Mais Lidas

  1. Gospel Ana Paula Valadão é criticada por foto no velório da avó

    Entretenimento

    Gospel Ana Paula Valadão é criticada por foto no velório da avó

  2. Zezé Di Camargo alfineta Wesley Safadão: 'Emergente'

    Entretenimento

    Zezé Di Camargo alfineta Wesley Safadão: 'Emergente'

  3. Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

    Mundo

    Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

  4. Derrota no 'Power Couple' faz Simony perder a linha

    Entretenimento

    Derrota no 'Power Couple' faz Simony perder a linha

  5. Laura Keller provoca Simony, a 'surtada', pelo Instagram

    Entretenimento

    Laura Keller provoca Simony, a 'surtada', pelo Instagram

  6. Delator de Paulo Bernardo intermediou negócio milionário após viagem oficial com Lula à África

    Brasil

    Delator de Paulo Bernardo intermediou negócio milionário após...

  7. A peixaria de R$ 21 milhões usada na compra do jatinho de Campos

    Brasil

    A peixaria de R$ 21 milhões usada na compra do jatinho de Campos

  8. Londres e outras capitais queriam ficar na UE, mas interior venceu

    Mundo

    Londres e outras capitais queriam ficar na UE, mas interior venceu

Em novo vídeo, Estado Islâmico faz ameaças aos fundadores do Twitter e do Facebook

- Atualizado em

Em vídeo, Estado Eslâmico ameaça fundadores do Twitter e do Facebook
Em vídeo, Estado Eslâmico ameaça fundadores do Twitter e do Facebook(Reprodução/VEJA)

Os fundadores do Twitter, Jack Dorsey, e do Facebook, Mark Zuckerberg, são os alvos de um novo vídeo divulgado pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI). As ameaças são uma resposta às ações das duas empresas para bloquear conteúdo terrorista nas redes sociais.

"Se vocês fecharem uma conta, nós tomaremos dez em troca e logo seus nomes serão apagados, após deletarmos seus sites, se Alá quiser", diz um trecho do vídeo, em que imagens dos dois executivos são perfuradas com balas. Na gravação, os extremistas alegam ter controle sobre mais de 10.000 contas e 150 grupos no Facebook, além de 5.000 perfis no Twitter.

Leia mais:

Twitter anuncia a suspensão de 125.000 contas ligadas ao terrorismo nos últimos meses

Em janeiro, executivos do Twitter, Facebook, Apple, Microsoft e outras empresas de tecnologia participaram de uma reunião com oficiais do governo americano, entre eles Michael Rogers, diretor da Agência de Segurança Nacional, e James Comey, diretor do FBI, para discutir o combate ao terrorismo online. Na primeira semana de fevereiro, o Twitter anunciou que suspendeu 125.000 contas relacionadas ao terrorismo desde meados de 2015.

Um porta-voz do Twitter afirmou que a empresa não pretende se pronunciar, pois as ameaças são frequentes. "Acontece o tempo todo", disse, sem informar detalhes.

Em março do ano passado, uma declaração emitida pelo Estado Islâmico na internet dirigia-se diretamente a Dorsey, fundador do Twitter. "Sua guerra virtual contra nós causará uma guerra real contra vocês", dizia o texto. "Vocês começaram essa guerra fracassada. Dissemos a vocês desde o começo que isso não é uma guerra, mas vocês não entenderam e continuaram fechando nossas contas no Twitter. Mas nós sempre voltamos."

(Da redação)

TAGs:
Estado Islâmico do Iraque e do Levante (eiil)
Facebook
Twitter