Mais Lidas

  1. Família real britânica divulga fotos da princesa Charlotte

    Mundo

    Família real britânica divulga fotos da princesa Charlotte

  2. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  3. O xadrez ministerial de Temer

    Brasil

    O xadrez ministerial de Temer

  4. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  5. Atriz de ‘50 Tons’ se diz ‘entediada’ após gravar cenas de sexo por sete horas

    Entretenimento

    Atriz de ‘50 Tons’ se diz ‘entediada’ após gravar cenas de sexo por...

  6. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

  7. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

  8. Gisele Bündchen ensina apresentador Jimmy Fallon a desfilar. Assista

    Entretenimento

    Gisele Bündchen ensina apresentador Jimmy Fallon a desfilar. Assista

Radioatividade é detectada em lençol de água

Mostra de água retirada sob o reator 1 da central nuclear de Fukushima revelou um nível '10.000 vezes superior' à norma legal, segundo um porta-voz da Tepco

- Atualizado em

Iodo radioativo foi descoberto num lençol d'água situado a 15 metros sob a central nuclear acidentada de Fukushima, declarou na noite desta quinta-feira o operador da usina, a Tokyo Electric Power (Tepco). Uma mostra de água retirada na quarta-feira às 11h10 (23h10 de Brasília) sob o reator 1 da central revelou uma taxa de 430 becqueréis por centímetro cúbico, nível "10.000 vezes superior" à norma legal, precisou um porta-voz da empresa. Becquerel é a unidade que mede o quanto de radioatividade ainda resta nos materiais através do tempo.

"Não há nenhuma dúvida que se trata de uma cifra elevada", destacou porta-voz. Ele não descarta, no entanto, a possibilidade de que essa taxa seja revista na sexta-feira. O iodo 131 também foi descoberto em grande quantidade na água do mar, perto da central Fukushima Daiichi, onde a Tepco mediu nesta quinta-feira uma concentração de iodo radioativo 4.385 vezes superior à norma legal.

Trata-se do nível mais importante desde o começo do acidente na central de Fukushima, desencadeado por um terremoto de magnitude 9 seguido de tsunami que provocaram uma pane nos sistemas de resfriamento dos reatores.

Para manter o combustível a uma temperatura inferior ao ponto de de derretimento das varetas de combustível, centenas de operários, bombeiros e soldados derramam dia e noite milhares de toneladas de água nos reatores. A consequência disto é que enormes quantidades de água contaminada se infiltram nas galerias subterrâneas e escorrem para o Oceano Pacífico.

(Com agência France-Presse)

TAGs:
Fukushima
Japao