Tarja - Avião Desaparecido

Tragédia no ar

Avião desaparecido pode ter mudado de rota

Fonte militar indica que aeronave teria ido em direção ao estreito de Malaca depois de perder contato com o controle de tráfego aéreo

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • MH370: equipes divulgam novas imagens das áreas de busca

    Reprodução

  • Imagem divulgada nesta sexta-feira (11), mergulhador da Marinha australiana se prepara para começar as buscas pelo voo MH370 no oceano Índico

    Abis Chris Beerens/Defesa Austrália/AFP

  • Mergulhadores trabalham nas buscas pela aeronave desaparecida da Malaysia Airlines

    Força de Defesa Australiana/Reuters

  • Mergulhador trabalha nas buscas pela aeronave desaparecida da Malaysia Airlines

    Força de Defesa Australiana/Reuters

  • Famílias fazem orações durante vigília em praça de Kuala Lumpur, na Malásia, para marcar o aniversário de um mês do desaparecimento do jet MH370, avião da Malaysia Airlines que sumiu no Oceano Índico e até agora não foi encontrado

    Vincent Thian/AP

  • Angus Houston, chefe do grupo que lidera a procura pelo voo 370 da Malaysia Airlines, mostra local onde foram detectados sinais compatíveis com os de caixas-pretas

    AFP

  • Famílias fazem orações durante vigília em praça de Kuala Lumpur, na Malásia, para marcar o aniversário de um mês do desaparecimento do jet MH370, avião da Malaysia Airlines que sumiu no Oceano Índico e até agora não foi encontrado

    AFP

  • Um pedaço de detrito flutua no local onde são realizadas as buscas ao voo desaparecido da Malásia Airlines, ao sul do Oceano Índico

    Rob Griffith/Reuters

  • Objeto avistado por avião da Nova Zelândia no Oceano Índico

    Reuters

  • Mapa divulgado pelo governo da Austrália mostra em destaque, no retângulo amarelo à esquerda, a nova área de buscas pelos destroços do avião da Malaysia Airlines

    Reprodução/AMSA

  • Força Aérea da Austrália sobrevoa o Oceano Índico em busca dos objetos detectados no mar por satélites. Autoridades acreditam que possam ser peças do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último dia 8

    Michael Martina/AP

  • Satélite detecta 122 objetos no mar que podem ser do avião da Malásia

    Reuters

  • Parentes de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines fazem passeata em Pequim em protesto contra governo malaio

    Kim Kyung-Hoon/Reuters

  • Em Pequim, parentes dos passageiros do voo da Malaysia Airlines MH370 após ouvirem a notícia de que o avião caiu no Oceano Índico

    AFP

  • Mensagem enviada aos parentes por SMS: "A Malaysia Airlines lamenta profundamente ter que admitir acima de qualquer dúvida que o voo MH370 se perdeu e nenhuma das pessoas a bordo sobreviveu. Como vocês ouvirão na próxima hora do primeiro-ministro da Malásia, nós devemos aceitar todas as evidências que sugerem que o avião caiu no sul do oceano Índico"

    Twitter/Reprodução

  • O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anuncia que o avião da Malaysian Airlines caiu no Oceano Índico

    Edgar Su/Reuters

  • Imagem feita por satélite divulgada pelo governo da Austrália mostra possível destroço do voo MH370 da Malaysia Airlines no Oceano Índico

    Divulgação/AMSA

  • Imagem feita por satélite divulgada pelo governo da Austrália mostra possível destroço do voo MH370 da Malaysia Airlines no Oceano Índico

    Divulgação/AMSA

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7), espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    Edgar Su/Reuters

  •  Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    AP

  • Homem tira foto de desenhos de aviões em homenagem ao voo desaparecido em mural no aeroporto de Kuala Lumpur na Malásia

    Vincent Thian/AP

  • Militares da Indonésia procuram sinais de Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    Chaideer Mahyuddin/AFP

  • Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    Andy Wong/AP

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7), espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Militares da Indonésia procuram sinais de Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    Kham/Reuters

