Mais Lidas

  1. Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente Dilma

    Brasil

    Lewandowski interferiu em processo para ajudar o PT e a presidente...

  2. Secretário-geral da OEA invoca cláusula democrática por crise na Venezuela

    Mundo

    Secretário-geral da OEA invoca cláusula democrática por crise na...

  3. Doença que causa feridas e desfigura o rosto das vítimas está se espalhando no Oriente Médio

    Mundo

    Doença que causa feridas e desfigura o rosto das vítimas está se...

  4. Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre caso de estupro

    Entretenimento

    Brasileiro que desenhava para a DC é demitido após comentário sobre...

  5. Conselho do MP nega pedido de Lula para afastar procurador da Lava Jato

    Brasil

    Conselho do MP nega pedido de Lula para afastar procurador da Lava...

  6. Comissão dá prazo de 20 dias para ministros de Temer se defenderem de acusações do PT

    Brasil

    Comissão dá prazo de 20 dias para ministros de Temer se defenderem...

  7. Ex-ministros de Dilma e ex-presidentes da Petrobras e Correios vão receber salário por 6 meses

    Brasil

    Ex-ministros de Dilma e ex-presidentes da Petrobras e Correios vão...

  8. Odebrecht assina pré-acordo de delação premiada

    Brasil

    Odebrecht assina pré-acordo de delação premiada

Saques da poupança em 2015 foram os mais altos da história

Pela primeira vez desde 1995, quando os dados da caderneta começaram a ser divulgados, a aplicação diminuiu de volume entre um ano e outro

- Atualizado em

Poupança (moedas)
Caderneta de poupança é a aplicação financeira mais popular do país(Thinkstock/VEJA)

Pela primeira vez nos últimos vinte anos, a caderneta de poupança registrou perda de patrimônio ao fim de doze meses. Mesmo contando com os rendimentos de 47,43 bilhões em 2015, o saldo da aplicação ficou em 656,59 bilhões, um valor 0,93% menor do que o total de 662,72 bilhões de reais registrados no acumulado de 2014.

Além de cair entre 2014 e 2015, os saques superaram as aplicações em 53,56 bilhões de reais em 2015, segundo o Banco Central informou nesta quinta-feira. É o maior volume de saques já registrado.

A diminuição das aplicações entre 2014 e 2015 foi pequena, mas é inédita. Ela ocorreu porque os saques superaram as aplicações em praticamente todos os meses do ano, com exceção de dezembro. O último mês do ano conta tradicionalmente com um impulso do pagamento do décimo-terceiro salário, facilitando o aumento de depósitos. Durante 2015, especialistas atribuíram a sangria da poupança à redução da renda dos trabalhadores e à competição com outros tipos de investimento, que foram mais impulsionados pela alta dos juros (a Selic está em 14,25% ao ano) e do câmbio (48,5% no ano passado).

Desde 1995, quando o Banco Central começou a divulgar a série conhecida até hoje, o volume de investimentos na poupança só aumentou ano a ano. Em 1995, a aplicação finalizou em 63,63 bilhões de reais, subindo para 72,02 bilhões de reais no ano seguinte. Em 1998, ela bateu a marca de 100 bilhões de reais pela primeira vez ao encerrar em 107,42 bilhões de reais. Em 2007, ela superou 200 bilhões de reais ( foram 235,26 bilhões de reais). Em 2009, chegou a 319,08 bilhões de reais e, em 2011, a 420 bilhões de reais.

Leia mais:

Banco Mundial prevê retração da economia brasileira de 2,5% em 2016

(Com Estadão Conteúdo)