Mais Lidas

  1. A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima de estupro coletivo

    Brasil

    A selvageria continua: bandidos fazem ofensiva para difamar vítima...

  2. Luana Piovani tem nude disparado pelo marido

    Entretenimento

    Luana Piovani tem nude disparado pelo marido

  3. Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no petrolão

    Brasil

    Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no...

  4. Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo em favela do Rio de Janeiro

    Brasil

    Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo...

  5. Vítima de estupro coletivo no Rio presta novo depoimento

    Brasil

    Vítima de estupro coletivo no Rio presta novo depoimento

  6. Família Obama já escolheu onde vai morar após deixar a Casa Branca

    Mundo

    Família Obama já escolheu onde vai morar após deixar a Casa Branca

  7. Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

    Brasil

    Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

  8. Em novo áudio, Renan diz que tentou evitar recondução de Janot à PGR

    Brasil

    Em novo áudio, Renan diz que tentou evitar recondução de Janot à PGR

Jihadistas tomam a maior cidade cristã do Iraque

Os extremistas sunitas ameaçam matar quem não sair da cidade ou não se converter ao islamismo. Papa manifestou preocupação com a situação

- Atualizado em

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


Militantes do grupo extremista sunita Estado Islâmico do Iraque e do Levante (EIIL) ampliaram as conquistas no norte do Iraque nesta quinta-feira, tomando mais cidades e fortalecendo sua posição próxima à região curda, em uma ofensiva que tem preocupado o governo de Bagdá e potências regionais. O avanço forçou milhares de residentes da maior cidade cristã do Iraque, Qaraqosh, a fugirem, temendo estarem sujeitos às demandas dos jihadistas feitas em outras áreas tomadas: ir embora, converter-se ao islã ou ser executado.

O EIIL, que é considerado ainda mais extremista do que a Al Qaeda, vê a maioria xiita do Iraque, e minorias como cristãos e yazidis, como infiéis. O grupo militante disse em comunicado em sua conta no Twitter que os combatentes haviam tomado quinze cidades, uma estratégica represa no rio Tigre e uma base militar, em uma ofensiva começada no fim de semana e que se prolongaria até a "vitória final". Autoridades curdas, no entanto, disseram que suas forças ainda controlam a represa de água potável.

Leia também

Curdos e jihadistas se enfrentam no norte do Iraque

Norte do Iraque se prepara para enfrentar jihadistas

França oferece asilo a cristãos ameaçados por jihadistas no Iraque

Os militantes sunitas impuseram uma humilhante derrota às forças curdas no avanço do fim de semana, levando dezenas de milhares de pessoas da antiga comunidade yazidi a fugir da cidade de Sinjar em direção à montanha próxima. Algumas das dezenas de milhares de pessoas cercadas por combatentes do EIIL na montanha de Sinjar foram resgatadas nas últimas 24 horas, disse um porta-voz da agência da ONU para coordenação de assuntos humanitários, acrescentando que cerca de 200.000 pessoas haviam fugido dos combates. "Esta é uma tragédia de proporções imensas, que tem impacto nas vidas de centenas de milhares de pessoas", disse o porta-voz David Swanson.

Muitas das pessoas desabrigadas necessitavam urgentemente de água, alimento, abrigo e remédio, disse ele. Um porta-voz da agência da ONU para a defesa das crianças disse que muitas delas na montanha estavam sofrendo de desidratação e pelo menos quarenta haviam morrido. Os yazidis, vistos pelos jihadistas como "adoradores do demônio", correm o risco de serem executados pelos militantes sunitas que querem estabelecer um império islâmico e redesenhar o mapa do Oriente Médio.

Os militantes extremistas, que declararam um califado em áreas do Iraque e da Síria, entraram em confronto com forças curdas na quarta-feira na cidade de Makhmur, perto de Erbil, a capital da região autônoma curda. Testemunhas dizem que os militantes tomaram Makhmur, mas autoridades curdas disseram à mídia local que suas forças permaneceram no controle. O EIIL representa a maior ameaça para a integridade do Iraque desde a queda de Saddam Hussein em 2003. Seus combatentes e aliados sunitas também controlam uma grande parte do oeste do Iraque.

Preocupação do papa - O papa Francisco expressou sua preocupação com a violência no norte do Iraque e pediu à comunidade internacional que garanta a proteção da população e ajude os deslocados. O Vaticano informou que o papa está "preocupado com as dramáticas notícias que chegam do norte do Iraque, onde os mais afetados são as comunidades cristãs que devem abandonar seus povoados por causa da violência destes dias na região".

Mapa Estado Islâmico do Iraque e do Levante
(VEJA.com/VEJA)

(Com agências Reuters e EFE)

TAGs:
Iraque
Estado Islâmico do Iraque e do Levante (eiil)
Islamismo