Tarja - Avião Desaparecido

Mistério no ar

EUA investigam pirataria no caso de avião desaparecido

Investigadores trabalham com a hipótese de que o sistema de localização da aeronave teria parado de funcionar após sofrer uma “intervenção humana”

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • Imagem divulgada nesta sexta-feira (11), mergulhador da Marinha australiana se prepara para começar as buscas pelo voo MH370 no oceano Índico

    Abis Chris Beerens/Defesa Austrália/AFP

  • Mergulhadores trabalham nas buscas pela aeronave desaparecida da Malaysia Airlines

    Força de Defesa Australiana/Reuters

  • Mergulhador trabalha nas buscas pela aeronave desaparecida da Malaysia Airlines

    Força de Defesa Australiana/Reuters

  • Famílias fazem orações durante vigília em praça de Kuala Lumpur, na Malásia, para marcar o aniversário de um mês do desaparecimento do jet MH370, avião da Malaysia Airlines que sumiu no Oceano Índico e até agora não foi encontrado

    Vincent Thian/AP

  • Angus Houston, chefe do grupo que lidera a procura pelo voo 370 da Malaysia Airlines, mostra local onde foram detectados sinais compatíveis com os de caixas-pretas

    AFP

  • Famílias fazem orações durante vigília em praça de Kuala Lumpur, na Malásia, para marcar o aniversário de um mês do desaparecimento do jet MH370, avião da Malaysia Airlines que sumiu no Oceano Índico e até agora não foi encontrado

    AFP

  • Um pedaço de detrito flutua no local onde são realizadas as buscas ao voo desaparecido da Malásia Airlines, ao sul do Oceano Índico

    Rob Griffith/Reuters

  • Objeto avistado por avião da Nova Zelândia no Oceano Índico

    Reuters

  • Mapa divulgado pelo governo da Austrália mostra em destaque, no retângulo amarelo à esquerda, a nova área de buscas pelos destroços do avião da Malaysia Airlines

    Reprodução/AMSA

  • Força Aérea da Austrália sobrevoa o Oceano Índico em busca dos objetos detectados no mar por satélites. Autoridades acreditam que possam ser peças do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último dia 8

    Michael Martina/AP

  • Satélite detecta 122 objetos no mar que podem ser do avião da Malásia

    Reuters

  • Parentes de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines fazem passeata em Pequim em protesto contra governo malaio

    Kim Kyung-Hoon/Reuters

  • Em Pequim, parentes dos passageiros do voo da Malaysia Airlines MH370 após ouvirem a notícia de que o avião caiu no Oceano Índico

    AFP

  • Mensagem enviada aos parentes por SMS: "A Malaysia Airlines lamenta profundamente ter que admitir acima de qualquer dúvida que o voo MH370 se perdeu e nenhuma das pessoas a bordo sobreviveu. Como vocês ouvirão na próxima hora do primeiro-ministro da Malásia, nós devemos aceitar todas as evidências que sugerem que o avião caiu no sul do oceano Índico"

    Twitter/Reprodução

  • O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anuncia que o avião da Malaysian Airlines caiu no Oceano Índico

    Edgar Su/Reuters

  • Imagem feita por satélite divulgada pelo governo da Austrália mostra possível destroço do voo MH370 da Malaysia Airlines no Oceano Índico

    Divulgação/AMSA

  • Imagem feita por satélite divulgada pelo governo da Austrália mostra possível destroço do voo MH370 da Malaysia Airlines no Oceano Índico

    Divulgação/AMSA

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7), espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    Edgar Su/Reuters

  •  Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    AP

  • Homem tira foto de desenhos de aviões em homenagem ao voo desaparecido em mural no aeroporto de Kuala Lumpur na Malásia

    Vincent Thian/AP

  • Militares da Indonésia procuram sinais de Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    Chaideer Mahyuddin/AFP

  • Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    Andy Wong/AP

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7), espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Militares da Indonésia procuram sinais de Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    Kham/Reuters

  • Estudantes se reúnem em torno de obra de arte tridimensional, baseada no voo 370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde 8 de março, pintada em Makati (Filipinas)

    Romeo Ranoco/Reuters

  • Imagens de um satélite chinês mostram destroços que podem ser da aeronave que realizava o voo MH370 da Malaysia Airlines

