Tarja - Olimpiada 2012

Vôlei

Brasil é bi no vôlei feminino olímpico e Zé Roberto é o 1º tri

Seleção virou final contra os EUA e defendeu o título conquistado em Pequim - foi o 3º ouro brasileiro em Londres-2012. Treinador conquista uma marca inédita

Giancarlo Lepiani, de Londres
  • Brasileiras vencem os Estados Unidos e ganham ouro na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    Paulo Vitale/Milenar

  • Olimpiada-brasil-20120811-12-size-140 	Brasileiras vencem os Estados Unidos e ganham ouro na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    Paulo Vitale/Milenar

  • Jaqueline Carvalho com medalha de ouro, em 11/08/2012

    Reuters

  • Jaqueline Carvalho comemora medalha de ouro, em 11/08/2012

    Paulo Vitale/Milenar

  • Seleção brasileira de vôlei comemora medalha de ouro nos Jogos Olímpicos, em 11/08/2012

    Paulo Vitale/Milenar

  • Brasileiras vencem os Estados Unidos e ganham ouro na Olimpíada de Londres

    Paulo Vitale/Milenar

  • Brasileiras comemoram medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, em 11/08/2012

    AFP

  • Fabiana Oliveira comemora medalha de ouro na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    Paulo Vitale/Milenar

  • Brasil vence Estados Unidos e ganha ouro na Olimpíada de Londres

    Reuters

  • Brasileiras comemoram medalha de ouro com cambalhotas, em 11/08/2012

    Paulo Vitale/Milenar

  • Brasileiras comemoram vitória sobre os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Londres, em 11/08/2012

    AFP

  • Brasileiras comemoram medalha de ouro nos Jogos Olímpicos de Londres, em 11/08/2012

    Getty Images

  • Brasileiras comemoram vitória sobre os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Londres, em 11/08/2012

    Reuters

  • O técnico da seleção brasileira de vôlei, José Guimarães, durante partida contra os Estados Unidos, em 11/08/2012

    AFP

  • Disputa pelo ouro entre Brasil e Estados Unidos na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    Paulo Vitale/Milenar

  • Brasileiras comemoram ponto contra os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Londres, em 11/08/2012

    Reuters

  • Brasileiras comemoram ponto contra os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Londres, em 11/08/2012

    Getty Images

  • A brasileira Fabiana Oliveira comemora ponto na final do vôlei, em 11/08/2012

    AFP

  • A americana Destinee Hooker durante partida contra o Brasil, em 11/08/2012

    AFP

  • A brasileira Thaisa Menezes na disputa pelo ouro olímpico, em 11/08/2012

    Elsa/Getty Images

  • Brasileiras comemoram ponto contra os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Londres, em 11/08/2012

    Reuters

  • A americana Christa Harmotto durante partida contra a seleção brasileira de vôlei, em 11/08/2012

    AFP

  • Brasileiras comemoram ponto contra os Estados Unidos na disputa pelo ouro, em 11/08/2012

    Ivan Alvarado/Reuters

  • A brasileira Jaqueline Carvalho durante partida contra os Estados Unidos, em 11/08/2012

    Reuters

  • Disputa pelo ouro entre Brasil e Estados Unidos na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    Reuters

  • Disputa pelo ouro entre Brasil e Estados Unidos na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    AFP

  • Bloqueio brasileiro durante partida contra os Estados Unidos nos Jogos Olímpicos de Londres 2012

    Francisco Leong/AFP

  • A americana Destinee Hooker comemora ponto contra a seleção brasileira de vôlei, em 11/08/2012

    Ivan Alvarado/Reuters

  • Partida entre Brasil e Estados Unidos na disputa do ouro na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    AFP

  • As americanas Nicole Davis e Jordan Larson comemoram ponto contra a seleção brasileira de vôlei, em 11/08/2012

    AFP

  • A brasileira Jaqueline Carvalho durante partida contra os Estados Unidos, em 11/08/2012

    Reuters

  • Partida entre Brasil e Estados Unidos na disputa do ouro na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    Ivan Alvarado/Reuters

  • Brasileiras comemoram ponto contra os Estados Unidos, em 11/08/2012

    AFP

  • Partida entre Brasil e Estados Unidos na disputa do ouro na Olimpíada de Londres, em 11/08/2012

    Ivan Alvarado/Reuters

  • Torcedor se ajoelha antes de entrar no estádio onde acontece a partida entre Brasil e Estados Unidos

    Jeff Roberson/AP

Foto 0 / 35

Ampliar Fotos
Os grandes destaques da final foram Fabiana, Jaqueline e Sheilla, as maiores pontuadoras do jogo. As três estão entre as bicampeãs olímpicas do elenco - as outras são Paula Pequeno, Thaisa e Fabi

