Mais Lidas

  1. Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

    Mundo

    Morte no Everest: 'Você se importa se eu continuar?'

  2. Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

    Brasil

    Janaina Paschoal: rotina de isolamento pós-impeachment

  3. Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

    Entretenimento

    Sônia Abrão pede desculpas por sair correndo do programa

  4. Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

    Brasil

    Estupro de jovem de 16 anos no Rio "está provado", diz delegada

  5. Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança desaparece

    Mundo

    Japão: Pais abandonam filho na floresta para castigá-lo e criança...

  6. Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma

    Brasil

    Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente...

  7. Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de invasão de terras

    Brasil

    Bumlai diz que fez empréstimo fraudulento para PT por medo de...

  8. Renan Ribeiro, do 'The Voice', morre em acidente de carro

    Entretenimento

    Renan Ribeiro, do 'The Voice', morre em acidente de carro

Brasil é bi no vôlei feminino olímpico e Zé Roberto é o 1º tri

Seleção virou final contra os EUA e defendeu o título conquistado em Pequim - foi o 3º ouro brasileiro em Londres-2012. Treinador conquista uma marca inédita

Por: Giancarlo Lepiani, de Londres - Atualizado em

  • Voltar ao início

  • Todas as imagens da galeria:


Os grandes destaques da final foram Fabiana, Jaqueline e Sheilla, as maiores pontuadoras do jogo. As três estão entre as bicampeãs olímpicas do elenco - as outras são Paula Pequeno, Thaisa e Fabi

O vôlei feminino do Brasil fez história neste sábado, em Earls Court, Londres. Com uma vitória de virada sobre os Estados Unidos, por 3 sets a 1, a seleção conquistou a medalha de ouro, defendeu seu título olímpico e conseguiu, pela segunda vez nas participações brasileiras nos Jogos, repetir uma campanha vitoriosa em Olimpíadas consecutivas. Antes, apenas Adhemar Ferreira da Silva tinha sido bicampeão em edições seguidas. De quebra, o Brasil consagrou neste sábado seu primeiro tricampeão em Olimpíadas. Vencedor do ouro em 1992 (quando treinava a seleção masculina) e em 2008, o técnico José Roberto Guimarães soma três ouros em sua coleção, deixando para trás outros seis bicampeões. O clube dos donos de duas medalhas de ouro olímpicas, porém, também ficou maior, já que boa parte da seleção que venceu em Londres estava também em Pequim. O vôlei brasileiro tem mais uma chance de consolidar a sua trajetória vitoriosa em Olimpíadas no domingo, na final masculina, entre Brasil e Rússia. O Brasil tem 14 medalhas conquistadas na Olimpíada, com outras duas garantidas - além do vôlei masculino, no boxe, neste sábado, com Esquiva Falcão.

Blog VEJA nas Olimpíadas: Acompanhe a cobertura da equipe de VEJA em Londres

A seleção treinada por Zé Roberto teve uma trajetória irregular no torneio olímpico. Começou derrotando a Turquia (por 3 sets a 2), mas perdeu das próprias americanas (1 a 3) e da Coreia do Sul (0 a 3) antes de engatar uma boa série de vitórias. Foram quatro antes da final deste sábado, contra China (3 a 2), Sérvia (3 a 0), Rússia (3 a 2, na partida mais emocionante e espetacular do torneio) e Japão (3 a 0, numa semifinal mais fácil do que se imaginava). Na grande decisão, o Brasil começou mal: perdeu o primeiro set por 11 a 25, em apenas 21 minutos. Depois de errar muito no início do duelo, a seleção conseguiu encaixar seu jogo e fechou o segundo set em 26 minutos, 25 a 17, e o terceiro em 27 minutos, por 25 a 20. Com o apoio da torcida - os brasileiros e seus simpatizantes eram maioria no ginásio- a equipe manteve a superioridade no quarto e decisivo set, quando fez 25 a 17, em 26 minutos, fechando o jogo e garantindo o ouro de forma memorável. Os grandes destaques da final foram Fabiana, Jaqueline e Sheilla, as maiores pontuadoras do jogo. As três estão entre as bicampeãs olímpicas do elenco - as outras são Paula Pequeno, Thaisa e Fabi.

Leia também:

Leia também: Na outra final de esporte coletivo do dia, Brasil foi só prata no futebol

Viradas - Além da consolidação do sucesso brasileiro no vôlei olímpico, a grande marca da vitória deste sábado é o poder de superação da equipe de Zé Roberto. A seleção ficou perto de dar adeus ao sonho de medalha em duas ocasiões no torneio. Primeiro, chegou a ter ameaçada a própria classificação para a fase eliminatória depois das derrotas para americanas e sul-coreanas. Depois, nas quartas de final contra a Rússia, a seleção venceu por 3 sets a 2 depois de salvar seis match points das adversárias, que já foram responsáveis por algumas das derrotas mais doídas do vôlei brasileiro. Se em Atenas-2004 o Brasil chegou a ter 24 a 19 para fechar o jogo e acabou perdendo, na semifinal, desta vez foi a Rússia que amargou uma virada inesquecível das brasileiras. Faltava devolver a derrota para as americanas no início do torneio - e a empreitada era dura, já que a seleção dos EUA vivia um momento melhor antes da final. Mas a experiência e a categoria das brasileiras pesaram na hora da decisão. "Isso é o Brasil. Deu tudo certo hoje", resumiu Sheilla.

Leia também:

Leia também: Vinte anos depois do primeiro ouro, Brasil busca tri no vôlei masculino

Fabi afirmou ser incapaz de descrever a emoção sentida com a conquista do segundo ouro. "Amamos isso, vivemos o vôlei dentro e fora da quadra. As críticas que sofremos no início foram importantes. Ficar em segundo não era uma opção para nós", contou. Para Jaque, o fundamental para a vitória deste sábado foi a confiança numa equipe que já tinha mostrado do que era capaz. "E agora somos bicampeãs olímpicas", disse, como se estivesse tentando convencer a si mesma do que tinha acabado de conquistar. Depois de escrever seu nome na história do esporte brasileiro, Zé Roberto avaliou o tamanho da conquista lembrando que a seleção perdeu todas as partidas que disputou contra as americanas no ano passado. "Elas eram as favoritas, mas jogamos taticamente, sacamos bem e não erramos na recepção", analisou. "A sensação é incrível e maravilhosa", disse o tricampeão olímpico - que comemorou a vitória contra a Rússia dando um peixinho em quadra e, neste sábado, entrou na quadra abraçado numa bandeira brasileira depois da cerimônia de premiação. Zé Roberto festejou o triunfo de sua modalidade dizendo que o Brasil é, na verdade, o país do vôlei. "Lá, futebol é religião. Portanto, o vôlei é o esporte número um."

TAGs:
Londres
Vôlei
Olimpíada