  • Estudantes se reúnem em torno de obra de arte tridimensional, baseada no voo 370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde 8 de março, pintada em Makati (Filipinas)

    Romeo Ranoco/Reuters

  • Imagens de um satélite chinês mostram destroços que podem ser da aeronave que realizava o voo MH370 da Malaysia Airlines

    Reprodução/PRC

  • Imagens de um satélite chinês mostram destroços que podem ser da aeronave que realizava o voo MH370 da Malaysia Airlines

    Reprodução/PRC

  • Artista mascarado se coloca nesta segunda-feira (17) diante de cartaz no aeroporto de Sepang, em Kuala Lumpur (Malásia), com mensagens de apoio e orações aos passageiros desaparecidos a bordo do voo 370 da Malaysia Airlines

    Manan Vatsyayana/AFP

  • Equipes de busca de vários países utilizam aviões para vasculhar os mares entre a Malásia e Vietnã, à procura de vestígios do Boeing 777 da Malaysia Airlines, que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    AFP

  • Estudantes chineses acendem velas e rezam pelos passageiros do voo desaparecido da Malaysia Airlines

    Stringer/Reuters

  • Fotos divulgadas pela polícia da Malásia mostram os dois passageiros que embarcaram com passaportes roubados no voo MH370 da Malaysia Airlines

    AFP

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7),  espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Equipes de busca de vários países utilizam aviões para vasculhar os mares entre a Malásia e Vietnã, à procura de vestígios do Boeing 777 da Malaysia Airlines, que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco de pois de decolar

    Athit Perawongmetha/Reuters

  • Familiares de um cidadão indonésio que estava no voo da Malaysia Airlines que desapareceu sobre o Mar do Sul da China, em sua residência em Medan, na Indonésia

    Binsar Bakkara/AP

  • Equipes de resgate da Malásia sobrevoam região onde supostamente desapareceu o avião da Malaysia Airlines transportando 239 passageiros, no Mar da China Meridional

    Malaysian Maritime Enforcement/AFP

  • Mulher chora enquanto fala ao celular em busca de informações de um parente que estava no avião da Malaysia Airlines e desapareceu no Mar da China Meridional, no Aeroporto Internacional de Pequim

    Kim Kyung-Hoon/Reuters

  • Hugh Dunleavy (esq.) e Ignatius Ong representantes da Malaysia Airlines, falam sobre o desaparecimento da aeronave que fazia o voo MH370, de Kuala Lumpur a Pequim  durante uma coletiva de imprensa em Pequim, na China

    Lintao Zhang/Getty Images

  • Familiar de passageiros do voo da Malaysia Airlines, que desapareceu no Mar da China Meridional, chora ao telefone no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, na Malásia

    Mohd Rasfan/AFP

  • Familiares choram no aeroporto de Pequim, após receberem a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Mark Ralston/AFP

  • Familiares buscam informações após desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur a Pequim transportando 239 pessoas

    Mohd Rasfan/AFP

  • Painel de informações no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur na Malásia, exibe uma mensagem "Oremos pelo voo MH370". O avião da Malaysia Airlines que transportava 239 passageiros de Kuala Lumpur para Pequim desapareceu no Mar da China Meridional

    Samsul Said/AFP

  • Familiares choram no aeroporto de Pequim, após receberem a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Manan Vatsyayana/AFP

  • Mulher chora no aeroporto de Pequim , após receber a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Mark Ralston/AFP

  • Imagem obtida de um avião da Força Aérea do Vietnã mostra um vazamento de óleo é visto a partir na área de busca por um avião Malaysia Airlines que  desapareceu na costa vietnamita durante voo de Kuala Lumpur a Pequim

    Trung Hieu/Thanh Nien Newspaper/Reuters

  • Familiares de passageiros observam álbum de fotos em Kuala Lumpur

    Mohd Rasfan/AFP

Foto 0 / 50

Ampliar Fotos

Militares da Malásia acreditam que o Boeing 777 que desapareceu na madrugada do último sábado teria saído da rota planejada e seguido para o oeste, sobre o estreito de Malaca. Uma fonte militar graduada disse à agência de notícias Reuters que o avião reduziu sua altitude ao passar por Kota Bharu, perto da fronteira com a Tailândia, e tomou a direção do estreito, um dos mais canais mais movimentados do mundo, que separa a parte continental da Malásia (e também Singapura) da ilha indonésia de Sumatra.

