Tarja - Avião Desaparecido

Tragédia no ar

Buscas por avião completam 5 dias - e mistério só aumenta

Depois de jornal publicar informação de que aeronave da Malaysia Airlines teria mudado de rota, fonte militar diz que ainda está analisando essa possibilidade

  • Imagem divulgada nesta sexta-feira (11), mergulhador da Marinha australiana se prepara para começar as buscas pelo voo MH370 no oceano Índico

    Abis Chris Beerens/Defesa Austrália/AFP

  • Mergulhadores trabalham nas buscas pela aeronave desaparecida da Malaysia Airlines

    Força de Defesa Australiana/Reuters

  • Mergulhador trabalha nas buscas pela aeronave desaparecida da Malaysia Airlines

    Força de Defesa Australiana/Reuters

  • Famílias fazem orações durante vigília em praça de Kuala Lumpur, na Malásia, para marcar o aniversário de um mês do desaparecimento do jet MH370, avião da Malaysia Airlines que sumiu no Oceano Índico e até agora não foi encontrado

    Vincent Thian/AP

  • Angus Houston, chefe do grupo que lidera a procura pelo voo 370 da Malaysia Airlines, mostra local onde foram detectados sinais compatíveis com os de caixas-pretas

    AFP

  • Famílias fazem orações durante vigília em praça de Kuala Lumpur, na Malásia, para marcar o aniversário de um mês do desaparecimento do jet MH370, avião da Malaysia Airlines que sumiu no Oceano Índico e até agora não foi encontrado

    AFP

  • Um pedaço de detrito flutua no local onde são realizadas as buscas ao voo desaparecido da Malásia Airlines, ao sul do Oceano Índico

    Rob Griffith/Reuters

  • Objeto avistado por avião da Nova Zelândia no Oceano Índico

    Reuters

  • Mapa divulgado pelo governo da Austrália mostra em destaque, no retângulo amarelo à esquerda, a nova área de buscas pelos destroços do avião da Malaysia Airlines

    Reprodução/AMSA

  • Força Aérea da Austrália sobrevoa o Oceano Índico em busca dos objetos detectados no mar por satélites. Autoridades acreditam que possam ser peças do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último dia 8

    Michael Martina/AP

  • Satélite detecta 122 objetos no mar que podem ser do avião da Malásia

    Reuters

  • Parentes de passageiros do avião desaparecido da Malaysia Airlines fazem passeata em Pequim em protesto contra governo malaio

    Kim Kyung-Hoon/Reuters

  • Em Pequim, parentes dos passageiros do voo da Malaysia Airlines MH370 após ouvirem a notícia de que o avião caiu no Oceano Índico

    AFP

  • Mensagem enviada aos parentes por SMS: "A Malaysia Airlines lamenta profundamente ter que admitir acima de qualquer dúvida que o voo MH370 se perdeu e nenhuma das pessoas a bordo sobreviveu. Como vocês ouvirão na próxima hora do primeiro-ministro da Malásia, nós devemos aceitar todas as evidências que sugerem que o avião caiu no sul do oceano Índico"

    Twitter/Reprodução

  • O primeiro-ministro da Malásia, Najib Razak, anuncia que o avião da Malaysian Airlines caiu no Oceano Índico

    Edgar Su/Reuters

  • Imagem feita por satélite divulgada pelo governo da Austrália mostra possível destroço do voo MH370 da Malaysia Airlines no Oceano Índico

    Divulgação/AMSA

  • Imagem feita por satélite divulgada pelo governo da Austrália mostra possível destroço do voo MH370 da Malaysia Airlines no Oceano Índico

    Divulgação/AMSA

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7), espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    Edgar Su/Reuters

  •  Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    AP

  • Homem tira foto de desenhos de aviões em homenagem ao voo desaparecido em mural no aeroporto de Kuala Lumpur na Malásia

    Vincent Thian/AP

  • Militares da Indonésia procuram sinais de Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    Chaideer Mahyuddin/AFP

  • Familiares de passageiros do voo MH370 da Malaysia Airlines, desaparecido há mais de uma semana, reclamam da falta de informações e do modo como a situação tem sido conduzida

    Andy Wong/AP

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7), espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Militares da Indonésia procuram sinais de Boeing 777 da Malaysia Airlines que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    Kham/Reuters

  • Estudantes se reúnem em torno de obra de arte tridimensional, baseada no voo 370 da Malaysia Airlines, desaparecido desde 8 de março, pintada em Makati (Filipinas)

    Romeo Ranoco/Reuters

  • Imagens de um satélite chinês mostram destroços que podem ser da aeronave que realizava o voo MH370 da Malaysia Airlines

