Mais Lidas

  1. O PT assaltou até funcionários públicos endividados

    Brasil

    O PT assaltou até funcionários públicos endividados

  2. Gospel Ana Paula Valadão é criticada por foto no velório da avó

    Entretenimento

    Gospel Ana Paula Valadão é criticada por foto no velório da avó

  3. Derrota no 'Power Couple' faz Simony perder a linha

    Entretenimento

    Derrota no 'Power Couple' faz Simony perder a linha

  4. Laura Keller provoca Simony, a 'surtada', pelo Instagram

    Entretenimento

    Laura Keller provoca Simony, a 'surtada', pelo Instagram

  5. Zezé Di Camargo alfineta Wesley Safadão: 'Emergente'

    Entretenimento

    Zezé Di Camargo alfineta Wesley Safadão: 'Emergente'

  6. Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

    Mundo

    Entenda a diferença entre Inglaterra, Grã-Bretanha e Reino Unido

  7. Pronto, os ingleses falaram. E falaram grosso

    Mundo

    Pronto, os ingleses falaram. E falaram grosso

  8. Delator de Paulo Bernardo intermediou negócio milionário após viagem oficial com Lula à África

    Brasil

    Delator de Paulo Bernardo intermediou negócio milionário após...

UBS e Credit Suisse podem eliminar até 6.000 empregos--jornais

- Atualizado em

ZURIQUE (Reuters) - O UBS está se preparando para eliminar cerca de 5.000 empregos para economizar 1 bilhão de francos suíços (1,2 bilhão de dólares), enquanto o rival Credit Suisse planeja cortar cerca de 1.000 vagas, informaram jornais da Suíça nesta quinta-feira.

Citando uma fonte do UBS, o Tages-Anzeiger afirmou que os detalhes do programa de redução de custos ainda precisam ser acertados e aprovados pelo conselho de administração do banco, mas devem ser anunciados na ocasião da divulgação dos resultados do segundo trimestre, em 26 de julho.

O jornal já havia informado na terça-feira que milhares de empregos estavam ameaçados no UBS e no Credit Suisse, sem revelar detalhes.

O UBS se recusou a comentar o assunto, mas o diretor de gestão de fortunas, Juerg Zeltner, disse na semana passada que o banco precisa controlar custos em decorrência das difíceis condições de mercado. O presidente do conselho da instituição, Kaspar Villiger, também afirmou que os cortes de custos são inevitáveis.

O Credit Suisse, por sua vez, deve eliminar cerca de 1.000 empregos para economizar 800 milhões de francos, segundo o jornal Handelszeitung, que também citou uma fonte interna do banco. De acordo com a publicação, a informação deve ser divulgada em 28 de julho.

Um porta-voz do Credit Suisse se recusou a comentar o assunto, reiterando que o banco está sempre revisando a destinação de recursos e ajustando seu negócio às condições de mercado e às necessidades dos clientes.