Saiba mais: Como um avião pode ter desaparecido?

Ao jornal malaio Berita Harian, o comandante da Força Aérea, brigadeiro Rodzali Daud, afirmou que o avião foi detectado pela última vez por um radar militar às 2h40 de sábado, pelo horário local, perto da ilha de Pulau Perak, no extremo norte do estreito.

A mudança de curso, se for confirmada, poderia descartar a hipótese de uma falha mecânica súbita, uma vez que a aeronave teria voado por pelo menos 500 quilômetros depois de perder contato com o controle de tráfego aéreo, apesar de o transponder e outros sistemas de emissão de rastreamento estarem aparentemente desligados. As autoridades da Malásia ampliaram a área de buscas, incluindo o estreito de Malaca. O foco inicial estava no Mar da China.

Nenhum sinal foi enviado pela aeronave, que deveria ter seguido de Kuala Lumpur até Pequim. Isso deixa espaço para outras possibilidades serem debatidas, como a de o avião ter tentado retornar a Kuala Lumpur.

O efeito de desligar o transponder é torná-lo inerte a um radar secundário, ou seja, impedir que controladores civis possam identificá-lo. Radares secundários colhem informações sobre a identificação da aeronave, a velocidade e altura a partir do transponder. No entanto, as informações ainda poderiam ficar visíveis a um radar primário, que é usado por militares.

Pelo menos quarenta navios e 34 aeronaves estão sendo usadas nas buscas. Equipes da Austrália, China, Tailândia, Indonésia, Singapura, Vietnã, Filipinas, Nova Zelândia e Estados Unidos estão envolvidas na operação.

Leia também: As diferenças entre o avião desaparecido na Ásia e o acidente da Air France

Familiares – Quatro dias depois do desaparecimento do avião que levava 239 pessoas a bordo, familiares dos passageiros chineses, que eram maioria no voo MH370, anunciaram a recusa do dinheiro oferecido pela Malaysia Airlines. A companhia aérea afirmou ter oferecido uma ajuda financeira de 31.000 iuans (cerca de 11.000 reais) para a família de cada passageiro.

A empresa, no entanto, nega que o dinheiro foi rejeitado, dizendo que os familiares pediram apenas que a companhia reveja os termos de aceitação. “Há alguns itens sobre os quais há diferenças de opiniões”, disse o representante da Malaysia Airlines na China, Ignatius Ong.

Uma pessoa ligada a um dos passageiros chineses disse à agência France-Presse que os familiares “não estão interessados no dinheiro”. “É tudo sobre as pessoas – as pessoas no avião. Nós apenas os queremos de volta”.

Muitos parentes estão em um hotel em Pequim aguardando ansiosamente por notícias. Alguns parecem já aceitar que não há sobreviventes. “Estamos mentalmente preparados para o pior”, disse uma mulher cujo cunhado estava na aeronave com um grupo de artistas chineses que havia feito uma apresentação na Malásia.

Terrorismo – A Interpol afastou nesta terça-feira as especulações em torno dos dois iranianos que embarcaram no voo com passaportes roubados. Em entrevista concedida nesta terça-feira, em Lyon, na França, o secretário-geral da polícia internacional, Ronald Noble afirmou que a Interpol está "inclinada a descartar" terrorismo no caso. "Quanto mais informações temos, mais nós estamos inclinados a concluir que não se trata de um incidente terrorista".   

Os dois homens foram identificados pela polícia da Malásia como Pouria Nour Mohammad Mehrdad, de 18 anos, que estaria provavelmente tentando viajar de forma ilegal para a Alemanha, e Delavar Seyed Mohammad Reza, de 29 anos. 

O desaparecimento do Boeing 777

Fonte: agência Reuters

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados