- Atualizado em

Costa Concordia seis meses depois do naufrágio que deixou 32 mortos
Costa Concordia seis meses depois do naufrágio que deixou 32 mortos(Vincenzo Pinto / AFP/VEJA)

A complexa operação para desencalhar o transatlântico Costa Concordia começou nesta quinta-feira na ilha italiana de Giglio, na Toscana (centro), seis meses depois do naufrágio que deixou 32 mortos. As equipes já começaram a trabalhar em torno do navio, que continua virado perto da ilha. O resgate, considerado um verdadeiro desafio técnico, é auxiliado por lanchas e um guindaste e é considerado de alto risco ambiental por ser realizado em área protegida.

A primeira etapa do esforço para desvirar a embarcação foi retirar pedaços de rochas que ficaram presas no casco do navio após o choque ocorrido em 13 de janeiro.

Leia também:

Leia também: Schettino pede perdão, mas se diz 'vítima do sistema'

Paralelamente, a população da ilha prepara uma homenagem às vítimas. Na sexta-feira haverá uma missa na igreja do porto com a presença dos parentes dos mortos na tragédia, após a qual será realizado um concerto ao ar livre com o coro e a orquestra da cidade de Grosseto (Toscana).

O Costa Concordia transportava 4.229 pessoas (3.200 turistas de 60 nacionalidades e 1.029 tripulantes), quando colidiu com uma rocha perto da ilha de Giglio.

(Com agência France-Presse)

TAGs:
Itália
Costa Concordia