Mais Lidas

  1. Processos contra Lula na Lava Jato chegam a Moro

    Brasil

    Processos contra Lula na Lava Jato chegam a Moro

  2. Derrota no 'Power Couple' faz Simony perder a linha

    Entretenimento

    Derrota no 'Power Couple' faz Simony perder a linha

  3. Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

    Mundo

    Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

  4. Justiça autoriza Dilma a usar aviões da FAB, desde que reembolse o Tesouro

    Brasil

    Justiça autoriza Dilma a usar aviões da FAB, desde que reembolse o...

  5. O Reino Unido está fora da União Europeia. E agora?

    Mundo

    O Reino Unido está fora da União Europeia. E agora?

  6. A peixaria de R$ 21 milhões usada na compra do jatinho de Campos

    Brasil

    A peixaria de R$ 21 milhões usada na compra do jatinho de Campos

  7. Operação Turbulência: quadrilha ostentava lanchas e jet skis 'Sedução' e 'Ousadia e Alegria'

    Brasil

    Operação Turbulência: quadrilha ostentava lanchas e jet skis...

  8. Polícia encontra esconderijo de Fat Family, mas ele consegue escapar

    Brasil

    Polícia encontra esconderijo de Fat Family, mas ele consegue escapar

Obama adverte Rússia que 'mundo estará observando' cessar-fogo na Síria

- Atualizado em

O presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, defendeu que os partidos "busquem formas de trabalhar juntos" em prol do que ele disse serem interesses suprapartidários do povo americano. A afirmação foi feita no último discurso do Estado da União do seu mandato. O pronunciamento é uma obrigação anual dos presidentes definida na constituição americana e dirigido ao Congresso do país
Barack Obama, presidente dos Estados Unidos (VEJA.com/Reuters)

O presidente americano, Barack Obama, destacou nesta quinta-feira que os próximos dias serão cruciais para a Síria, prevenindo o regime do ditador Bashar Assad e seu aliado, a Rússia, que "o mundo estará observando" o cessar-fogo na Síria. "Os próximos dias serão cruciais, o mundo estará observando", declarou Obama após uma reunião de seu Conselho de Segurança Nacional, em Washington, insistindo na responsabilidade de Damasco e Moscou nesta primeira etapa para tentar pôr um fim ao caos sírio.

Desde que começou em 2011, a guerra na Síria deixou mais de 270.000 mortos e obrigou 4 milhões de pessoas a fugir do país. Neste conflito, Rússia e Irã apoiam o regime de Bashar Assad enquanto Estados Unidos, Arábia Saudita e Turquia apoiam os rebeldes.

Leia também:

ONU realiza primeiro lançamento aéreo de ajuda humanitária na Síria

Adolescente resgatada do EI dá entrevista sobre "vida muito difícil" no Iraque

Síria: Cessar-fogo acordado entre EUA e Rússia deve começar no fim de semana

"O cessar das hostilidades que deve entrar em vigor amanhã (sexta-feira) à meia-noite é uma etapa possível para pôr fim ao caos", disse Obama. "Todo o mundo sabe o que deve acontecer: todas as partes devem pôr fim aos ataques, inclusive ataques aéreos e deve-se poder realizar a ajuda humanitária nas zonas assediadas", lembrou. "Tudo isto dependerá amplamente do respeito de seus compromissos por parte do regime sírio, Rússia e seus aliados", acrescentou.

O regime de Assad, a oposição, assim como as forças curdas já anunciaram que respeitarão a trégua, apadrinhada pelos Estados Unidos e Rússia, e prevista para entrar em vigor à 00h local de sábado (19h de sexta).

O acordo de trégua exclui os jihadistas do grupo Estado Islâmico (EI) e a Frente Al Nusra - braço sírio da Al Qaeda - dois grupos rivais que ocupam grande parte do país. Consequentemente, continuarão sendo alvo de ataques do regime e dos bombardeios da Rússia e da coalizão internacional liderada por Estados Unidos.

(Com AFP)

TAGs:
Síria
Rússia
Barack Obama
Estados Unidos