    Reprodução/PRC

  • Imagens de um satélite chinês mostram destroços que podem ser da aeronave que realizava o voo MH370 da Malaysia Airlines

    Reprodução/PRC

  • Artista mascarado se coloca nesta segunda-feira (17) diante de cartaz no aeroporto de Sepang, em Kuala Lumpur (Malásia), com mensagens de apoio e orações aos passageiros desaparecidos a bordo do voo 370 da Malaysia Airlines

    Manan Vatsyayana/AFP

  • Equipes de busca de vários países utilizam aviões para vasculhar os mares entre a Malásia e Vietnã, à procura de vestígios do Boeing 777 da Malaysia Airlines, que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco depois de decolar

    AFP

  • Estudantes chineses acendem velas e rezam pelos passageiros do voo desaparecido da Malaysia Airlines

    Stringer/Reuters

  • Fotos divulgadas pela polícia da Malásia mostram os dois passageiros que embarcaram com passaportes roubados no voo MH370 da Malaysia Airlines

    AFP

  • Parente de passageiro a bordo do avião da Malaysia Airlines, desaparecido desde o último sábado (7),  espera por notícias no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur

    Damir Sagolj/Reuters

  • Equipes de busca de vários países utilizam aviões para vasculhar os mares entre a Malásia e Vietnã, à procura de vestígios do Boeing 777 da Malaysia Airlines, que desapareceu das telas de controle de tráfego aéreo, com 239 pessoas a bordo, pouco de pois de decolar

    Athit Perawongmetha/Reuters

  • Familiares de um cidadão indonésio que estava no voo da Malaysia Airlines que desapareceu sobre o Mar do Sul da China, em sua residência em Medan, na Indonésia

    Binsar Bakkara/AP

  • Equipes de resgate da Malásia sobrevoam região onde supostamente desapareceu o avião da Malaysia Airlines transportando 239 passageiros, no Mar da China Meridional

    Malaysian Maritime Enforcement/AFP

  • Mulher chora enquanto fala ao celular em busca de informações de um parente que estava no avião da Malaysia Airlines e desapareceu no Mar da China Meridional, no Aeroporto Internacional de Pequim

    Kim Kyung-Hoon/Reuters

  • Hugh Dunleavy (esq.) e Ignatius Ong representantes da Malaysia Airlines, falam sobre o desaparecimento da aeronave que fazia o voo MH370, de Kuala Lumpur a Pequim  durante uma coletiva de imprensa em Pequim, na China

    Lintao Zhang/Getty Images

  • Familiar de passageiros do voo da Malaysia Airlines, que desapareceu no Mar da China Meridional, chora ao telefone no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur, na Malásia

    Mohd Rasfan/AFP

  • Familiares choram no aeroporto de Pequim, após receberem a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Mark Ralston/AFP

  • Familiares buscam informações após desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur a Pequim transportando 239 pessoas

    Mohd Rasfan/AFP

  • Painel de informações no Aeroporto Internacional de Kuala Lumpur na Malásia, exibe uma mensagem "Oremos pelo voo MH370". O avião da Malaysia Airlines que transportava 239 passageiros de Kuala Lumpur para Pequim desapareceu no Mar da China Meridional

    Samsul Said/AFP

  • Familiares choram no aeroporto de Pequim, após receberem a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Manan Vatsyayana/AFP

  • Mulher chora no aeroporto de Pequim , após receber a notícia do desaparecimento do avião Malaysia Airlines que fazia o voo de Kuala Lumpur para a capital chinesa transportando 239 pessoas

    Mark Ralston/AFP

  • Imagem obtida de um avião da Força Aérea do Vietnã mostra um vazamento de óleo é visto a partir na área de busca por um avião Malaysia Airlines que  desapareceu na costa vietnamita durante voo de Kuala Lumpur a Pequim

    Trung Hieu/Thanh Nien Newspaper/Reuters

  • Familiares de passageiros observam álbum de fotos em Kuala Lumpur

    Mohd Rasfan/AFP

Foto 0 / 46

Ampliar Fotos

(Atualizado às 6h50)

As equipes de resgate iniciaram nesta quarta-feira o quinto dia dos trabalhos de busca pelo avião da Malaysia Airlines desaparecido na madrugada do sábado passado com 239 pessoas a bordo. Desde então, nenhum sinal da aeronave foi encontrado a despeito de uma frota internacional de 42 embarcações e 39 aviões vasculhar uma superfície de 27.000 milhas náuticas quadradas (cerca de 92.600 quilômetros quadrados, área um pouco menor que o estado de Pernambuco), em uma operação da qual participam Austrália, China, Estados Unidos, Filipinas, Índia, Indonésia, Malásia, Nova Zelândia, Cingapura, Tailândia e Vietnã.

