Tarja do tema UFC

MMA

Cigano x Velasquez, o duelo mais explosivo dentro do UFC

Estatísticas mostram força dos atletas, dois dos mais perigosos do torneio todo

Cain Velasquez e Júnior Cigano se encaram em São Francisco, nos EUA, durante a turnê promocional do UFC 166

Cain Velasquez e Júnior Cigano se encaram em São Francisco, nos EUA, durante a turnê promocional do UFC 166 (Jason O. Watson/Zuffa LLC/Getty Images/VEJA)

O UFC promoverá algumas das lutas mais importantes de sua história neste fim de ano. Em novembro, comemora seus 20 anos com o superastro canadense Georges St-Pierre em ação contra o americano Johny Hendricks. Em dezembro, realiza a tão esperada revanche entre o ex-campeão Anderson Silva e o atleta que enfim o derrotou, Chris Weidman. Esses combates podem até ser mais badalados e atrair mais atenção dos fãs, mas não têm o mesmo potencial explosivo do duelo que fechará o UFC 166, no sábado, em Houston, nos Estados Unidos. Mesmo não ocupando as primeiras posições do ranking oficial do torneio, Cain Velasquez e Júnior Cigano podem ser apontados como os atletas mais perigosos de toda a franquia - afinal, os melhores pesos-pesados do planeta são também os donos dos golpes mais poderosos do UFC. As estatísticas oficiais da competição ilustram bem o perigo de encarar qualquer um deles. Quando ficam frente a frente, o americano e o brasileiro são garantia de uma briga duríssima.

Leia também:
Cigano tenta corrigir erros para reconquistar cinturão
Sem lesões, Velasquez quer provar que é 'invencível'
Anderson Silva já negocia para retornar para o clube
Demitido e suspenso, Toquinho cai por reincidência

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano

    Donald Miralle/Zuffa LLC/

  • Júnior Cigano perde o cinturão dos pesados para Cain Velasquez no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez enfrenta Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez enfrenta Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Júnior Cigano golpeia Cain Velasquez no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez enfrenta Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez golpeia Júnior Cigano no UFC 155, em Las Vegas

    Josh Hedges/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez vence Júnior Cigano e recupera o cinturão dos pesados no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

  • Cain Velasquez recupera o cinturão dos pesados

    Donald Miralle/Zuffa LLC

  • Cain Velasquez vence Júnior Cigano e recupera o cinturão dos pesados no UFC 155, em Las Vegas

    Donald Miralle/Zuffa LLC/Zuffa LLC via Getty Images

Foto 0 / 18

Ampliar Fotos
Cigano conta em seu currículo, por exemplo, sete vitórias por nocaute, a segunda melhor marca da história da categoria. Quem é o primeiro? Velasquez, com oito. O brasileiro, porém, leva vantagem em alguns números, como a quantidade de vezes que derrubou o oponente com um soco ou chute: foram onze, recorde da divisão dos pesados. Cigano também encaixou 574 golpes significativos no adversário, o maior número entre todos os atletas em atividade na categoria. Velasquez, por sua vez, encaixa uma média de 6,5 golpes significativos por minuto de luta, a melhor marca da história do UFC. Especialista em wrestling, o americano já levou seus rivais para o chão em 27 ocasiões, recorde histórico entre os pesados. E Velasquez também é o único lutador nas duas décadas de existência do UFC a somar 100 ou mais golpes significativos e 10 ou mais quedas num mesmo combate. Dez também é o número de vitórias do campeão dos pesados no UFC. O mesmo número de triunfos do brasileiro, o ex-campeão. 

UFC 166

1 de 9

Cigano em entrevista pré-luta

UFC: o que vem por aí em 2013 e 2014

1 de 3

UFC 168

Quando e onde: 28 de dezembro, no Hotel e Cassino MGM Grand, Las Vegas (Estados Unidos)

Lutas principais: Chris Weidman x Anderson Silva (médios, disputa de título); Ronda Rousey x Miesha Tate (galos, disputa de título)

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados