Mais Lidas

  1. Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

    Entretenimento

    Ex de Susana Vieira vira garçom e vende artesanato na web

  2. Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se revoltam

    Mundo

    Clientes de restaurante vegano descobrem que donos comem carne e se...

  3. Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução de ministérios

    Brasil

    Governistas já ensaiam discurso de oposição - e cobram até redução...

  4. Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

    Entretenimento

    Atriz revela ser dublê de corpo do nude de Maitê Proença

  5. Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

    Brasil

    Suzane Richthofen deixa cadeia em saída do Dia das Mães

  6. STF arquiva acusação de Delcídio contra Dilma por caso Pasadena

    Brasil

    STF arquiva acusação de Delcídio contra Dilma por caso Pasadena

  7. Falta uma semana para descermos a rampa com Dilma, diz ex-ministro

    Brasil

    Falta uma semana para descermos a rampa com Dilma, diz ex-ministro

  8. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

Morre De Sordi, campeão mundial em 1958 com a Seleção Brasileira

- Atualizado em

De Sordi, jogador da Copa de 58
De Sordi, jogador da Copa de 58(Folhapress/VEJA)

Campeão da Copa do Mundo de 1958 com a Seleção Brasileira, o ex-jogador Nílton De Sordi faleceu nesse sábado, aos 82 anos, em Bandeirantes, interior do Paraná, em decorrência de falência múltipla dos órgãos. O ex-lateral do São Paulo, que atuou no clube do Morumbi nas décadas de 50 e 60, sofria de Mal de Parkinson.

Revelado pelo XV de Piracicaba, De Sordi foi contratado pelo São Paulo em 1952. Campeão paulista em 1953 e 1957, o lateral defendeu a equipe do Morumbi em 536 partidas, até 16 de julho de 1965. Apesar de nunca ter marcado um gol com a camisa tricolor, se tornou um dos ídolos da história do clube.

Acompanhe VEJA Esporte no Facebook

Siga VEJA Esporte no Twitter

Convocado para disputar a Copa do Mundo de 1958, na Suécia, De Sordi foi titular de todos os jogos da Seleção Brasileira até a decisão, quando foi barrado pelo departamento médico. Na ocasião, Djalma Santos assumiu o posto na lateral direita e se tornou o melhor jogador do Mundial com apenas uma exibição: a vitória por 5 a 2 sobre os donos da casa.

Apesar da baixa estatura, o jogador se destacava pelo poder de marcação na defesa. Já no fim da carreira, ele jogou também no paranaense União Bandeirante, onde se aposentou em 1966. No mesmo ano, foi chamado para ser técnico da equipe.

(Com Gazeta Press)

TAGs:
São Paulo Futebol Clube
Seleção Brasileira de Futebol
Esportes