenimento

    Ouça a conversa entre Ana Hickmann e fã que a atacou

  4. Na Argentina, Serra firma acordo de 'coordenação política'

    Brasil

    Na Argentina, Serra firma acordo de 'coordenação política'

  5. Jucá dá o troco em desafeto: 'Ele deveria entregar a mulher, que é procurada pela polícia'

    Brasil

    Jucá dá o troco em desafeto: 'Ele deveria entregar a mulher, que é...

  6. Argentina: jogador morre depois de receber golpes na cabeça

    Esporte

    Argentina: jogador morre depois de receber golpes na cabeça

  7. Novos áudios mostram que Jucá não falava sobre economia ao citar "sangria"

    Brasil

    Novos áudios mostram que Jucá não falava sobre economia ao citar...

  8. Dubladora apoia campanha por namorada para Elsa, de ‘Frozen’

    Entretenimento

    Dubladora apoia campanha por namorada para Elsa, de ‘Frozen’

Grupo terrorista talibã jura vingar o massacre de Kandahar

- Atualizado em

A organização terrorista talibã afegão prometeu nessa segunda-feira 'vingar' o massacre de civis acontecido no domingo na província afegã de Kandahar, onde um soldado dos Estados Unidos, supostamente em um surto de crise nervosa, matou 17 pessoas e feriu outras cinco.

"Simpatizamos com as vítimas desta ação selvagem e garantimos a seus herdeiros que nos vingaremos destes invasores e assassinos, e castigaremos suas ações bárbaras", afirmaram os talibãs em comunicado divulgado em seu site.

Os fatos ocorreram neste domingo no distrito de Panjwai, onde, segundo fontes oficiais, o soldado saiu de sua base militar de madrugada e iniciou uma incursão armada pelas casas dos arredores, durante a qual atirou em seus moradores.

Os talibãs, que no domingo avaliaram em 45 o número de vítimas fatais e declararam que o massacre foi realizado por vários soldados, pediram nesta segunda-feira às 'organizações de direitos humanos' que ajudem o povo afegão a pôr fim a 'estes crimes'.

"Se os autores do massacre tinham um problema mental, isto representa uma transgressão moral do Exército dos EUA, porque está armando lunáticos que atiram contra os afegãos indefesos sem pensar duas vezes", afirmaram os insurgentes na nota.

O massacre também chegou em meio a um forte clima antiamericano no Afeganistão, após a queima de corões por soldados dos EUA no final de fevereiro na principal base da Otan em solo afegão, Bagram, próxima a Cabul.

Cerca de 30 pessoas morreram na repressão das manifestações de protesto convocadas em diversos pontos do Afeganistão devido à profanação, que o comando americano lamentou e atribuiu a 'um equívoco'.

(com Agência EFE)

TAGs:
Afeganistão
Talibã
Guerra