Saiba mais: Como um avião pode ter desaparecido?

As buscas pelo avião foram ampliadas ao Mar de Andamão, localizado ao norte da ilha de Sumatra, na Indonésia, informou nesta quarta-feira o chefe da Aviação Civil da Malásia, Azharuddin Abdul Rahman. A nova área fica a centenas de quilômetros do perímetro inicialmente estabelecido

Nesta terça-feira, segundo o jornal malaio Berita Harian, o comandante da Força Aérea da Malásia, brigadeiro Rodzali Daud, afirmou que o Boeing 777-200 teria saído da rota planejada para Pequim e retornado, seguindo rumo ao oeste. Seu último sinal teria sido detectado por radares militares sobre o Estreito de Malaca, entre Sumatra e a Malásia, às 2h40 de sábado pelo horário local – a aeronave estaria perto da ilha de Pulau Perak, na costa oeste da península onde fica a Malásia.

A nova informação aumentou mais ainda o mistério que cerca o voo MH370. Afinal, o que levaria um avião comercial a mudar de curso tão bruscamente? A hipótese de um sequestro ou atentado terrorista parece fazer sentido, mas depois que a Interpol descartou vínculos terroristas nos dois passageiros que embarcaram com passaportes roubados, as investigações não indicam até o momento nenhum outro suspeito.     

Reinaldo Azevedo: Interpol descarta atentado terrorista com base em quê?

Mais dúvidas, no entanto, surgiram nesta quarta-feira. Pressionado pela notícia de que o avião teria voado até o Estreito de Malaca, a centenas de quilômetros da última posição detectada por autoridades civis, o brigadeiro Rodzali Daud emitiu um documento por escrito negando ter dado essa informação para a imprensa. Daud afirmou que a reportagem é "imprecisa e incorreta" e ressaltou que a Força Aérea está "examinando e analisando todas as possibilidades". A hipótese da mudança repentina de rota tampouco foi eliminada. "Não descartamos a possibilidade de uma mudança de rumo antes que o avião desapareceu do radar", afirma o comunicado da Força Aérea malaia.

As autoridades da Malásia são as responsáveis por coordenar a busca internacional. Segundo William Marks, porta-voz da sétima frota da Marinha dos Estados Unidos, toda a área do Golfo da Tailândia já foi coberta. Após a notícia sobre a mudança de curso vir à tona, a frota de resgate ampliou a zona de rastreamento em direçõ ao Oceano Índico.

Leia também:
Há 35 anos, avião da Varig também sumiu sem deixar rastro 
Celulares de passageiros de avião desaparecido ainda tocam, dizem famílias
As diferenças entre o avião desaparecido na Ásia e o acidente da Air France

Tensões – Sem nenhum vestígio da aeronave, começam a surgir tensões entre os parceiros internacionais. Lai Xuan Thanh, chefe da Autoridade de Aviação Civil do Vietnã, disse ao Wall Street Journal que o Vietnã quer limitar os próprios esforços de buscas até que a Malásia esclareça o que os radares mostraram. Se o avião estiver no Estreito de Malaca, o Vietnã terá que cessar as buscas, afirmou o representante do governo vietnamita.

Nesta terça, a China também insistiu que a Malásia acelere a procura pelo avião. Das 239 pessoas transportadas pelo Boeing, 153 eram chinesas. Enquanto isso, o diretor da polícia da Malásia, Khalid Abu Bakar, informou que entre as possibilidades investigadas estão sequestro, sabotagem, falha mecânica e problemas psicológicos ou pessoais entre os passageiros e a tripulação do voo. Perfis psicológicos e pessoais das pessoas a bordo estão sendo compilados, ainda que nenhuma informação tenha surgido que possa ligar o sumiço a um ato terrorista, informou o inspetor-geral da polícia.

As autoridades malaias e a Interpol conseguiram identificar os passageiros que embarcaram no avião com passaportes roubados, mas descartaram que ambos sejam supostos membros de um grupo terrorista. Os dois passageiros, iranianos de 19 e 28 anos, viajavam rumo à Europa com objetivo de emigrar clandestinamente, apontam as investigações.

O voo MH370 da Malaysia Airlines saiu de Kuala Lumpur à 0h41 de sábado (13h41 de sexta-feira em Brasília) e tinha previsão de chegada em Pequim, na China, cerca de seis horas mais tarde. O contato com a cabine foi perdido pouco depois da decolagem e a aeronave desapareceu dos radares sem deixar rastro.

O desaparecimento do Boeing 777

Fonte: agência Reuters

(Com agência EFE e Estadão Conteúdo)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados