Mais Lidas

  1. Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

    Brasil

    Lula sempre ganhou mensalinho da OAS, diz empreiteiro

  2. Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

    Brasil

    Temer monta seu governo: “Quero entrar para a história”

  3. Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

    Brasil

    Janot pede ao STF que proíba PF de negociar delações

  4. A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

    Brasil

    A miss-bumbum e o clima de fim da festa no Planalto

  5. Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

    Brasil

    Senadora governista tenta paralisar comissão do impeachment

  6. Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

    Brasil

    Denúncia contra Dilma não deve ser ampliada, diz Lira

  7. FHC presta depoimento à PF sobre acusações de ex-amante

    Brasil

    FHC presta depoimento à PF sobre acusações de ex-amante

  8. Pimentel condecorou mais da metade dos desembargadores do TJ-MG

    Brasil

    Pimentel condecorou mais da metade dos desembargadores do TJ-MG

Número de mortos após tufão nas Filipinas sobe para 2 275

Temendo doenças, autoridades começaram a enterrar corpos em valas comuns

- Atualizado em

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


As autoridades filipinas elevaram para 2 275 o balanço provisório do número de mortos após a passagem do supertufão Haiyan pelo país. O último relatório divulgado pelo órgão de gestão de desastres do governo também traz o número de 3 365 feridos. Uma das regiões mais castigadas pelo fenômeno, a província leste de Leyte, onde fica a cidade de Tacloban, registrou o maior número de mortos: 1 298.

Leia mais:

Estimativa de mortos em tufão nas Filipinas cai para 2 500

ONU pede 301 milhões de dólares em ajuda para Filipinas

A atualização no número oficial mortos coincide com a revisão da estimativa de vítimas da tragédia. Nesta terça, o governo filipino afirmou que a catástrofe deve ter matado cerca de 2 500 pessoas, ao contrário da previsão de 10 000 vítimas divulgada anteriormente.

Valas coletivas - Nesta quarta-feira, autoridades locais começaram a preparar covas coletivas para enterrar os corpos espalhados nas cidades mais atingidas pelo tufão. Cinco dias depois da passagem do fenômeno, muitos corpos estão em decomposição e as autoridades temem a contaminação da água e o surto de epidemias entre os sobreviventes. Pelo menos 150 pessoas - nenhuma delas identificadas oficialmente - já foram sepultadas em uma vala perto de uma igreja na província de Leyte, segundo a emissora local GMA.

Desabrigados - A devastação provocada pelo Haiyan, um dos maiores ciclones já registrados em toda a história, afetou 7 milhões de filipinos em 41 províncias do país, segundo o governo. As autoridades calculam que 80 047 casas foram destruídas pelos ventos e inundações, deixando 582 303 pessoas desabrigadas - das quais apenas 286 433 foram realocadas em abrigos provisórios.

Saiba mais: Entenda como se formam e se classificam os fenômenos

Após a catastrófica passagem do tufão, o país agora luta para recuperar as áreas mais atingidas, onde a falta de água, de comida e de medicamentos, além do risco de epidemias, são as maiores preocupações. Saques também elevam a tensão entre os sobreviventes e o governo colocou um toque de recolher nas ruas e enviou policiais e soldados para conter a violência.

A ONU fez um apelo para arrecadar 301 milhões de dólares para ajudar os sobreviventes. A Cruz Vermelha, por sua vez, pediu 94 milhões de dólares para minimizar os efeitos da catástrofe. A organização disse que o montante atenderá a 100 000 famílias com alimentos, água potável e abrigo.

Relembre alguns dos principais ciclones da história

TAGs:
Filipinas
Catástrofe
Tufão