Mais Lidas

  1. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  2. Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

    Entretenimento

    Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

  3. Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

    Brasil

    Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

  4. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  5. Ursinho, fraldas e um chocalho de ouro: confira a lista de presentes da princesa Charlotte

    Mundo

    Ursinho, fraldas e um chocalho de ouro: confira a lista de...

  6. Desinteresse por sexo: isso é mais comum do que se imagina

    Saúde

    Desinteresse por sexo: isso é mais comum do que se imagina

  7. Brasil foi vítima de estelionato eleitoral, diz procurador do TCU

    Brasil

    Brasil foi vítima de estelionato eleitoral, diz procurador do TCU

  8. Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a Dilma

    Brasil

    Justiça do Rio envia ao STF arquivos da Lava Jato com referência a...

Negociações entre israelenses e palestinos são retomadas

Líderes já enfrentam os primeiros obstáculos imediatos para acordo de paz

- Atualizado em

O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, e o líder palestino, Mahmoud Abbas, são mediados pela secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton
O premiê israelense, Benjamin Netanyahu, e o líder palestino, Mahmoud Abbas, são mediados pela secretária de Estado dos EUA, Hillary Clinton(Alex Brandon/AFP/VEJA)

O premiê de Israel, Benjamin Netanyahu, e o presidente da Autoridade Palestina, Mahmoud Abbas, recomeçaram nesta terça-feira as negociações diretas para tentar um acordo de paz ao Oriente Médio. O encontro - que se segue à retomada do diálogo no dia 2 de setembro - ocorre em Sharm el-Sheikh, no Egito, e é novamente mediado pela secretária de Estado americana, Hillary Clinton.

Os Estados Unidos admitiram que os líderes já enfrentam dificuldades e que as próximas semanas devem ser um "período decisivo". "Enfrentamos obstáculos imediatos, que esperamos resolver nas duas próximas semanas", declarou Philip Crowley, porta-voz do departamento de Estado.

O principal entrave é o fim do congelamento parcial das colonizações judaicas na Cisjordânia, que segue programado para o próximo dia 26. Netanyahu deixou claro que não irá prorrogar a moratória, enquanto os palestinos já advertiram que tal decisão sepultará o diálogo direto, que levou quase dois anos para ser reiniciado. Desde a ofensiva israelense contra a Faixa de Gaza em dezembro de 2008, as negociações estavam congeladas.

O presidente americano, Barack Obama, revelou na semana passada que pediu a Netanyahu para prolongar a moratória sobre as colonizações. Nesta terça, Crowley disse que "para superar os desafios imediatos" as duas partes deverão "adaptar às posições que já adotaram publicamente sobre os temas essenciais".

O enviado especial dos EUA para o Oriente Médio, George Mitchell, usou um tom mais otimista. Ele disse que as negociações estão "no caminho" certo. Contudo, não citou detalhes sobre a delicada questão dos assentamentos judaicos.

Confira no infográfico abaixo, os temas que estão em discussão:

As primeiras negociações diretas de paz entre israelenses e palestinos em 20 meses foram abertas nesta quinta-feira
(VEJA.com/VEJA)
TAGs:
Israel
Palestina
Estados Unidos