Mais Lidas

  1. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  2. Johnson & Johnson terá que pagar US$ 55 milhões para cliente vítima de câncer

    Economia

    Johnson & Johnson terá que pagar US$ 55 milhões para cliente vítima...

  3. Lavenère faz discurso do medo e diz que impeachment é ‘pena de morte’ de Dilma e de programas sociais

    Brasil

    Lavenère faz discurso do medo e diz que impeachment é ‘pena de...

  4. Bloqueio do WhatsApp deve ser decidido pelo STF

    Brasil

    Bloqueio do WhatsApp deve ser decidido pelo STF

  5. Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

    Entretenimento

    Sasha Meneghel vai fazer faculdade nos Estados Unidos

  6. Dilma e o fogo olímpico: a imagem de um mandato em chamas

    Brasil

    Dilma e o fogo olímpico: a imagem de um mandato em chamas

  7. Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

    Brasil

    Barraco na comissão do impeachment: 'Vamos falar lá fora, seu m...'

  8. Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

    Brasil

    Justiça bloqueia bens do senador Lindbergh Farias

Roteirista de HQ tira Batman do armário: 'Ele é gay'

- Atualizado em

Batman e Robin, no seriado original
Batman e Robin, no seriado original(Divulgação/VEJA)

"Não estou usando o termo gay de modo pejorativo, mas a verdade é que Batman é muito, muito gay." Foi assim que o roteirista Grant Morrison tirou do armário o super-herói da DC Comics - cuja relação com o parceiro Robin era alvo de suspeitas há tempos. A declaração está na última edição da Playboy americana. A revista traz também trabalhos de Frank Quietly, desenhista que passa para o papel as ideias de Morrison.

ENQUETE: É importante um super-herói ser heterossexual?

"Obviamente, como personagem fictício Batman está destinado a ser heterossexual, mas a base de seu conceito é totalmente gay. E acho que é por isso que as pessoas gostam dele. Muitas mulheres avançam sobre Batman, pulando telhados com roupas fetichistas atrás dele. Mas ele nem liga - está mais interessado em sair com seu parceiro."

Não foi apenas a "sexualidade desviante", como a define, o único elemento que tornou Batman atraente para o roteirista. "Eu me interessei pela questão de classe do herói: ele é um homem rico que luta pelos pobres. É uma missão muito bizarra a de sair à noite vestido de morcego, mandar os junkies para o inferno e depois voltar para a sua mansão."

Morrison tem grande interesse pelo lado psicológico dos personagens. No ano passado, ele já havia adiantado que escreveria uma história sobre o confronto da Mulher Maravilha com suas origens feministas e fetichistas, trabalho que toca agora.

Ainda na edição, o roteirista aproveitou para explicar as origens do Super Homem, criado durante a Grande Depressão e destinado a ser o herói dos oprimidos. "Os escritores americanos frequentemente dizem que é difícil escrever Super-Homem. Eles dizem que ele é muito poderoso; você não pode dar problemas a ele. Mas ele é uma metáfora. Para mim, ele tem os mesmos problemas que nós, mas numa escala Paul Bunyan", disse, em referência a um lenhador gigante, figura lendária nos Estados Unidos.

TAGs:
HQ
Quadrinhos
Cultura Pop