    Reprodução/PRC

  • Imagens de um satélite chinês mostram destroços que podem ser da aeronave que realizava o voo MH370 da Malaysia Airlines

    Reprodução/PRC

  • Artista mascarado se coloca nesta segunda-feira (17) diante de cartaz no aeroporto de Sepang, em Kuala Lumpur (Malásia), com mensagens de apoio e orações aos passageiros desaparecidos a bordo do voo 370 da Malaysia Airlines

    Manan Vatsyayana/AFP

  • Equipes de busca de vários países utilizam aviões para vasculhar os mares entre a Malásia e Vietnã, à procura de vestígios do Boeing 777 da Malaysia Airlines, que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    AFP

  • Estudantes chineses acendem velas e rezam pelos passageiros do voo desaparecido da Malaysia Airlines

    Stringer/Reuters

  • Fotos divulgadas pela polícia da Malásia mostram os dois passageiros que embarcaram com passaportes roubados no voo MH370 da Malaysia Airlines

    AFP

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7),  espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Equipes de busca de vários países utilizam aviões para vasculhar os mares entre a Malásia e Vietnã, à procura de vestígios do Boeing 777 da Malaysia Airlines, que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco de pois de decolar

    Athit Perawongmetha/Reuters

  • Familiares de um cidadão indonésio que estava no voo da Malaysia Airlines que desapareceu sobre o Mar do Sul da China, em sua residência em Medan, na Indonésia

    Binsar Bakkara/AP

  • Equipes de resgate da Malásia sobrevoam região onde supostamente desapareceu o avião da Malaysia Airlines transportando 239 passageiros, no Mar da China Meridional

    Malaysian Maritime Enforcement/AFP

  • Mulher chora enquanto fala ao celular em busca de informações de um parente que estava no avião da Malaysia Airlines e desapareceu no Mar da China Meridional, no Aeroporto Internacional de Pequim

    Kim Kyung-Hoon/Reuters

  • Hugh Dunleavy (esq.) e Ignatius Ong representantes da Malaysia Airlines, falam sobre o desaparecimento da aeronave que fazia o voo MH370, de Kuala Lumpur a Pequim  durante uma coletiva de imprensa em Pequim, na China

    Lintao Zhang/Getty Images

  • Familiar de passageiros do voo da Malaysia Airlines, que desapareceu no Mar da China Meridional, chora ao telefone no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, na Malásia

    Mohd Rasfan/AFP

  • Familiares choram no aeroporto de Pequim, após receberem a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Mark Ralston/AFP

  • Familiares buscam informações após desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur a Pequim transportando 239 pessoas

    Mohd Rasfan/AFP

  • Painel de informações no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur na Malásia, exibe uma mensagem "Oremos pelo voo MH370". O avião da Malaysia Airlines que transportava 239 passageiros de Kuala Lumpur para Pequim desapareceu no Mar da China Meridional

    Samsul Said/AFP

  • Familiares choram no aeroporto de Pequim, após receberem a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Manan Vatsyayana/AFP

  • Mulher chora no aeroporto de Pequim , após receber a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Mark Ralston/AFP

  • Imagem obtida de um avião da Força Aérea do Vietnã mostra um vazamento de óleo é visto a partir na área de busca por um avião Malaysia Airlines que  desapareceu na costa vietnamita durante voo de Kuala Lumpur a Pequim

    Trung Hieu/Thanh Nien Newspaper/Reuters

  • Familiares de passageiros observam álbum de fotos em Kuala Lumpur

    Mohd Rasfan/AFP

Foto 0 / 50

Ampliar Fotos

Investigadores analisam a possibilidade de "intervenção humana" no desaparecimento do avião da companhia Malaysia Airlines, como resultado de um “ato de pirataria”. A informação foi dada à agência de notícias Associated Press por uma fonte americana, sob a ncondição de anonimato. Segundo esta fonte existe a possibilidade de a aeronave ter aterrissado em algum local ainda desconhecido. A fonte disse que o indício de intervenção humana é que o contato com o transponder [aparelho de identificação das aeronaves que emite um sinal para os radares] do Boeing 777 cessou alguns minutos antes de o sistema de mensagens do avião parar de funcionar.

