Itália

Terremoto mata pelo menos 6 pessoas e fere outras 50

Diversos prédios históricos foram afetados após abalo de 5,9 graus na escala Richter na região de Emília-Romagna, no norte do país

Estragos causados pelo terremoto no norte da Itália: pelo menos seis pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas

Estragos causados pelo terremoto no norte da Itália: pelo menos seis pessoas morreram e mais de 50 ficaram feridas (EFE)

Um terremoto de magnitude 5,9 graus na escala Richter atingiu o norte da Itália nesta madrugada e matou pelo menos seis pessoas, deixando cerca de 50 pessoas feridas. O abalo foi registrado às 2h03 deste domingo (23h03 de sábado, horário de Brasília) na região de Emília-Romagna (norte da Itália), mas foi sentido também em outras regiões como Toscana, Vêneto, Lombardia, Tretino Alto Adigio e Friuli Venezia Giulia.

Na fábrica da cidade de Bondeno, na província de Ferrara, região de Emilia Romagna, um trabalhador marroquino de 29 anos morreu depois da queda de uma viga. Outros operários não ficaram feridos. Na fábrica de cerâmica da cidade de Sant'Agostino, Nicola Cavicchi e Leonardo Ansaloni morreram quando trabalhavam no departamento de cocção, esmagados pelo telhado, segundo explicou o representante sindical Victor Battagia. Um operário da empresa de fundição Tecopress, no distrito de Dosso, em Sant'Agostino, também morreu após queda do teto da fábrica.

A alemã Gabi Ehsemann, de 37 anos, que se encontrava na Itália por motivos profissionais, morreu em San Pietro in Casale, Bolonha. Segundo o Comando Provincial dos Carabineiros de Bolonha, sua morte pode ter sido causada por uma crise de pânico durante o terremoto. Crise de pânico também foi o motivo da morte de uma mulher de mais de 100 anos da cidade de Sant'Agostino, informam fontes médicas.

Tremores - Uma hora depois do terremoto, sentido em todo o nordeste da Itália, houve um segundo abalo, desta vez com tremor de 4,9 graus, no norte da província de Modena às 5h03 locais (0h03 de Brasília), que provocou desmoronamentos de algumas fábricas em Bondeno. A Defesa Civil informou ainda que o sismo derrubou a igreja de San Felice sul Panaro, na província de Modena.

Na cidade de Mirandola, província de Ferrara, os pacientes em estado grave de saúde foram transferidos do hospital local, assim como os idosos de uma casa de repouso. Além disso, foram detectados graves danos materiais em Ferrara, onde se reportaram à polícia e à proteção civil desmoronamentos de diversas casas e prédios históricos.

O terremoto de 5,9 graus foi revisado pelo Serviço Geológico dos EUA (USGS), que estabeleceu uma magnitude de 6 graus e profundidade de 5,1 quilômetros, em vez dos 10,1 quilômetros anunciados previamente. Segundo o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia da Itália, o epicentro do tremor foi a cinco quilômetros a leste da cidade de San Felice sul Panaro, e ele foi precedido por outros dois tremores, um de 4,1 graus às 1h13 local (20h13 de sábado de Brasília) e outro de 2,2 graus à 1h43 local (20h43 de sábado de Brasília).

Em várias cidades, muitas pessoas saíram às ruas em pânico ao sentirem o tremor, que durou cerca de 20 segundos.

Os italianos reviveram o terremoto dos Abruzos (centro da Itália), que no dia seis de abril de 2009, com magnitude de 5,8 graus na escala Richter, provocou a morte de 308 pessoas, 1.600 feridos e milhares de refugiados e devastou povoados da região e do centro histórico de L'Aquila.

No início da manhã, o tráfego ferroviário foi restabelecido nas principais linhas da região atingida pelo terremoto, pós os reconhecimentos técnicos previstos nos protocolos de segurança para verificar a integridade das infraestruturas, destacam as autoridades ferroviárias.

(Com agência Efe)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados