Tarja 2 para o tema Silvio Berlusconi

Itália

Jovem se fantasiou de Obama para Berlusconi em festas

Objetivo era fazer o ex-premiê rir, conta ela em uma audiência do caso Ruby

Silvio Berlusconi: ex-premiê é acusado de abuso de poder no caso Ruby

Silvio Berlusconi: ex-premiê é acusado de abuso de poder no caso Ruby (Filippo Monteforte/AFP)

A jovem dominicana Marysthelle Polanco, uma das mulheres que participou das festas privadas de Silvio Berlusconi, conhecidas como "bunga bunga", disse nesta sexta-feira que chegou a se fantasiar de Barack Obama para agradar o ex-primeiro-ministro italiano.

Entenda o caso


  1. • A marroquina Karima el-Mahroug, conhecida como Ruby Rubacuore ("Rouba Corações", em italiano) tinha 17 anos quando contou a magistrados de Milão que compareceu a festas na casa de Berlusconi.
  2. • A jovem, que estava ilegalmente na Itália, foi presa em maio de 2010, por roubar 4.000 euros, e imediatamente libertada após uma ligação do "amigo" poderoso.
  3. • Em janeiro de 2011, a Justiça abriu um processo contra o ex-premiê italiano, que é acusado de abuso de poder (por ter pedido para que Ruby fosse solta) e por incitação à prostituição de menores (pois teria feito sexo com a jovem - o que ambos negam).

Marysthelle, uma das jovens que se alojava num apartamento cedido por ele no complexo residencial Milano 2, testemunhou nesta sexta-feira em uma nova audiência do caso Ruby, no qual Berlusconi está sendo julgado por promover a prostituição de menores e abuso de poder.

A jovem disse ainda que se caracterizou como a promotora Ilda Boccassini, que já investigou o ex-primeiro-ministro. "Eu me disfarcei de Boccassini, com a toga por cima, e também de Obama, para fazê-lo rir", disse a dominicana durante a audiência pública realizada no Palácio de Justiça de Milão.

Detalhes - Marysthelle, que na sua chegada ao tribunal prometeu que faria revelações inéditas, disse que nas festas de Berlusconi em sua mansão em Arcore não ocorria nada de muito "atrevido" e que as convidadas "não se deixavam tocar nem tocavam as partes íntimas" de Berlusconi. "Eu costumava me vestir no estilo burlesco, com calcinhas e sutiãs muito elaborados e com plumas. Nunca vi nenhuma menina nua", assegurou.

O testemunho da dominicana era um dos mais esperados do caso Ruby, no qual Berlusconi é acusado de abuso de poder por ter ligado para uma delegacia onde a jovem marroquina estava presa, no dia 27 de maio de 2010, para pedir que ela fosse solta. A Promotoria de Milão diz ainda que Berlusconi manteve relações sexuais com Ruby quando ela tinha 17 anos, entre fevereiro e maio de 2010, e por isso ele é acusado de incitação à prostituição de menores.

As cinco mulheres nos maiores escândalos de Berlusconi

As histórias de sexo, prostituição, dinheiro e poder na atribulada biografia do 'Cavaliere' italiano

1 de 5

Ruby

A dançarina marroquina Karima el-Mahroug, conhecida como Ruby Rubacuore ("Rouba Corações", em italiano) tinha 17 anos quando contou a magistrados de Milão que compareceu a festas na residência de Berlusconi. Ela disse ter recebido 7.000 euros do premiê em uma dessas ocasiões, mas negou ter feito sexo com ele. A jovem, que estava ilegalmente na Itália, chegou a ser presa por furto, mas foi imediatamente libertada após uma ligação do "amigo" poderoso.
 
O escândalo Rubygate, como é conhecido, levou Berlusconi ao banco dos réus. Em janeiro de 2011, a Justiça abriu um processo contra o premiê - por abuso de poder e por sexo com menor de idade. A defesa de Berlusconi pediu para ele ser julgado por um tribunal de ministros, pois ele teria agido como chefe de governo ao intervir na prisão de Ruby para evitar um "incidente diplomático" (o premiê diz que acreditava que ela era sobrinha do ex-ditador egípcio Hosni Mubarak). O recurso foi negado. Em junho de 2013 o ex-premiê foi condenado a sete anos de prisão por um tribunal de Milão.

(Com agência EFE)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados