Mais Lidas

  1. Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

    Mundo

    Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

  2. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  3. Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de invasão de terras

    Brasil

    Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de...

  4. Lula pede ao STF acesso à delação de Pedro Corrêa

    Brasil

    Lula pede ao STF acesso à delação de Pedro Corrêa

  5. Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

    Entretenimento

    Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

  6. Zoológico nos EUA defende decisão de matar gorila

    Mundo

    Zoológico nos EUA defende decisão de matar gorila

  7. Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

    Brasil

    Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

  8. Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma

    Brasil

    Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente...

Republicanos têm Superterça atípica, sem definir candidato

Processo simultâneo em 10 estados é historicamente importante, mas, desta vez, deve só acentuar ainda mais a divisão interna que se observa no partido

Por: Gabriela Loureiro - Atualizado em

Superterça: disputa deve ficar centrada em Mitt Romney e Rick Santorum
Superterça: disputa deve ficar centrada em Mitt Romney e Rick Santorum(Joshua Lott/Reuters/VEJA)

"Romney certamente se mantém como o líder da corrida republicana, mas um líder fraco."

Allan Lichtman, professor de história da Universidade Americana

Nesta terça-feira, 10 estados americanos realizam simultaneamente eleições prévias do Partido Republicano para escolher o candidato que enfrentará Barack Obama nas eleições presidenciais dos EUA, em novembro. É a chamada Superterça, data em que estão em jogo um terço dos delegados necessários para se conquistar a nomeação - 466 do total de 1.144. Por isso, historicamente, quem se sai melhor neste dia desponta como o favorito para a corrida à Casa Branca. Esse foi o perfil das duas últimas eleições: em 2000, George W. Bush conquistou um resultado arrasador na Superterça, escanteando de vez o concorrente John McCain, que teve, por sua vez, um ótimo desempenho em 2008, quando disputou a Presidência.

Infográfico: Os republicanos que querem o lugar de Barack Obama

Este ano, porém, a Superterça será atípica, preveem especialistas, e não deve afunilar a disputa republicana - pelo contrário. "Eu duvido que seja definido o nomeado republicano desta vez. As vitórias serão divididas entre os candidatos", disse ao site de VEJA Thomas Mann, especialista em política americana da Instituto Brookings. Segundo ele, o panorama mais provável é o que vem se desenhando desde o início das primárias: uma briga entre o moderado Mitt Romney e o conservador Rick Santorum, os dois mais bem colocados até o momento. O ex-governador de Massachusetts deve vencer na maioria dos estados, mas por uma vantagem muito pequena, como aliás tem sido até agora. Já o ex-senador pode levar a melhor em um número menor de estados, mas com uma grande importância, como Oklahoma, Tennessee e o industrial Ohio, considerado chave. Além disso, o processo com mais delegados em jogo, 77 na Geórgia, ainda deve ficar com Newt Gingrich.

Confira, no mapa abaixo, como se configura a Superterça do Partido Republicano:

Mapa da Superterça
(VEJA.com/VEJA)

Indecisão - Diante de tantas previsões incertas, o que se pode dizer com certeza é: Romney deve, sim, manter-se à frente na corrida eleitoral, mas ainda está distante de ser unanimidade dentro do partido. "Ele certamente se mantém como o líder da corrida republicana, mas um líder fraco", destaca Allan Lichtman, professor de história da Universidade Americana, em Washington. Para ele, a luta do ex-governador para conquistar a confiança dos republicanos mais conservadores ainda não foi vencida - nem deve ser. "Não importa o quão à direita ele leve sua retórica e suas políticas, os conservadores ainda não acreditam nele", afirma Lichtman. Já o problema de Santorum é não conseguir convencê-los de que tem chances reais de vencer Obama quando o embate de verdade começar.

Assim, o único cenário que se mostra realmente imutável até o momento é a divisão interna do Partido Republicano, que ainda não se uniu em torno de um único nome para levar à Presidência dos EUA, o que enfraquece todo o grupo, como ressalta Darrell West, diretor dos estudos de governo da Brookings Institution: "Nem os eleitores republicanos estão satisfeitos com as escolhas que têm este ano. E essa falta de entusiasmo afeta a capacidade do partido de derrotar Obama".

TAGs:
Eleições nos Estados Unidos
Mitt Romney
Partido Republicano
Rick Santorum