Mais Lidas

  1. Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no petrolão

    Brasil

    Pedro Corrêa faz relato contundente de envolvimento de Lula no...

  2. Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

    Brasil

    Polícia pede a prisão de quatro suspeitos de estupro coletivo no Rio

  3. Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo em favela do Rio de Janeiro

    Brasil

    Polícia tenta identificar bandidos que praticaram estupro coletivo...

  4. OAB divulga nota em repúdio a estupro coletivo de jovem de 16 anos no Rio

    Brasil

    OAB divulga nota em repúdio a estupro coletivo de jovem de 16 anos...

  5. China cria ônibus que 'passa por cima' de engarrafamentos

    Economia

    China cria ônibus que 'passa por cima' de engarrafamentos

  6. Bolsa Família perdeu R$ 2,6 bilhões com fraudes

    Brasil

    Bolsa Família perdeu R$ 2,6 bilhões com fraudes

  7. PGR não tem mais dúvidas de que Lula comandou trama contra a Lava Jato

    Brasil

    PGR não tem mais dúvidas de que Lula comandou trama contra a Lava Jato

  8. Pimentel recebeu R$ 20 mi da Caoa, diz delator

    Brasil

    Pimentel recebeu R$ 20 mi da Caoa, diz delator

UBS e Credit Suisse podem eliminar até 6.000 empregos--jornais

- Atualizado em

ZURIQUE (Reuters) - O UBS está se preparando para eliminar cerca de 5.000 empregos para economizar 1 bilhão de francos suíços (1,2 bilhão de dólares), enquanto o rival Credit Suisse planeja cortar cerca de 1.000 vagas, informaram jornais da Suíça nesta quinta-feira.

Citando uma fonte do UBS, o Tages-Anzeiger afirmou que os detalhes do programa de redução de custos ainda precisam ser acertados e aprovados pelo conselho de administração do banco, mas devem ser anunciados na ocasião da divulgação dos resultados do segundo trimestre, em 26 de julho.

O jornal já havia informado na terça-feira que milhares de empregos estavam ameaçados no UBS e no Credit Suisse, sem revelar detalhes.

O UBS se recusou a comentar o assunto, mas o diretor de gestão de fortunas, Juerg Zeltner, disse na semana passada que o banco precisa controlar custos em decorrência das difíceis condições de mercado. O presidente do conselho da instituição, Kaspar Villiger, também afirmou que os cortes de custos são inevitáveis.

O Credit Suisse, por sua vez, deve eliminar cerca de 1.000 empregos para economizar 800 milhões de francos, segundo o jornal Handelszeitung, que também citou uma fonte interna do banco. De acordo com a publicação, a informação deve ser divulgada em 28 de julho.

Um porta-voz do Credit Suisse se recusou a comentar o assunto, reiterando que o banco está sempre revisando a destinação de recursos e ajustando seu negócio às condições de mercado e às necessidades dos clientes.