Leia também:
​Interpol está 'inclinada' a descartar ação terrorista
Malásia não acha destroços em local indicado pela China
Malásia revela última mensagem emitida de avião desaparecido

A agência também entrou em contato com uma fonte do governo da Malásia que reforçou a tese de que a aeronave deu meia volta sobre o país depois do último contato com os controladores de voo, e que alguém com conhecimentos de aviação foi responsável por esta mudança de curso. O funcionário do governo, que também não foi identificado por não estar autorizado a falar com a imprensa, disse que apenas uma pessoa com habilidade poderia pilotar o avião desta forma, depois da última localização confirmada, quando já sobrevoava o Mar do Sul da China.

De acordo com o jornal The Guardian, outra hipótese investigada é a de que o avião tenha aterrissado nas Ilhas de Andamão, uma região remota no Oceano Índico. Fontes ouvidas pela agência de notícias Reuters indicam que radares militares flagraram um avião não identificado seguindo uma rota com base em pontos específicos de navegação aérea, o que sugere que um piloto com experiência estava no comando. Segundo esta linha de investigação, a aeronave teria rumado até a província de Aceh, ao nordeste da Indonésia, ziguezagueado até a ilha de Phuket, na Tailândia, e seguido depois para as Ilhas de Andamão, em rota para alcançar a Europa.

O porta-voz da Casa Branca, Jay Carney, admitiu que as equipes dos Estados Unidos mudaram o seu foco devido às “novas informações”, mas se negou a dar detalhes sobre as estratégias americanas. Um destroier da Marinha dos Estados Unidos também foi enviado à região para auxiliar as patrulhas aéreas que vistoriam o oceano. As operações de resgate foram ampliadas para o Oceano Índico e contarão a partir de agora com a ajuda de equipes vindas da Índia, mas a Malásia se negou a informar novas pistas do caso.

Entrevista:
'Não é possível um piloto desligar todos os sistemas de comunicação', diz especialista

Após o jornal The Wall Street Journal publicar na quinta-feira que o avião poderia ter permanecido no ar após sumir dos radares, a rede britânica BBC relatou a suspeita de que o voo prosseguiu por até cinco horas após o envio da última mensagem aos controladores. Assim, o avião pode ter percorrido uma distância de cerca de 1.600 quilômetros além da última posição registrada pelos radares. Segundo fontes ouvidas pela BBC, um sistema operado pela Inmarsat, uma companhia de telecomunicações de Londres, recebeu sinais automáticos da aeronave durante o período em que o avião foi dado como desaparecido. Jonathan Amos, um especialista ouvido pela rede britânica, disse que estes sinais só podem ser enviados se o avião estiver intacto e funcionando normalmente.

Dois sistemas de comunicação aparentam ter tido sua transmissão interrompida em momentos diferentes depois da decolagem de Kuala Lumpur rumo a Pequim, mas sinais eletrônicos foram captados depois do último contato, o que pode ajudar a estimar a localização da aeronave. O ministro dos Transportes da Malásia, Hishammuddin Hussein, que ontem negou a informação de que a aeronave teria enviado sinais automaticamente durante horas, disse nesta sexta-feira que os investigadores ainda tentam estabelecer com precisão o que, de fato, os radares militares captaram na região do Estreito de Malaca.

“Eu serei a pessoa mais feliz do mundo se pudermos confirmar que era o MH370. Desta forma, poderemos mover todos os recursos de busca do Mar do Sul da China para o Estreito de Malaca”. Até que isso ocorra, continuou, os esforços internacionais para encontrar a aeronave continuarão a se expandir. Ele acrescentou que neste momento há “mais de 50%” de certeza de que o radar registrou sinais do avião perdido.

Cronologia do desaparecimento do voo MH370

1 de 20

Desaparecimento

Mulher chora enquanto fala ao celular em busca de informações de um parente que estava no avião da Malaysia Airlines

No dia 7 de março, a companhia aérea Malaysia Airlines comunicou que havia perdido o contato com o voo MH370, que decolou do aeroporto de Kuala Lumpur, na Malásia, com destino à capital chinesa Pequim. O anúncio foi feito após as autoridades do Vietnã confirmarem que o avião não se encontrava mais em seu espaço aéreo, onde o piloto trocou a última mensagem com os controladores. Segundo o relato inicial da empresa, o Boeing B777-200 transportava 239 pessoas de treze nacionalidades, sendo 227 passageiros, incluindo dois menores de idade, e doze tripulantes.

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados