Lista

As lições dos campeões do Enem para uma boa prova

Administrar tempo e cansaço e treinar a redação estão entre lições de jovens que foram bem na avaliação e agora cursam as melhores universidades

Nathalia Goulart
Enem: estudar para o exame é fundamental - e manter a calma também

Enem: estudar para o exame é fundamental - e manter a calma também (Arquivo/VEJA)

Dentro de pouco menos de dois meses, os participantes do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2011 vão enfrentar uma maratona de 180 testes e uma redação, divididos em dois dias de prova: 22 e 23 de outubro. O esforço pode assegurar uma vaga em uma das 73 universidades públicas (federais e estaduais) que, de alguma forma, utilizam a nota da avaliação em seus processos seletivos. Para auxiliar os estudantes nessa tarefa, o site de VEJA conversou com veteranos do Enem que já realizaram a prova – e se saíram muito bem.

Blog: Acompanhe as novidades do Enem e dos vestibulares

Todos concordam que o Enem é uma prova de resistência. "Em relação ao conteúdo, não o considero um exame de alto nível, se comparado aos vestibulares mais exigentes do país, por exemplo", diz Marcela Malheiro, de 17 anos. "Mas a prova cobra organização e agilidade de raciocínio, pois são muitas questões para pouco tempo", complementa Marcela, que participou da edição 2010 do Enem e, com ajuda da nota, conquistou uma vaga no curso de medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) por meio do Sistema de Seleção Unificada (SiSU).

11 temas que podem cair no Enem 2011

Em outro ponto do Brasil, Guilherme Munhoz – que, graças ao desempenho do Enem 2010, foi aprovado para a carreira de biomedicina na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) – orienta de forma semelhante os estudantes que farão o exame em outubro. "Digo sem medo de errar: coordenar o tempo é o grande desafio de qualquer candidato", diz Guilherme. "Não se pode investir muito tempo nas questões, especialmente naquelas que tratam de assuntos que o estudante não domina."

O mapa das universidades que usam o Enem

À administração do tempo, Mariana Cabride, de 18 anos, adiciona outra orientação. "Os enunciados das questões são muito extensos, e não apenas na área de humanas: em exatas e biológicas acontece o mesmo", diz. "É importante, por isso, manter a paciência e a concentração." De fato, textos de apoio e enunciados longos já são uma marca registrada do Enem.

Guia do candidato do Enem 2011

A redação costuma ser o bicho-papão dos participantes. Compreender o tema proposto, refletir sobre a questão e construir uma argumentação clara e pertinente a respeito estão entre os maiores desafios dos estudantes. Poucos conseguem brilhar nesse quesito. Entre eles, está Nayara Neves Covo, de 17 anos. Ela obteve nota máxima na redação em 2010, 1.000 pontos, o que a ajudou a conquistar vaga no curso engenharia química da Universidade Federal de São Carlos (Ufscar). "A dissertação costuma ser a última prova a ser feita: é preciso mais uma vez administrar o cansaço e principalmente o tempo. A prática ajuda muito nessa tarefa", diz. Ou seja: é preciso treinar a redação várias vezes antes do dia da prova.

Cinco lições para participantes do Enem 2011

1 de 5

Redação

"Nos meses anteriores à realização da prova, fiz muitas redações. Mas só praticar não basta: é preciso rever os erros. Isso permitiu que eu identificasse minhas falhas, e não as repetisse. No dia do Enem, fiz uma redação clássica: não inventei nada. Abordei o tema proposto expondo minhas ideias de forma bastante clara. Como os temas quase sempre são ligados à cidadania, é possível recorrer a um repertório bastante abrangente para tratar deles. Ou seja, é possível escrever sobre muitas coisas dentro de um mesmo tema. Essa é a grande diferença do Enem para outros vestibulares."

Nayara Neves Covo, 17 anos

Assinaturas



Editora Abril Copyright © Editora Abril S.A. - Todos os direitos reservados