Mais Lidas

  1. Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se revoltam

    Mundo

    Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se...

  2. Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

    Brasil

    Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

  3. Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

    Entretenimento

    Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

  4. Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução de ministérios

    Brasil

    Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução...

  5. Zelotes: Justiça condena 9 réus por ‘venda’ de medidas provisórias

    Brasil

    Zelotes: Justiça condena 9 réus por ‘venda’ de medidas provisórias

  6. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  7. STF julga amanhã afastamento de Eduardo Cunha

    Brasil

    STF julga amanhã afastamento de Eduardo Cunha

  8. Raul Cutait não assumirá Ministério da Saúde

    Saúde

    Raul Cutait não assumirá Ministério da Saúde

Confusão em festival no Camboja deixa ao menos 339 mortos

Multidão assistia a show na ilha de Koh Pich quando houve tumulto e empurrões

- Atualizado em

Camboja
A multidão correu para uma ponte, que ficou apinhada. Ali, muitos foram pisoteados ou jogados para as águas do rio(Tang Chhin Sothy/AFP/VEJA)

Pelo menos 339 pessoas morreram e centenas ficaram feridas em um tumulto nesta segunda-feira em um festival no Camboja, informou o primeiro-ministro do país, Hun Sen. Os cambojanos celebravam o festival anual da água na pequena ilha fluvial de Koh Pich quando começou a confusão. As causas da tragédia ainda não estão claras.

De acordo com testemunhas, algumas pessoas foram eletrocutadas quando assistiam a um show de música, e o pânico começou. Outras versões indicam que os espectadores desmaiaram por causa do calor. A multidão tentou fugir por uma ponte que liga a ilha às margens do rio. O local ficou apinhado, as pessoas eram pisoteadas e empurradas para as águas.

A polícia iniciou uma investigação que será dirigida por uma comissão especial. O premiê foi à televisão pedir desculpa pelo desastre. Segundo a televisão estatal, dois hospitais reportaram 278 mortos, sendo 240 mulheres.

Autoridades cambojanas estimam que quase 2 milhões de pessoas estão na capital, Phnom Penh, para o festival de três dias que marca o fim da época das chuvas. A principal atração é uma regata tradicional no rio Tonle Sap.

(Com Agência Estado e Reuters)