Mais Lidas

  1. Kátia Abreu 'se despede' e faz juras de lealdade a Dilma

    Brasil

    Kátia Abreu 'se despede' e faz juras de lealdade a Dilma

  2. Alvo da PGR, Dilma ataca Delcídio – mas não explica suspeitas

    Brasil

    Alvo da PGR, Dilma ataca Delcídio – mas não explica suspeitas

  3. Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

    Brasil

    Justiça de SP envia a Moro pedido de prisão de Lula

  4. Seis detalhes importantes da sexta temporada de ‘Game of Thrones’

    Entretenimento

    Seis detalhes importantes da sexta temporada de ‘Game of Thrones’

  5. A última semana de Dilma: agenda cheia e clima de derrota

    Brasil

    A última semana de Dilma: agenda cheia e clima de derrota

  6. Relator do impeachment defende base para processo contra Dilma

    Brasil

    Relator do impeachment defende base para processo contra Dilma

  7. Relator da comissão no Senado apresenta hoje parecer sobre impeachment

    Brasil

    Relator da comissão no Senado apresenta hoje parecer sobre impeachment

  8. PMDB insatisfeito com espaço no governo do... PMDB

    Brasil

    PMDB insatisfeito com espaço no governo do... PMDB

Abertas inscrições para bolsas de estudo nos EUA

Primeira chamada do Programa Ciência Sem Fronteiras é voltada a estudantes de graduação

- Atualizado em

Campus da Universidade de Stanford, na Califórnia
Brasileiros terão oportunidade de estudar nas melhores universidades americanas. Na foto, a Universidade de Stanford, na Califórnia.(Divulgação/VEJA)

Foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira a primeira chamada do Programa Ciência Sem Fronteiras, do governo federal, que prevê a concessão de bolsas a brasileiros que desejem conduzir parte de seus estudos no exterior. A primeira chamada destina-se aos interessados na modalidade graduação-sanduíche em universidades dos Estados Unidos. As inscrições vão até o dia 30 de setembro. Os resultados serão divulgados entre novembro e dezembro, e o embarque acontece em 2012.

Para se inscrever, os candidatos devem apresentar bom rendimento acadêmico, além de ter concluído no mínimo 40% e no máximo 80% do currículo previsto para o curso de graduação no momento do início da viagem. Além disso, é preciso comprovar fluência em inglês. São exigidos, no mínimo, 79 pontos no exame Toefl-Ibet Test.

A primeira chamada pública do Ciência Sem Fronteiras permitirá às instituições de ensino superior nacionais selecionar estudantes. Para isso, elas terão de firmar um acordo de adesão com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), responsável pelo programa, por meio do qual se habilitarão a indicar os alunos.

Os estudantes interessados também terão a oportunidade de pleitear uma candidatura individual, sem o intermédio da universidade brasileira. Nesse caso, será preciso comprovar o ingresso no ensino superior por meio do Programa Universidade Para Todos (ProUni) ou do Sistema de Seleção Unificada (SiSU) com nota no Exame Nacional do Ensino Superior (Enem) superior a 600 pontos e/ou ter sido premiado nas categorias dos Prêmios Jovem Cientista, Iniciação Científica e Olimpíadas da Matemática e/ou de Ciências.

Uma vez aprovado, o candidato receberá auxílio de 300 dólares mensais pelo período de 12 meses, pagamento das taxas escolares americanas, além de passagens aéreas para o percurso Brasil-EUA-Brasil. Nos casos em que a instituição americana não oferece alojamento e refeições, a Capes arcará com os custos referentes às taxas escolares e concederá bolsa integral ao aluno no valor de 1.800 dólares mensais. As despesas com a obtenção do visto são de responsabilidade exclusiva do estudante.

Leia também:

De improviso, Dilma cria cotas em bolsas de estudo

Vão faltar alunos para bolsas de estudo do governo

Brasil ganha centro de estudos em educação em Stanford

TAGs:
Graduação
Universidades
Intercâmbio
Pós-graduação
Ensino Superior
Estados Unidos