O vôlei feminino do Brasil fez história neste sábado, em Earls Court, Londres. Com uma vitória de virada sobre os Estados Unidos, por 3 sets a 1, a seleção conquistou a medalha de ouro, defendeu seu título olímpico e conseguiu, pela segunda vez nas participações brasileiras nos Jogos, repetir uma campanha vitoriosa em Olimpíadas consecutivas. Antes, apenas Adhemar Ferreira da Silva tinha sido bicampeão em edições seguidas. De quebra, o Brasil consagrou neste sábado seu primeiro tricampeão em Olimpíadas. Vencedor do ouro em 1992 (quando treinava a seleção masculina) e em 2008, o técnico José Roberto Guimarães soma três ouros em sua coleção, deixando para trás outros seis bicampeões. O clube dos donos de duas medalhas de ouro olímpicas, porém, também ficou maior, já que boa parte da seleção que venceu em Londres estava também em Pequim. O vôlei brasileiro tem mais uma chance de consolidar a sua trajetória vitoriosa em Olimpíadas no domingo, na final masculina, entre Brasil e Rússia. O Brasil tem 14 medalhas conquistadas na Olimpíada, com outras duas garantidas - além do vôlei masculino, no boxe, neste sábado, com Esquiva Falcão.

Blog VEJA nas Olimpíadas: Acompanhe a cobertura da equipe de VEJA em Londres

A seleção treinada por Zé Roberto teve uma trajetória irregular no torneio olímpico. Começou derrotando a Turquia (por 3 sets a 2), mas perdeu das próprias americanas (1 a 3) e da Coreia do Sul (0 a 3) antes de engatar uma boa série de vitórias. Foram quatro antes da final deste sábado, contra China (3 a 2), Sérvia (3 a 0), Rússia (3 a 2, na partida mais emocionante e espetacular do torneio) e Japão (3 a 0, numa semifinal mais fácil do que se imaginava). Na grande decisão, o Brasil começou mal: perdeu o primeiro set por 11 a 25, em apenas 21 minutos. Depois de errar muito no início do duelo, a seleção conseguiu encaixar seu jogo e fechou o segundo set em 26 minutos, 25 a 17, e o terceiro em 27 minutos, por 25 a 20. Com o apoio da torcida - os brasileiros e seus simpatizantes eram maioria no ginásio- a equipe manteve a superioridade no quarto e decisivo set, quando fez 25 a 17, em 26 minutos, fechando o jogo e garantindo o ouro de forma memorável. Os grandes destaques da final foram Fabiana, Jaqueline e Sheilla, as maiores pontuadoras do jogo. As três estão entre as bicampeãs olímpicas do elenco - as outras são Paula Pequeno, Thaisa e Fabi.

Leia também: Na outra final de esporte coletivo do dia, Brasil foi só prata no futebol

Viradas - Além da consolidação do sucesso brasileiro no vôlei olímpico, a grande marca da vitória deste sábado é o poder de superação da equipe de Zé Roberto. A seleção ficou perto de dar adeus ao sonho de medalha em duas ocasiões no torneio. Primeiro, chegou a ter ameaçada a própria classificação para a fase eliminatória depois das derrotas para americanas e sul-coreanas. Depois, nas quartas de final contra a Rússia, a seleção venceu por 3 sets a 2 depois de salvar seis match points das adversárias, que já foram responsáveis por algumas das derrotas mais doídas do vôlei brasileiro. Se em Atenas-2004 o Brasil chegou a ter 24 a 19 para fechar o jogo e acabou perdendo, na semifinal, desta vez foi a Rússia que amargou uma virada inesquecível das brasileiras. Faltava devolver a derrota para as americanas no início do torneio - e a empreitada era dura, já que a seleção dos EUA vivia um momento melhor antes da final. Mas a experiência e a categoria das brasileiras pesaram na hora da decisão. "Isso é o Brasil. Deu tudo certo hoje", resumiu Sheilla.

Leia também: Vinte anos depois do primeiro ouro, Brasil busca tri no vôlei masculino

Fabi afirmou ser incapaz de descrever a emoção sentida com a conquista do segundo ouro. "Amamos isso, vivemos o vôlei dentro e fora da quadra. As críticas que sofremos no início foram importantes. Ficar em segundo não era uma opção para nós", contou. Para Jaque, o fundamental para a vitória deste sábado foi a confiança numa equipe que já tinha mostrado do que era capaz. "E agora somos bicampeãs olímpicas", disse, como se estivesse tentando convencer a si mesma do que tinha acabado de conquistar. Depois de escrever seu nome na história do esporte brasileiro, Zé Roberto avaliou o tamanho da conquista lembrando que a seleção perdeu todas as partidas que disputou contra as americanas no ano passado. "Elas eram as favoritas, mas jogamos taticamente, sacamos bem e não erramos na recepção", analisou. "A sensação é incrível e maravilhosa", disse o tricampeão olímpico - que comemorou a vitória contra a Rússia dando um peixinho em quadra e, neste sábado, entrou na quadra abraçado numa bandeira brasileira depois da cerimônia de premiação. Zé Roberto festejou o triunfo de sua modalidade dizendo que o Brasil é, na verdade, o país do vôlei. "Lá, futebol é religião. Portanto, o vôlei é o esporte número um."

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados