Mais Lidas

  1. "Não dói no útero, dói na alma", diz vítima de estupro coletivo no Rio

    Brasil

    "Não dói no útero, dói na alma", diz vítima de estupro coletivo no Rio

  2. Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no petrolão

    Brasil

    Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no...

  3. Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo em favela do Rio de Janeiro

    Brasil

    Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo...

  4. Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

    Brasil

    Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

  5. China cria ônibus que 'passa por cima' de engarrafamentos

    Economia

    China cria ônibus que 'passa por cima' de engarrafamentos

  6. OAB divulga nota em repúdio a estupro coletivo de jovem de 16 anos no Rio

    Brasil

    OAB divulga nota em repúdio a estupro coletivo de jovem de 16 anos...

  7. Após estupro coletivo no Rio, Temer diz que vai criar 'delegacia da mulher' na PF

    Brasil

    Após estupro coletivo no Rio, Temer diz que vai criar 'delegacia da...

  8. Luan Santana termina (de novo) o namoro com Jade Magalhães

    Entretenimento

    Luan Santana termina (de novo) o namoro com Jade Magalhães

Bombardeio russo a prédios da Al Qaeda mata 57 no norte da Síria

Cinco civis, incluindo uma criança, estavam entre as vítimas. O ataque também deixou dezenas de feridos, alguns em estado grave

- Atualizado em

Membro da defesa civil carrega uma criança morta em um local atingido por ataques aéreos realizados pela Rússia em uma região controlada por rebeldes em Maaret al-Numan, província de Idlib, na Síria - 09/01/2016
Membro da defesa civil carrega uma criança morta em um local atingido por ataques aéreos realizados pela Rússia na Síria(Khalil Ashawi/Reuters)

Pelo menos 57 pessoas morreram neste sábado em um bombardeio de aviões russos contra um tribunal e uma prisão na cidade de Maarat al Nuaman, no norte da Síria, local sob controle da Frente al Nusra, braço da Al Qaeda no país.

Segundo o diretor do Observatório Sírio de Direitos Humanos, Rami Abderrahman, a maioria dos mortos era combatente de grupos armados e prisioneiros que estavam no centro de detenção. Cinco civis, incluindo uma criança, estavam entre as vítimas. Os aviões lançaram quatro projéteis contra essa área, que fica ao sul do mercado de Maarat al Nuaman, na província de Idlib. O ataque também deixou dezenas de feridos, alguns graves.

O bombardeio coincide com a visita a Damasco do enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura, que se reuniu com o ministro de Relações Exteriores, Walid Muallem, dentro das consultas para o reatamento do diálogo entre os sírios no próximo dia 25. Ao término da reunião, o ministério sírio de Relações Exteriores emitiu um comunicado em que afirmou que seu governo está pronto para participar das conversas de paz na data proposta.

Esta semana, o chefe da equipe negociadora dos opositores, o ex-primeiro-ministro Riad Hiyab, revelou, após uma reunião com Mistura na Arábia Saudita que tinha passado ao mediador da ONU suas dúvidas sobre a viabilidade de retomar as negociações devido a intensificação dos bombardeios contra a população civil.

A Rússia é um dos principais aliados do governo de Damasco e em setembro começou uma campanha de ataques aéreos na Síria em sua primeira intervenção militar direta deste o início do conflito, em março de 2011.

Mais de 250.000 pessoas morreram no país desde o começo da guerra, de acordo com a apuração do Observatório.

(Com EFE)