Mais Lidas

  1. Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

    Brasil

    Janaína Paschoal: 'Foram anos de falsidade ideológica na nossa cara'

  2. TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

    Brasil

    TSE determina que PT devolva R$ 7 mi aos cofres públicos

  3. Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de denúncia na Câmara

    Brasil

    Presidente do Conselho de Ética desafia Cunha e vira alvo de...

  4. MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

    Brasil

    MG: oposição entra com recursos contra nomeação da mulher de Pimentel

  5. Reale defende impeachment no Senado: 'Crime de responsabilidade sem punição é golpe'

    Brasil

    Reale defende impeachment no Senado: 'Crime de responsabilidade sem...

  6. Ex-BBB Ana Paula elogia (e envelhece) Patrícia Poeta: 'A senhora arrasa'

    Entretenimento

    Ex-BBB Ana Paula elogia (e envelhece) Patrícia Poeta: 'A senhora...

  7. Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”

    Brasil

    Marcela Temer: bela, recatada e “do lar”

  8. Atriz de ‘50 Tons’ se diz ‘entediada’ após gravar cenas de sexo por sete horas

    Entretenimento

    Atriz de ‘50 Tons’ se diz ‘entediada’ após gravar cenas de sexo por...

Após chilique, Sir Elton John chega ao palco de 'carruagem'

Por: Leo Pinheiro, da Cidade do Rock - Atualizado em

Elton John durante show no palco Mundo, no primeiro dia do Rock in Rio, em 23/09/2011
Elton John durante show no palco Mundo, no primeiro dia do Rock in Rio, em 23/09/2011(EFE/VEJA)

Nem tudo foram rosas, nem mesmo rosas inglesas como em um de seus hits, no show do britânico Elton John. No palco, o cantor, que ostenta o título de Sir, foi profissionalmente brilhante e entregou um show de qualidade para uma plateia que, atraída ao Rock in Rio pelos ídolos juvenis Rihanna e Katy Perry, não soube apreciar. Para chegar lá, porém, o cavalheiro inglês fez aquilo que, se tivesse nascido na terra do axé, se chamaria rodar a baiana. Tanto fez que chegou ao palco numa carruagem moderna, uma SUV que o transportou pelos cerca de 80 metros entre o camarim e o microfone. Tudo para... evitar contato com pessoas.

Enfurnado no camarim especial em forma de tenda ao lado do palco, Elton John não queria ser incomodado. Ponto. O simples trânsito de funcionários da produção do evento em frente à tenda tirou o cantor da sua classe artistocrática. O britânico, que deveria percorrer a pé a distância entre seu nobre aposento e a entrada para o palco, deu então seu ataque de pelanca -- como dizem aqueles que talvez ele chame de nativos -- e exigiu ser carregado para o show dentro de algo que o isolasse da turba.

O utilitário de luxo convocado para atendê-lo precisou dar a volta no palco para fugir às pessoas que transitavam pela entrada. E Elton John, em mais um caso que deve ter registro na história do festival, no Rock in Rio entrou pela saída.

Depois do bufê - Já Katy Perry, que promoveu uma festa infantil no evento, fez o contrário. Não o oposto no sentido de buscar o contato humano junto ao palco, mas no de confundir entrada e saída. Para evitar a imprensa internacional que a esperava pelo lado em que os artistas deixam a berlinda, a cantora americana... saiu pela entrada.

TAGs:
Rock in Rio