- Atualizado em

O terrorista Osama bin Laden
O terrorista Osama bin Laden(Arquivo/AP/VEJA)

O lançamento na última segunda-feira do primeiro trailer de Zero Dark Thirty, o esperado filme da diretora Kathryn Bigelow (Guerra ao Terror) sobre a caça do governo americano a Osama bin Laden, reativou o debate político nos Estados Unidos sobre a influência da produção na eleição presidencial de novembro.

Apontado como um dos filmes mais controversos do ano e forte candidato ao Oscar de 2013, Zero Dark Thirty - um termo militar para "30 minutos depois da meia-noite" - coleciona críticas de políticos do Partido Republicano desde sua concepção. Durante a pré-produção, Bigelow e o roteirista Mark Boal, o mesmo do premiado Guerra ao Terror, foram acusados de receber informações confidenciais sobre a operação que terminou com a morte de Osama bin Laden em 1º de maio de 2011 - o Pentágono, inclusive, abriu uma investigação para apurar a denúncia.

Republicanos como o deputado Pete King, de Nova York, afirmam que o thriller é na verdade uma peça de propaganda da campanha do presidente Barack Obama, que busca a reeleição e tem no fim da perseguição a Bin Laden um de seus maiores trunfos eleitorais - senão o maior.

Herói - Apesar de revelar muito pouco sobre o filme, o trailer bastou para que o assunto voltasse à agenda eleitoral, ressuscitando o fantasma do suposto favorecimento do governo democrata a Bigelow e de uma possível representação de Obama como herói nacional, algo extremamente indesejável para os rivais republicanos, que buscam retornar à Casa Branca com Mitt Romney.

Ex-correspondente de guerra, o roteirista Mark Boal respondeu as críticas, afirmando que Zero Dark Thirty não é focado no presidente. ''Não há nenhuma agenda política no filme. Ponto final. Muita gente vai ficar surpresa quando assistir", disse Boal ao site da revista Entertainment Weekly. "Por exemplo, o presidente não é retratado. Ele simplesmente não está no filme", garantiu.

Para amenizar ainda mais o apetite dos críticos, os produtores confirmaram que a estreia nos EUA será somente em 19 de dezembro - depois, portanto, das eleições de 6 de novembro. Anteriormente, especulava-se que o filme chegaria às telas em outubro, mês em que a Sony Pictures de fato planejava colocar Zero Dark Thirty em cartaz.

Com Joel Edgerton, Jessica Chastain, Kyle Chandler e Jason Clarke no elenco, o filme ainda não tem data prevista para a estreia no Brasil.

Confira o primeiro trailer de Zero Dark Thirty:

TAGs:
Osama bin Laden
Barack Obama
Eleições nos Estados Unidos
Estados Unidos